quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Tanya's Island - Um Amor de Macaco!







Uma maravilhosa modelo chamada Tanya (D.D. Winters/Vanity), volta para a casa que divide com seu namorado, um pintor surrealista chamado Lobo (Richard Sargent), somente para ouvir dele que o relacionamento acabou. Desconsolada ela mergulha em uma fantasia, onde se vê em uma ilha paradisíaca...a mercê de um enorme símio, tipo “elo-perdido”( Don McCloud) muito parecido com uma figura de um quadro pintado por Lobo. O que poderia ser o começo de uma história de horror se transforma aos poucos em mais uma versão adulta & atualizada do antigo conto “A Bela E A Fera”. Driblando as dificuldades de um orçamento modesto, de uma pequena produtora canadense, o diretor Alfred Sole (1943) conduziu com brilhantismo a fantasia erótica “TANYA’S ISLAND” (1982).
Rodado em Porto Rico, o filme trazia como principal atrativo, a presença da estonteante modelo internacional Vanity (nascida Denise Katrina Matthews em 1959) utilizando o seu pseudônimo cinematográfico D.D. Winters. Escrito e produzido por Pierre Brousseau, o filme contava ainda com uma das criaturas fantásticas mais realistas produzidas até então: Blue, a besta de olhos azuis, que tenta roubar Tanya de seu companheiro, que pouco a pouco torna-se também um selvagem. Desenhado pelo mestre Rick Baker, o monstro foi construído por Rob Bottin e seu jovem assistente Steve Johnson, todos maquiadores de primeira linha. O diretor Alfred Sole, um técnico muito requisitado na área de desenho de produção, estreou no cinema com o pornô “Deep Sleep”(1972) com Harold Reemes. Sua consagração veio em 1976 com o horror anti-católico “Communion”( ou “Alice, Sweet  Alice”/ “Comunhão”) com a jovem Brooke Shields em seu primeiro papel.
A fábula sexual é clara, quando se vê que a besta é amorosa e seu namorado violento. O lirismo dá lugar ao pesadelo, e no final descobrimos o ponto onde a realidade termina...e a fantasia toma conta! “Tanya’s Island” pode ser visto como um exótico e belo filme soft-erótico, ou como um estudo da sexualidade e psicologia dos relacionamentos, mas o que realmente fica na memória são suas belas paisagens, a beleza exuberante de Vanity nua e Blue...um babuíno monstruoso e carinhoso, na mais pura tradição do velho King Kong ( no filme existe uma citação com cenas de “Mighty Joe Young” de 1949).




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...