segunda-feira, 19 de março de 2012

SCREAM QUEENS -As Rainhas do Grito Através dos Tempos





                                  (Parte 1)

Desde seus primórdios, o cinema fantástico produziu belas e sexys atrizes, que se destacaram em seus papéis de vítimas indefesas ou de perigosas vamps predadoras...
A “mãe” de todas as chamadas “SCREAM QUEENS” foi *Fay Wray (1907-2004), uma bela canadense que se imortalizou no papel de Ann Darrow, a paixão do Gorila gigante “King Kong” (1933), da ilha da Caveira ao topo do Empire State Building.
Seu rosto aterrorizado e seus gritos, impotente ante a força do monstro a celebrizaram no gênero e servem até hoje como referência para jovens estrelas. Ao ter parte das roupas rasgadas por uma fera, lançaria outra característica bastante festejada pelos fãs do terror-B...a nudez!  Fay Wray reinou sozinha pelos anos 30, e exercitou seus gritos em: “Doctor X” (1932) com Lionel Atwill, “The Most Dangerous Game”( Zaroff, O Caçador de Vidas, 1932), “The Vampire Bat” (O Vampiro, 1933) com Atwill e Dwight Frye, “The Mystery of the Wax Museum” (Os Crimes do Museu, 1933) novamente com Atwill, “Black Moon” (1934) e “The Clairvoyant/The Evil Mind” (1935) com Claude Rains. Em 1942 ela se casou com o roteirista Robert Riskin e se afastou das telas até a morte dele em 1955. Ela viveu até quase os cem anos e pode usufruir de sua fama. A autobiografia de Fay Wray, publicada em 1989 chama-se "On the Other Hand".
                                        lobby card de King Kong

 
                                lobby card de Zaroff, o Caçador de Vidas


 A única outra atriz em destaque no gênero na época foi *Elsa Lanchester (1902-1986), por seu papel-título em “The Bride of Frankenstein” (A Noiva de Frankenstein, 1935), mas apesar de ter-se imortalizado como um ícone do horror, nunca se dedicou ao gênero.
                                          Evelyn e os Monstros...

Nos anos 40, com o domínio dos filmes “B”, os estúdios investiram na promoção de novas heroínas para filmes de monstros.*Evelyn Ankers (1918-1985), britânica nascida no Chile, depois de  contracenar com Lon Chaney Jr. em “The Wolf Man”(O Lobisomem, 1941), passou a ser  assediada por toda sorte de criaturas em “The Ghost of Frankenstein” (O Fantasma de Frankenstein, 1942) com Bela Lugosi e Lon Chaney Jr., “The Mad Ghoul”(1943) com George Zucco, “Son of Dracula” (O Filho de Drácula, 1943) com Lon Jr., The Invisible Man’s Revenge” (A Vingança do Homem Invisível, 1944) com John Carradine, “Hold That Ghost” (Segurem o Fantasma, 1941) com Abbot & Costello, Captive Wild Woman (A Mulher Fera,1943) com John Carradine e Acquanetta, “Weird Woman” (Feitiço,1944)com Lon Jr.e Anne Gwynne, onde Ankers é a vilã, “Jungle Woman” (1944) com Acquanetta, “The Pearl of Death” (1944) com Basil Rathbone e Rondon Hatton e “The Fronzen Ghost” (1945) derradeira parceria com Lon jr. Em 1944 ela se casou com o ator Richard Denning e se retirou do cinema no começo dos anos 50.
A segunda Scream Queen mais ativa nos anos 40 foi *Anne Gwynne (1918-2003). Estrela em um grande número de policiais e westerns “B”, ela é mais lembrada  no entanto, como a eterna vítima de monstros e cientistas malucos. Em seu primeiro filme ”Black Friday” (Sexta feira 13, 1940) era a filha de um dos muitos médicos loucos vivido por Boris Karloff, para depois ser a Vilã Sonja no seriado "Flash Gordon Conquers the Universe" (1940). Em seguida apareceu em  “The Black Cat” (O Gato Preto, 1941) com Karloff e Bela Lugosi, “The Strange Case of Dr. RX (1942) envolvida com um gorila com cérebro humano, “Weird Woman”( Feitiço,1944), e “House of Frankenstein” (A Mansão de Frankenstein, 1944) com Karloff, John Carradine e Lon Chaney Jr., onde ela era a vítima pretendida pelo conde Drácula! Sua carreira no terror foi até os anos 50 quando apareceu em “Teenage Monster” (1957) como a mãe do adolescente-problema. Sua filha de verdade *Gwynne Gilford, honraria a tradição familiar ao participar anos mais tarde de:  “Beware,The Blob!”(1972), “Satan’s School for Girls” (1973) e “Fade To Black”(1980).
                       foto publicitária de House of Frankenstein com o Drácula de John Carradine
                                                               azarando o namoro de Anne Gwynne

Outras corajosas garotas foram escaladas na época para fugirem de montros e gritarem desesperadas, como a já citada *Acquanetta, mais *Peggy Moran, *Anne Nagel e *Gale Sondergaard. A  década de 50 foi a dos monstros gigantes, discos voadores e ficção mais ou menos científica. Poucas atrizes conseguiram nesta época ter o carisma e o impacto comercial necessário para se sobressair em produções de baixo orçamento e que destacavam mais do que nunca os efeitos (ou defeitos) especiais.
                                      Ms. Hayes e seus namorados...

A mais esforçada Foi *Allison Hayes( 1930-1977), sempre lembrada por ter sido a infortunada personagem-título de “Attack of the 50 Foot Woman” (A Mulher de 15 Metros, 1958), mas antes ela já aparecera em “The Unearthly” (O Extraordinário, 1957) com John Carradine e Tor Johnson, “The Disembodied” (Dominada pelo Demônio, 1957), “The Undead”(1957) de Roger Corman e “Zombies of Mora Tau” (O Fantasma de Mora Tau, 1957). Depois de seu “grande papel”, ela ainda estaria em “The Hipnotic Eye” (Olho Diabólico, 1959) e no trash “The Crawling Hand”(1963). Com a saúde debilitada ela se afastou do cinema e morreu de leucemia e...negligência médica!
Oriunda da TV, *Gloria Talbott (1931-2000) é considerada a mais bela Scream Queen dos anos 50. Sua estréia no gênero se deu no primeiro filme da “trilogia-dos-gigantes” do diretor/produtor Bert L.Gordon “The Cyclops” (A Maldição do Monstro, 1957). Depois ela seria a “Daughter of Dr. Jekyll” (A Filha do Médico e o Monstro, 1957),  teria um marido muito estranho em “I Married a Monster From Outer Space” (Casei-me com um Monstro, 1958) e acabaria se envolvendo com Vudú em “The Leech Woman” (Vaidade que Mata!, 1960). 

                                      Casei-me com um Monstro

Uma descoberta do mestre "B" Roger Corman foi *Beverly Garland (1926-2008) que estrelou para ele “It Conquered the World” (1956) e “Not of this Earth (Emissário de Outro Mundo, 1957), duas pérolas da Sci-fi trash! Mas Beverly esteve no Brasil encontrando o “Curucu, Beast of the Amazon” (Curuçu - O Terror do Amazonas, 1956) ao lado de nossa Luz Del Fuego, enfrentou um homem pré-histórico em “The Neanderthal  Man” (O Homem Fera, 1953) e um homem-jacaré em “The Alligator People”(O Jacaré Humano, 1959).
                                
Curuçu o Terror da Amazônia




Anos depois ela se tornou uma bem sucedida empresária do ramo de hotelaria de luxo e passaria a fazer apenas participações especiais na TV.
            
                                  A Maldição do Demônio

A louca década de 60, traria uma das maiores estrelas femininas do Horror: *Barbara Steele (1937), atriz principal do clássico “La Maschera del Demonio”(A Maldição do Demônio, 1960) de Mario Bava. Sua beleza exótica impressionou Fellini e outros diretores italianos, entre eles Riccardo Freda, que disse em entrevista: “...seus olhos são metafísicos, irreais, impossíveis...às vezes em certas condições de luz e cor, seu rosto assume uma aparência não-humana...espectral!”. A inglesa Steele estrelaria depois: “The Pit and the Pendulum” (A Mansão do Terror,1961) de Corman com Vincent Price, “Lo Orrible Secreto Del Dottore Hichcock” (O segredo do Dr. Hichcock, 1962), “Lo Spettro” (O Dêmonio e o Dr. Hichcock, 1963), “La Danza Macabra” (A Dança macabra, 1964), “I Lunchi Capelli Della Morti” (A Máscara do Demônio, 1964), “Amanti d’Oltratomba” (Os Amantes Vampiros, 1965) e muitos outros, continuando ativa até hoje. Barbara Steele encarnou diversas vezes papéis malignos, extrapolando assim a definição de Scream Queen...ela nem sempre foi vítima!

                                                          A Rainha do Horror !!!

                                          Clive Barker & Tim Burton falam sobre Barbara Steele

Outra inglesa de sucesso nos anos 60 foi *Hazel Court (1926-2008) que iniciara sua carreira na década anterior com “The Ghost Ship”(1952) e com o papel de uma exótica alienígena na FC/Trash/clássica “The Devil Girl From Mars” (1955). Mas ela passou realmente a ser conhecida após viver Elizabeth, a noiva preocupada do Dr.Victor (Peter Cushing) em "The Curse of Frankenstein" (A Maldição de Frankenstein, 1957), primeiro clássico da Hammer, dirigido por Terence Fisher.

                                           Ms. Hazel Court....

                                      O Ataúde do Morto-Vivo

Após dois outros filmes menores do gênero, "The Man Who Could Cheat Death" (O Homem Que Enganou a Morte, 1959) e "Dr.Blood's Coffin" (O Ataúde do Morto-Vivo, 1961), se mudaria para Hollywood, onde sob a batuta de Roger Corman entraria para o ciclo de adaptações da obra de Edgar Allan Poe. Em 1962, ela seria a esposa do cataléptico Ray Milland em "The Premature Burial" (Obsessão Macabra), depois estaria em meio aos ícones do horror Karloff, Price e Peter Lorre fazendo palhaçadas na comédia de humor-negro "The Raven" (O Corvo, 1963) e finalmente no magnífico "The Mask of The Red Death" (Orgia da Morte, 1964) com Vincent Price, onde sua personagem perturbada acaba se sacrificando em honra ao capeta. Após várias inscursões por séries televisivas como "Thriller", "Além da Imaginação" e "James West", passou a dedicar-se a pintura e escultura. Em 1981 para pagar um favor ao amigo produtor Harvey Bernhard, faria uma ponta em "The Final Conflict" (Conflito Final- A Última Profecia/A Profecia III), na cena de caça a raposa. Segundo sua amiga Ingrid Pitt, todas as Scream Queens da Hammer a consideravam "A Maior". Sua autobiografia "Hazel Court- Horror Queen" foi lançada postumamente.


                                    com Karloff no set de "O Corvo"

A Hammer Films foi a grande promotora de strarlets do gênero. Sua política era sempre oferecer caras (e corpos) novos, normalmente belas modelos. Muitas tiveram carreiras fugazes, mas *Ingrid Pitt (1937-2010) uma loira polonesa, que começara sua carreira no cinema espanhol de terror, ficou marcada como a mais fatal das vampiras de então! Mostrando seus caninos (e um pouco...mais) em "The Vampire Lovers" (Os Amantes Vampiros, 1970), Countess Dracula (A Condessa Drácula, 1970), além de estar presente em "The House that Dripped Blood" (A casa Que Pingava Sangue, 1970) e " The Wicker Man" (O Homem de Palha, 1973) ambos com Christopher Lee.


                                                       Ms. Pitt..sempre vamp...



* A ex-modelo inglesa Barbara Shelley(1933) começou sua carreira no cinema italiano. Em 1957 fez seu primeiro filme de terror, "Cat Girl", no papel principal. Esteve no clássico da Sci-Fi "Village of the Damned" (A Aldeia dos Amaldiçoados, 1960) e seu primeiro filme na hammer foi "The Gorgon" (A Górgona, 1964) de Terence Fisher com Chris Lee & Peter Cushing. Seu papel de Helen, a vítima sexy e preferida do conde vampiro em "Dracula Prince of Darkness" (Drácula- o Príncipe das Trevas, 1965) a elevaram ao patamar de "A primeira-dama do Horror Britânico", título que defenderia ao aparecer ainda em "Rasputin - The Mad Monk" (1966) também com Christopher Lee e "Quartemass and the Pit" (Uma Sepultura na Eternidade, 1967) de Roy Ward Baker. Shelley dedicou-se depois a televisão, aparecendo em séries e especiais com uma longa carreira.

                                              "i coming to get you...Barbara Shelley!"



Além de Shelley, tivemos a beleza inquietante de Martine Beswick (1941), nascida na Jamaica, mas de família inglesa, fez sucesso em concursos de beleza, e entrou para o cinema para ser "Bond-Girl" em "Moscou Contra 007" (1963) e "007 Contra a Chantagem Atômica" (1965) mas chamou a atenção do mundo todo ao lutar com Raquel Welch (as duas vestindo farrapos de pele animal) no épico fantástico-pré-histórico "One Years Million B.C." (1966) e acabou novamente em épocas jurássicas em "Slave Girls" (Mulheres Pré-Históricas, 1968). Seu melhor papel no entanto viria como a cara-metade(literal) do Dr.Jekyll em "Dr. Jekyll and Sister Hyde" (O Médico e a Irmã Monstro, 1974) uma sensual e exótica reinvenção da história do médico e o monstro.














        




                                                   Beswick a rainha das mulheres pré-históricas

                    

                              você acreditaria que ele (Ralph Bates)...era ela (Beswick)...ou vice-versa ?



Finalmente para encerrar com chave de ouro, as garotas da Hammer, a loiríssima e bela *Veronica Carlson (1944), que era modelo publicitária até o produtor  Michael Carreras leva-la para a "Casa do Martelo", primeiro em "Dracula Has Risen From the Grave" (Drácula, O Perfil do Diabo, 1968) com Christopher Lee, depois em "Frankenstein Must Be Destroyed"(Frankenstein tem Que Ser Destruído, 1969) onde protagonizou uma das cenas mais polêmicas da produtora, quando o Dr. Frankenstein de Peter Cushing a estupra violentamente.

foto autografada de Veronica

Mesmo asim a corajosa moça se envolveu novamente com o maluco dr. (agora vivido por Ralph Bates) em "The Horror of Frankenstein" (O Horror de Frankenstein,1970), mas agora sendo mais cobiçada pelo monstro careca e forçudo vivido pelo futuro "Darth Vader" David Prowse.   
Veronica ainda estaria em "The Ghoul" (1974) com Peter Cushing e na comédia "Vampira"(1975) com David Niven. Depois ela se aposentaria, dedicando-se ao Origami e as convenções de terror.


Veronica Carlson, a vontade em The Ghoul


                                                                  ############

                com Martine Beswick                                                       com Ingrid Pitt



                                           Veronica Carlson no cartaz de Drácula, o Perfil do Diabo


                                                             o Médico e a Irmã Hyde


                                                                      com Hazel Court
                                                        
                                                                   Pitt é Bathory...

*...e no proximo capítulo...Caroline Munro, Nasstasja Kinski, Jamie Lee Curtis & a época de ouro das Scream Queens com Linnea Quigley, Monique Gabrielle, Brinke Stevens, Michelle Bauer, Debbie Rochon e muito, muito...Muito mais.....


                                                                                             por Titio Coffin Souza...

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...