sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Lua-de-Mel com Juno

Juno Calypso é uma jovem fotógrafa americana (nascida em 1989) que vive em Londres. 



No ano passado ela ganhou o prêmio internacional 2016 do British Journal of Photography através da série que você verá a seguir . Juno decidiu viajar para a Pensilvânia e procurar um desses hotéis projetados para casais de baixo poder aquisitivo passarem sua lua de mel. Uma vez hospedada dedicou-se a  tirar fotos que capturam auto- retratos cheios de sordidez , tédio e resignação. Ele diz que a ideia é mostrar a feminilidade construída em convenções impostas ; uma  personagem cansada que tem que representar seu papel no casamento , na família , na sociedade e no mundo....

JUNO CALYPSO e a série "The Honeymoon Suite" :








































sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Octobriana: A Mulher Maravilha Russa!




 Octobriana, a sensual e iconoclasta heroína soviética que nadava em lava incandescente e lutava contra uma morsa gigante, o zumbi de Lenin e outros perigos mundiais... 




A história desta sensual personagem dos quadrinhos da antiga “Cortina de Ferro”, de fato, é pouco conhecida. E nebulosa.

 O Ocidente só viria a conhecer a loira de cabelos longos (que carregava um revólver na cintura, calçava botas de cowboy, tinha uma serpente enrolada no pulso e uma estrela vermelha na testa) depois da publicação do livro "Octobriana and the Russian Underground", do tcheco Petr Sadecký, em 1971.





Sadecký contava que estivera na URSS na segunda metade da década de sessenta, quando teria tido contato com um grupo anarquista que lhe apresentou os originais das histórias de Octobriana, publicadas de forma de fanzines extremamente clandestinos.





 Eles pediram a Sadecký para levar os exemplares para a Europa Ocidental e ele aceitou a missão e no começo da década seguinte,  publicou o conhecido volume já citado, pelas mãos do editor britânico Tom Stanley.




Mas a história não passava de golpe publicitário!
Aparentemente Sadecký encomendou os desenhos a dois amigos, os também tchecos Bohumil Konecný e Zdenek Burian, que produziram juntos as tiras sobre uma guerreira amazona. Mas o tema não causaria, aparentemente, maior interesse ou impacto em outros países. Assim, Sadecký decidiu roubar a arte dos colegas, Mudou algumas características da heroína (incluindo, principalmente, uma estrela escarlate na fronte) e lhe deu um nome que remetia à revolução de Outubro. Pronto! Só faltava alterar os textos dos balões. Os diálogos foram prontamente modificados e politizados. 




Agora, ele tinha um produto que poderia seduzir os editores ocidentais. Era só criar uma mentira sobre as origens daquele comic book e ele poderia ganhar uma boa grana com sua publicação. Só que o rapaz não pediu autorização aos cartunistas de Praga que, indignados com o ocorrido, desmascararam Sadecký e o processaram numa Corte da República Federal da Alemanha.





O malandro conhecia os ilustradores desde garoto. Começou como admirador, e depois se tornou íntimo da dupla. Ludibriou a ambos, convencendo-os a ceder vários desenhos inéditos, os quais tentaria negociar com editoras em outras partes do mundo. Simplesmente afanou o material, reelaborou seu conteúdo e o comercializou de forma indevida. Afinal, Octobriana acabou se tornando uma crítica ao sistema soviético. E isso poderia trazer sérios problemas para os quadrinistas em sua terra natal.
De fato, os dois foram escorraçados publicamente, sofrendo um total repúdio das autoridades de seu país. Sem contar que não ganharam um tostão com a obra. 




Ainda assim, historietas como "Octobriana and the Atomic Suns of Chairman Mao" certamente interessaram os fãs dos quadrinhos alternativos do “mundo capitalista”.





Ao longo dos anos, outros ilustradores iriam interpretar à sua maneira esta personagem (que acabou em domínio público). Entre 1979 e 1987, Bryan Talbot desenharia a Octobriana, seguido por Larry Weltz, que produziria, em 1992, "Cherry’s Jubilee", uma trama com forte carga erótica. 




Os finlandeses Reima Makinen, Petri Tolppanen e Timo Niemi, por sua vez, criaram "Octobriana and the Tenth Circle of Hell". Cartunistas como Stuart Taylor e Karel Jerie, manteriam esta tendência...










Em 1974, o cantor, ator e produtor David Bowie (grande fã da personagem) chegou a anunciar um filme com Octobriana, mas que nunca foi realizado. 
Em 2003, surgiu " Octobriana & Lenine Sormi"(Octobriana and the Finger of Lenin) curta finlandês de Jyrki Pitkä, com a bela Noora Piili no papel da Mulher Maravilha da Rússia!







A Mulher Maravilha americana ganha novo filme...está na hora de sua concorrente iniciar uma  nova Guerra Fria...neste caso...Guerra Muito Quente!!!!




sexta-feira, 29 de julho de 2016

Tão Doce, Tão Perverso...Umberto Lenzi!




Umberto Lenzi (nascido em 06 de agosto de 1931, e também conhecido como : Humphrey Humbert, H.Humbert, Bob Collins, Hank Milkestone, etc...), é um diretor & roteirista italiano, que foi muito ativo nos peplums , filmes Eurospy , spaghetti westerns , filmes de guerra, filmes Poliziotteschi , no Ciclo de Canibais Italianos e no Giallo. Agora aposentado, Lenzi continua sendo lembrado por seu trabalho divertido e muitas vezes radical...







Entrevista recente para Calum Waddell (The Dark Side Magazine #175) :

- Para muitos fãs, seus maiores filmes são do gênero Giallo...
- Eu trabalhei com orçamentos muito pequenos nestes filmes, e os considero minhas obras primas. Eu acredito que a falta de dinheiro beneficiou meu trabalho. Tínhamos que improvisar bastante, e trabalhar com o pouco  que tivéssemos à mão. Eu acredito que os melhores filmes de suspense foram rodados com locações mínimas. Um exemplo perfeito é "Disque M Para Matar" de Alfred Hitchcock, toda a história se desenvolve em apenas uma sala , aonde a tensão aumenta a cada quadro. Somos todos influenciados por Hitchcock .






- Em comparação, os Giallo hoje, são muito mais violentos e menos sensuais.

- Mesmo este elemento sexy, veio do grande Hitchcock. Em "Disque M Para Matar " e "Janela Indiscreta", ele trabalhou com a mravilhosa Grace Kelly. Ela era uma mulher linda e depois se tornou a princesa de Mônaco, e todo o público falava dela. Os homens e preocupam com mulheres bonitas, não é? (risos). É por isto que no Giallo tivemos atrizes como Barbara Bouchet, uma grande e linda performance, e Edwige Fenech, que é uma querida amiga minha, e Suzy Kendall- que eu escalei em "Spasmo".


                  Barbara Bouchet  &...Giallo...




Edwige Fenech   




Suzy Kendall


- Muitos dizem que o Giallo deve mais a Mario Bava do que a Hitchcock... 





- Eu posso te dizer que a minha maior influência foi Hitchcock.  Eu me lembro de assistir "Disque M" em 3D. Eu amo a cena em que ela ataca e mata um homem com uma  tesoura - aquilo fazia o público pular nas poltronas. Mas eu acho que ele influenciou todos, cada diretor do mundo...




- Como Dario Argento?

- Não, porque fui eu que ensinei a Dario como ser um diretor. Ele co-roteirizou meu filme "La Legione dei Dannati", com Jack Palance. Ele ficou 3 meses em minha casa, e acompanhou as filmagens de "O Louco Desejo" (Orgasmo- 1969 n.t.) também. Ele me observava trabalhar, e acho que eu fui sua maior influência...



- Você é um fã de Dario Argento?

-Os filmes de Dario, não os recentes, mas seus clássicos como " Prelúdio Para Matar" (Profondo Rosso/Deep Red) n.t.) são muito bem dirigidos.  




 "Prelúdio Para Matar" é para mim uma obra-prima. Os críticos  aqui na Itália não gostaram de seus últimos trabalhos. Eles receberam críticas terríveis. Eu e Dario trabalhamos juntos antes dele se tornar diretor...




-Falando em seu filme "Spasmo", ele não é tão violento, e é focado em apenas dois personagens principais- Christian vivido por Robert Hoffmann, e a Barbara de Suzy Kendall...






-...Para mim, só deveriam haver dois personagens principais em qualquer filme de horror ou thriller. Você precisa ter uma boa personagem feminina e  provavelmente seu correspondente masculino. Um deles tem que ser uma pessoal totalmente normal, banal. Então eles vão ser tragados em uma aventura, talvez uma aventura violenta...Esta é a história de Spasmo e também de "Un Posto Ideale per Uccidere"... Para criar medo e suspense, você não precisa de extravagâncias...




-É verdade que George Romero rodou alumas cenas extras para o lançamento de Spasmo nos Estados Unidos?

- Sim...eu não sei se estas cenas inda existem...Mas aconteceu...foi um crime, um crime. Eu nunca aprovei isto!

-Você continuou a fazer filmes ao estilo Giallo, até o final dos anos 80...até "Hitcher in the Dark" (Paura nel Buio- 1989, n.t.), que eu acho um sólido pequeno thriller...




- Fiz este já no final da indústria do cinema na Itália. Assim mesmo, ele passou nos cinemas daqui. Agora existem muito poucos lançamentos de filmes italianos na Itália. Sim, fui afortunado em conseguir continuar trabalhando, apesar de fazer muito pouco em meu próprio país. Fiz "Black Demons" (Demoni 3,1991, n.t.) no Brasil. Eu realizei "Hitcher in the Dark" e "Ghosthouse" na América. 



                                Black Demons...



Estes dois filmes foram produzidos por meu amigo Joe D'Amato  e sua empresa Filmirage. Uma pena que sua produtora fez apostas erradas e perdeu dinheiro com "Porta Para o Silêncio" (Le Porte del Silenzio, 1991 n.t.) de Lucio Fulci , com John Savage, que não fez sucesso. Eu entendo por que ele se dedicou a fazer filmes adultos...

-Você também fez filmes Splatter como "Eyeball ( Gatti Rossi in un Labirinto di Vetro,1975 - n.t.), "Cidade Maldita"( Incubo Sulla Citta Contaminata, 1980) e "Vivos Serão Devorados" ( Mangiati Vivi, 1980) ! Você ficou contente em fazer estes filmes, já que seus trabalhos anterior em Giallos eram bem mais discretos?






-Sim, "Eyeball" é um filme de que me orgulho. É um Giallo, um bom filme. Foi rodado em Sitges, aonde acontece um maravilhoso festival de cinema. Os outros filmes foram apenas trabalhos. Eu prefiro que as pessoas comentem meus Giallos, filmes de guerra e policiais...






- Mas mesmo nestes filmes extremos, você deixou sua marca registrada...

- Eu tenho que reconhecer isto. Sim, "Canibal Ferox"  e "Cidade Maldita" são lembrados até hoje....







Algumas vezes eu consegui colocar um pouco de mim nestes filmes. Quando fiz "Cidade Maldita", a produtora- uma mulher muito bonita- queria um filme de zumbis e me deu este roteiro, sobre criaturas mortas-vivas muito parecido com os filmes de George Romero. 


Eu não queria dirigir algo assim - e então houve uma explosão química no norte da Itália, nesta época. Uma grande nuvem tóxica infectou toda uma grande área. Então eu tive a ideia de uma grande explosão como esta em uma grande cidade não identificada, causando uma mutação genética em todos, transformando-os mais em vampiros do que zumbis.  




- Como você viu o ciclo de cinema splatter na Itália e que levou a realização de filmes cada vez mais violentos e extremos? 

-Para mim foi apenas trabalho. Eu não sabia que este tipo de filmes baratos estavam fazendo sucesso em outros países e causando controvérsias. estes filmes não eram lucrativos na Itália!  Eu só fiz mais filmes de canibais porque eles eram vendidos para a Alemanha, Espanha e o Oriente. Entretanto, eu assisti ao filme "Terror nas Trevas" (L'Aldila/The Beyond, 1981- n.t.) de meu amigo Lucio Fulci quando estreou. Até hoje eu acho que este é o melhor filme de horror italiano. Para mim, ele é melhor que o filme americano "O Iluminado" (The Shinning, 1980, de Stanley Kubrick- n.t.) que muitos dizem ser o maior de todos os filmes de terror...




       Umberto e equipe rodando CANIBAL FEROX



- Finalmente Umberto, mudando um pouco o foco da entrevista, um de seus filmes mais obscuros, a aventura "Ironmaster" (La Guerra del Ferro, 1983.n.t.) foi lançado em BluRay na Inglaterra recentemente. Você poderia falar sobre isto?




- Este é um filme ridículo, e que eu achava que ninguém ia se lembrar! Nós tínhamos um ator principal muito ruim, chamado Sam Pasco. Ele estava envolvido com pornografia gay, e era muito afeminado. Eu não quero parecer politicamente incorreto, mas eu procurava um cara musculoso e que parecesse macho, o que não era o caso. Mas eu gostei de filmar no National Park de Dakota, e o produtor me pagou bem. O roteiro era horrível, então não tinha muito o que fazer com ele...
















Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...