quinta-feira, 22 de março de 2012

Dyanne Thorne & a saga de Ilsa, a Loba Sádica!

 
ILSA, a cadela nazista, a tigresa siberiana,a diretora sádica...Ilsa Kock, personagem vivida com muito carisma e belas formas pela americana Dyanne Thorne, em uma produção originalmente canadense do veterano mestre do Gore & Sexploitation David Friedman sob o pseudônimo de Herman Traeger. Castrações, choques eléticos , câmeras de alta pressão, apodrecimento em vida por contaminação artificial, estes e outros brinquedos fazia a alegria da personagem ninfomaníaca e cruel ao extremo. Os efeitos especiais sangrentos foram orquestrados pelo maquiador Joe Blasco e ajudaram a transformar o filme em uma serie de sucesso. A seguir nosso expert colaborador IVANDRO GORE GODOY disseca um pouco toda esta história cruel e muito sexy... (nota do editor)


                                                         **********************


Dyanne Thorne (nascida em 14 outubro de 1943, em Greenwich, Connecticut, EUA) é uma atriz americana, modelo pin-up de revistas masculinas e ex-showgirl de Las Vegas e mundialmente conhecida por estrelar quatro filmes sexploitation que influenciaram o gênero naziexploitation sob a pele da personagem Ilsa.

Thorne apareceu pela primeira vez como "Lahna Monroe", no filme de 1964 “Sin in the Suburbs” do diretor Joseph W. Sarno. Por intermédio de seu talento como modelo e seus dotes naturais, foi convidada a filmar alguns filmes de sexploitation e comédias eróticas como “Love Me Like I Do” (1970) e “Wam Bam, Thank You, Spaceman” (1973) antes de atingir sua notoriedade como Ilsa Kock, uma cruel dominatrix nazista semelhante à “Olga” de Campbell. “Ilsa, She Wolf of SS” (Ilsa a Guardiã Perversa da SS- F.J.Lucas video.1974) direção de Don Edmonds e com um roteiro seriamente pervertido de Jonah Royston(n.e.) foi um sucesso tão grande na época que gerou três sequências e uma enxurrada de imitações, criando um subgênero nas produções naziexploitation.
                    
O primeiro filme da franquia “Ilsa” foi filmado no mesmo set da antiga série televisiva “Hogan’s Heroes”(no Brasil “Guerra, Sombra e Água Fresca”. n.e.) e neste filme que conhecemos a diabólica comandante, responsável  pelo campo de prisioneiros de guerra capturados durante a Segunda Guerra Mundial. Em “Ilsa, She Wolf of SS”, Thorne ministra pessoalmente suas torturas sexuais, físicas e  psicológicas além de utilizar os prisioneiros em macabras experiências médicas. O filme, por seu alto nível de sadismo sexual e por retratar a crueldade nazista na guerra, foi proibido de ser exibido na Alemanha.
Mesmo tendo um fim trágico no final do filme, Ilsa foi ressuscitada para uma sequência, “Ilsa, Harem Keeper of the Oil Sheiks”. Nesta sequencia (que cronológicamente não tem nada a ver com o primeiro filme) a diabólica torturadora figura no Oriente Médio em um período de tempo não especificado do pós-guerra e traz como assistentes duas belas assassinas Satin (Tanya Boyd) e Velvet (Marilyn Joi) que possuem como hobby a tortura de homens sobre as areias quentes do deserto. Saindo do calor excessivo do deserto a sanha sádica desta comandante foi parar no frio cortante da Sibéria com o lançamento de “Ilsa, the Tigress of Siberia”(1977, direção de Jean Lafleur), onde a trama (sempre optando pela mesma fórmula com a qual “Ilsa, She Wolf of SS” ganhou sua fama: torturas sexuais de homens, mulheres e ocasionais closes nos peitos de Dyanne Thorne) se passa em um gulag russo em 1953. O último filme da franquia “Ilsa” foi  “Wanda, the Wicked Warden” (aka Greta - The Mad Butcher, 1977) que curiosamente não levou o nome da personagem em alguns releases. Aqui, Wanda (ou Ilsa) é uma diretora bissexual responsável por uma prisão feminina, localizada em algum um país latino tomado pela corrupção (onde é que já vi isso?). Dirigido pelo maior picareta do sexploitation, Jess Franco, este filme ficou rotulado sob o subgênero “woman in cages”( ou W.I.P.= Woman in Prison) e não apresenta nenhuma conexão com  o passado nazista de Ilsa (ou seria Wanda?).

Seu último papel no cinema (e também o mais mainstream) foi interpretar o Sr. Pirandello, o pai transexual de James Belushi no filme "Real Man" de 1987.

Hoje, ela e seu marido Howard Maurer (ambos tiveram papéis em cinco dos mesmos filmes) são ministros ordenados e possuem um negócio de casamento alternativo em Las Vegas, Nevada. Eles conduzem casamentos cênicos ao ar livre além de uma capela para casamentos tradicionais.




CURIOSIDADES

·   A personagem “Ilsa” foi inspirada na pessoa real de Ilse Kosh, comandante dos campos de extermínio de Buchenwald (1937-1941) e Majdanek (1941-1943). Ilse tornou-se sinistramente famosa por colecionar como sourvenires pedaços de peles tatuadas de prisioneiros dos campos de concentração. Histórias de sobreviventes contam que ela tinha cúpulas de abajures feitos de pele humana em seu quarto e era conhecida pelo apelido de “A Cadela de Buchenwald”, pelo caráter perverso e crueldade sádica com que tratava os prisioneiros deste campo.
 ·  Uma carta, assinada por uma fraternidade médica em Boston, Massacusetts, EUA foi enviada a Dyanne Thorne com uma votação um tanto bizarra; a fraternidade de médicos votou na atriz como o corpo que mais gostariam de operar. Miss Thorne ficou conhecida entre muitos de sus fãs como “a Bela Lugosi de saias” por conta de seus papéis de vilã-sádica e pelo sotaque teotônico acentuado de sua personagem mais famosa, sotaque que ela forçava é claro, já que era americana.
·   O filme “Wanda, the Wicked Warden” (aka Greta - The Mad Butcher, 1977)  foi inspirado por uma pessoa real que dirigia um hospício em Portugal onde filmes snuff eram feitos com os internos, visando lucro.


·  Aos 19 anos, Thorne já havia interpretado uma assassina. O filme era "Encounter" (1965), dirigido pelo premiado Norman Chaipin, onde o enteado de Dyanne era feito pelo pequeno Bobby DeNiro - hoje o grande astro Robert De Niro.

·  Dyanne Thorne já apareceu na série Star trek original, mais precisamente no episódio "A Piece of the Action".
                                         Ms. Thorne fazendo uma jornada nas estrelas...
·  Apesar de ser loira e ter olhos azuis (parâmetro ideal para se interpretar um carrasco nazista) Thorne já interpretou uma cantora negra, uma professora chinesa e uma bruxa espanhola.

·  Os filmes preferidos de Dyanne Thorne são “Bambi” e Dumbo”, de Walt Disney.

 

                                     Ilsa a tigressa da Sibéria, foto acima e cartaz japonês abaixo...


FILMOGRAFIA 


Sin in the Suburbs (1964), Yvette Talman
Point of Terror (1971), Andrea
The Erotic Adventures of Pinocchio (1971), Fairy Godmother
Blood Sabbath (1972), Alotta
Snatched Women (1974)
Ilsa, She Wolf of the SS (1974), Ilsa
The Swinging Barmaids (1975)
Ilsa, Harem Keeper of the Oil Sheiks (1976), Ilsa
Beyond Fulfillment (1976)
Ilsa, the Tigress of Siberia (1977), Ilsa
Ilsa, the Wicked Warden (1977) aka Greta the Torturer
Hellhole (1985)
Real Men (1987), Dad Pirandello
 


APARIÇÕES NA TV

Felony Squad (1966), Diana Porter - no episódio "The Terror Trap"
Felony Squad (1966), Miss Lucas - no episódio "Miss Reilly's Revenge"
Star Trek (1968), First Girl - no episódio "A Piece of the Action"
Space (TV mini-series) (1985), Apresentadora.


Texto e pesquisa: Ivandro Gore Godoy

2 comentários:

  1. Procuro desesperadamente uma mulher ativa e sádica para inversão de papeis com penetração de punhos, sou submisso e masoquista... custodioal10@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. Sou de SP, sou masoquista, procuro mulher ativa e sádica para inversão de papeis com penetração de punhos... quero ser arrombada e apanhar muito... custodioal10@gmail.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...