terça-feira, 15 de outubro de 2019

Esmeralda Barros: Tempero Baiano no Cinema Trash!



Esmeralda Barros nasceu em Ilhéus/Bahia, em 6 de outubro de 1945. A bela mulata mudou-se para o Rio de Janeiro, aonde se destacou como dançarina de Carlos Machado, o "Rei da Noite", apresentando-se no palco da boate "Night and Day" ao lado de Grande Otelo e outros artistas do chamado "Teatro de Revista".
Em 1964, ela participou de um concurso de beleza para escolher a participante carioca do concorrido Miss Brasil. 




Esmeralda ficou em segundo lugar, mas, garantiu diversos convites para atuar na TV e cinema. Sua estreia nas telas grandes foi no policial "História de um Crápula" (1965) de(e com) Jece Valadão...




 ...e na TV, na telenovela da Rede Globo "Eu Compro Essa Mulher" (1966). No mesmo ano, sua beleza tipicamente brasileira enfeitou a sátira/aventura/ficção "Se Tutte le Donne del Mondo...Operazione Paradiso" (Operação Paraíso, 1966) de Henry Levin & Dino Maiuri...




...um dos inúmeros filmes que aproveitaram a "Bondmania" dos anos 60. Na trama, o agente da CIA, Kelly (Mike Connors) é enviado ao Rio de Janeiro, para investigar o poderoso industrial David Ardonian (Raf Vallone), que planeja utilizar um satélite artificial para tornar todo o mundo estéril, e conquistar o poder com o seu harém particular!



...claro que a mulata Esmeralda faz parte deste harém..





...e, a também típica malandragem brasileira se aproveitou e realizou a comédia "A Espiã Que Entrou em Fria" (1967) de Sanin Cherques, com o humorista Agildo Ribeiro (mais Dedé Santana, Jorge Loredo, Paulo Celestino, Ary Leite, etc.)...




 ...aonde um cientista brasileiro (Afonso Stuart) cria uma pilha nuclear com vida ilimitada e é alvo de agentes secretos de todo o mundo, que querem raptá-lo...

...utilizando uma fórmula hoje popular, o diretor/roteirista, coloca diversos ícones do cinema nacional (Jece Valadão, Oscarito, Norma Bengell, Ivon Cury...) em rápidas participações especiais...

...Esmeralda é uma das sequestradoras  que enfrentam a agente secreta Jane Bond (Carmem Verônica)...

A morena baiana foi pra a Itália, aonde fez sua carreira internacional em filmes de gênero, começando com uma ponta no spaghetti western "Peça Perdão a Deus, Nunca a Mim" (1968) de Vicenzo Musolino...



...para depois ser a estrela de "Eva, la Venere Selvaggia" (Eva, A Vênus Selvagem, 1968) de Roberto Mauri...





...uma aventura nas selvas/ficção/terror/trash sobre um grupo de cientistas malucos que viajam para a Ilha de Kong, aonde implantam receptores cerebrais em gorilas...planejando criar um exército para dominar o mundo!!!!




Esmeralda Barros é Eva, uma Tarzan-de-saias, criada pelos gorilas, e raptada junto com sua tribo!




 O corajoso explorador Burt Dawson( Brad Harris, um musculoso atleta e esportista americano que foi Hércules, Sansão & Golias, em diversos e populares "Peplum"...e depois herói em spaghetti-westerns! ) salva a garota selvagem, enquanto descendentes do gorila gigante King Kong, livram-se dos implantes e ...a diversão começa!!!!



... 






...Esmeralda foi a mexicana Lola em "W Django" (Um Homem Chamado Django, 1971) de Edoardo Mulargia...



...com Anthony Steffen (o também brasileiro Antonio Luiz de Teffe, astro de inúmeros Spaghetti-westerns)...

... Pilar, em "Django Contra 4 Irmãos" (1971) de Luigi Batzella; Zelda, em "Aquela Alma Maldita" (1971); e Pacquita em "O Colt Era o Seu Deus" (1972) do mesmo diretor...





Ela esteve ao lado das deusas Barbara Bouchet & Femi Benussi na comédia erótica e fantástica "Finalmente le Mille e Una Notte" (1972) de Antonio Margheriti...





"Il Plenilunio delle Vergini" (The Devi's Wedding Night/O Castelo de Drácula,1973) de Luigi Batzella & Joe D'Amato...






...Rosalba Neri é a Condessa Dolingen de Vries, que preside um culto vampiresco em seu castelo. Esmeralda Barros é a governanta zumbi lésbica Lara...Mark Damon em papel duplo, vive os irmãos gêmeos Franz/Karl Schiller...






....neste terror erótico & trash, bastante censurado na época.


Antes de regressar ao Brasil, Esmeralda ainda fez um filme pornô na França, chamado "Nelly,Pile ou Face" (1976) de Charlotte Rogers...aparentemente perdido.

Aqui, ela foi capa e matéria na edição nacional da revista Playboy (Julho de 1976)...




...e a estrela do pioneiro W.I.P. Film nacional "Presídio de Mulheres Violentadas" (1977) de Luis Castellini, Oswaldo de Oliveira & Antônio Polo Galante...





...uma conturbada e muito barata produção da Boca-do-Lixo, contando as agruras da jovem Tininha (Patricia Scalvi), injustamente condenada por um crime, e que no presídio feminino, é disputada pela cruel diretora (Meiry Vieira) e pela detenta # 6969, chamada Nadir (Esmeralda), que planeja uma fuga em massa...








...apesar do baixo orçamento, da substituição do diretor original, troca de atrizes, e tudo mais...foi uma das maiores bilheterias nacionais do ano, teve carreira internacional, e gerou um ciclo brazuca de filmes em presídios & internatos (ver: https://shedemonszine.blogspot.com/2013/06/wip-mulheres-atras-das-grades-parte-2.html)...

Já que estava agora na "Boca", Esmeralda participou da pornochanchada "Elas São do Baralho" (1977) de Silvio de Abreu (com co-roteiro de Rubens Ewald Filho!!!!)...




...sobre funcionários que aprontam uma festinha surpresa (e safada) para o novo chefe...






....e, foi a sensual empregada doméstica Petra (casada com o japonês Kimura) que tira a virgindade de Lírio (Nuno Leal Maia), "O Bem Dotado-O Homem de Itu" (1978) de José Miziara...




...nesta pornochanchada clássica, e de muito sucesso!



Esmeralda foi Indaiá, no épico nacional "O Caçador de Esmeraldas" (1979) de Oswaldo de Oliveira...uma "super-produção" séria, mas, um título irônico em sua filmografia...

...ela voltou a pornochanchada, no caso, um pornodrama, chamado "Mulheres do Cais" (1979) de José Miziara, sobre a baixa prostituição...

...e foi a professora de parapsicologia Lucy, no terror-erótico-trash "O Castelo das Taras de Sade" (1982) de Julius Balvedere...



"Três universitárias e sua professora buscam um ambiente adequado às suas pesquisas de parapsicologia e ciências ocultas. Encontram um castelo numa aldeia (no interior de São paulo) e lá a professora invoca o espírito do Marquês de Sade, que toma posse do corpo e da mente de um jovem pastor protestante. Reencarnado, o Marquês pratica loucuras, iniquidades sexuais e eróticas, bem como crimes horripilantes. O miticismo só é desvendado pela entidade positiva de Sebastião, um outro pastor protestante, que, através de seu poder e de sua fé, leva a professora/sacerdotisa e o Marquês à morte. " 
(CB/Ficha Filmográfica)



Produção típica da Boca-do-Lixo, com orçamento baixíssimo, elenco amador (com exceção de Esmeralda Barros, que se esforça no papel e para recitar com alguma credibilidade, alguns diálogos hilários sobre o Marquês de Sade!), e, para piorar, uma mensagem religiosa/moralista no final...

Falando em final, este foi o último papel de Esmeralda no cinema. Ela ainda faria uma participação (em 1985) em uma telenovela do SBT. 
Ela se aposentou e viveu confortavelmente no interior do Rio de Janeiro. Lutando à vários anos com o Mal de Parkinson, Esmeralda Barros faleceu em 10 de Outubro de 2019, poucos dias depois de completar 74 anos. Com a típica falta de memória nacional, sua morte foi anunciada em sites e blogs estrangeiros, dedicados ao Western, e por aqui ignorada pela grande imprensa (o site Memória Cinematográfica prestou sua homenagem em sua seção Obituário https://www.memoriascinematograficas.com.br/2019/10/morre-atriz-esmeralda-barros-brasileira.html) ...










domingo, 6 de outubro de 2019

Joi Lansing...Uma deusa Esquecida

Joi Lansing...ahhhhh...foi uma modelo, atriz, cantora de boate, e uma das pin-ups muito celebradas dos anos 50. Sua carreira é comparada com as de Mamie Van Doren e Jayne Mansfield...Papéis sensuais para uma loura com um corpão, bem ao gosto americano:  com peitos maravilhosos...




Joi Lansing nasceu Joyce Renee Brown, em 6 de abril de 1929, em Salt Lake City, Utah/USA; filha de um músico e vendedor de sapatos, e de uma dedicada dona de casa...uma típica família Mórmon predominante na cidade. Seus pais se separaram, e em 1940, a nova família mudou-se para Los Angeles.  A bela garota passou a posar como modelo, e aos 14 anos assinou um contrato com a MGM, e concluiu seus estudos do ensino médio no estúdio...

Sua carreira no cinema começou em 1947, com inúmeras pontas em romances/musicais/comédias. Joi não tinha experiência em atuação, mas os produtores não se importavam com isso, ela era escalada por conta de seu rosto & corpo...

 Em 1952, ela desempenhou um papel não creditado no clássico da MGM "Cantando na Chuva" . Miss Lansing também teve uma fértil carreira na TV, aparecendo nas principais séries (Maverick, I Love Lucy, Myke Hammer, Bat Masterson, Klondike, Rawhide,etc...) e curta-metragens televisivos da época, fazendo parte dos primórdios da telinha...

 Joi foi uma das garotas que enfeitaram a aventura fantástico "Son of Sinbad" (O Filho de Sinbad, 1955) de Ted Tedzlaff...



...com Dale Robertson, Vincent Price, e a famosa stripper burlesca e modelo Lili St. Cyr. A produção foi concluída em 1953, mas, a censura implicou com uma cena de dança muito sensual de Lili, e só estreou dois anos depois.




 Na verdade, o filme produzido por Howard Hughes, apesar de todos os elementos típicos do gênero "1001 Noites", centrava-se nas aventuras amorosas do herói Sinbad...




 Ela recebeu o papel principal em "Hot Cars" (1956), um melodrama-noir- policial envolvendo carros roubados.




 Na sequência de abertura da obra-prima "A Marca da Maldade" (1958) de Orson Welles, ela apareceu como Zita, a dançarina que morre (na explosão de uma bomba em um carro de um político americano) no final do famoso plano-sequência, durante o qual sua personagem exclama a um guarda de fronteira "Eu continuo a ouvir o barulho deste tique-taque dentro de minha cabeça!"...




Ela teve outro breve papel como namorada de um astronauta no clássico-Trash de ficção-científica "Queen of Outer Space" ( Rebelião dos Planetas, 1958) de Edward Bernds...








Joi foi a "Esposa do Super-Homem", em um episódio da última temporada da tele-série "Adventures of Superman" (As Aventuras do Super-Homem", 1952-1958), com George Reeves...



...na verdade ela interpretava uma bela policial, que é escalada para fingir ser a esposa do homem-de-aço, em um truque para prender uma quadrilha de ladrões de banco!





Ela voltou a ficção científica "B", como a sedutora Julie, em " The Atomic Submarine" (O Submarino Atômico, 1959) de Spencer Gordon Bennet...






...uma aventura sobre um avançado submarino na caça de um disco voador (no caso: Disco Mergulhador...heheh) nas águas geladas do Ártico...





...em um trash com um ciclope alienígena (modelado na mão do técnico em FX/co-produtor/co-roteirista Irwin Block)/ muitas cenas de arquivo, e elenco predominantemente masculino, Joi é um refresco para os olhos...









Joi Lansing começou a cantar profissionalmente no começo dos anos 60. Ela se apresentou com a orquestra de Xavier Cugat, e fez uma breve turnê com o célebre guitarrista Les Paul...

Ela apareceu como esposa de um músico em 6 episódios da série cômica "A Família Buscapé" (1963-1968), e foi a cantora de country "Boots Malone" (papel vivido por Mamie Van Doren anteriormente em "Las Vegas Hillbillys" de 1966), na comédia de terror e musical "Hillbillys in a Haunted House" (Um Biruta na Casa do Espanto, 1967) de Jean Yarbrough...




...com John Carradine, Lon Chaney Jr. & Basil Rathbone ...




...Joi Lansing canta, encanta, enfrenta o gorila Anatole (George Barrows)...




 ...é presa pelo trio de veteranos do terror (vivendo cientistas-espiões estrangeiros), e sofre torturas...






...assim como o espectador (pelo excesso de música country de péssima qualidade!) neste trash muito bobo, com um roteiro tipo "Scooby-Doo", dirigido por um veterano especializado em terror "B" (The Devil Bat, O Rei dos Zumbis); e comédias da TV (A Família Addams, Abbott & Costello, Meu Marciano Favorito...) ...

Joi Lansing voltou a contracenar com John Carradine em outro terror-trash: "Bigfoot" (1970) de Robert F. Slatzer...




Ela é raptada por um Sasquatch/Pé-Grande que quer acasalar.








 Um bando de motoqueiros quer salva-la (e a outras garotas raptadas), enquanto uma dupla de empresários picaretas (Carradine & John Mitchum) quer capturar uma das criaturas do bando... 








Joi Lansing posava muito de biquíni, e outras roupas diminutas que acentuavam sua figura. Mas, ela sempre foi uma Mórmon devota, que não fumava, não bebia álcool, não usava drogas...nem posava nua...










Joi Lansing largou a vida artística em 1970 para tratar um câncer de mama. Apesar de sofrer uma cirurgia, a doença a matou em 7 de agosto de 1972, aos 43 anos.

Ela ganhou uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood, em Los Angeles, por sua carreira na televisão...

A escritora Alexis Hunter conheceu pessoalmente Joi Lansing, e escreveu o livro "Joi Lansing-A Body To Die For- A Love Story" (2015), focando nos últimos quatro anos de vida da "bombshell", com algumas revelações turbulentas. Ao que parece, o "caretismo" de Joi em relação a drogas e álcool, não tinha a ver com sua opção religiosa. Durante sua fase de estrela infantil da MGM, ela teria sido obrigada a consumir muitos estimulantes (uma prática comum dos grandes estúdios,  para manter crianças trabalhando 20 horas por dia!), e teve que lutar para se livrar do vício...Hollywood sendo a Hollywood cruel... 





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...