segunda-feira, 11 de junho de 2012

Brincando com Bonecas - Parte 1: Bonecas Macabras


Ojito e Pinzinho (baseado no personagem Pinhead do filme Hellraiser) - Bonecas aterrorizantes de Coffin Souza


A automatonofobia é o medo , pânico ou terror para com bonecos, ventríloquos, estátuas de cera e criaturas animadas. E essa fobia não é algo exclusivo de crianças, muitos são os adultos que sofrem com os sintomas dela, apesar que alguns não admitem.
DemonKidz Dollworks
A verdade é que toda criança, em algum momento da sua infância, já sentiu medo ou imaginou seus brinquedos ganhando vida enquanto ela dorme. Bonecas são mesmo estranhas: a gente nunca sabe o que se passa por trás daquela carinha ingênua e meiga ou daquele sorriso maroto. Eu mesmo entrava em pânico ao pensar que minhas bonecas podiam se mexer ou conversar entre si quando eu não estava presente.
Esse medo é tão comum que muitos são os filmes que abordam o tema. Mas essa não será uma matéria sobre as bonecas macabras do cinema (falaremos  sobre isso num próximo post). Vamos falar agora sobre bonecas modificadas/criadas por artistas. Bonecas com aparência sombria, tenebrosa, medonha, aterrorizante, mumificada, domoníaca e que fariam as crianças (e adultos medrosos!) sairem correndo.
Abaixo alguns artistas e suas bonecas excêntricas que não lembram nem de longe a doce  estética dos brinquedos infantis.

Hans Bellmer, criador de bonecas articuladas e "sexys":
Nasceu no dia 13 de Março de 1902 em Kattowitz, na Alemanha (Polônia hoje em dia). O fotógrafo, pintor, escultor e escritor, formou-se em engenharia por vontade do pai.
Em 1933 construiu a sua primeira boneca (Die Puppe), com a ajuda do seu irmão. A escultura-boneca era uma adolescente feita de gesso e papel-maché, e tinha articulações que lhe permitiam colocá-la em diversas posições. Esta primeira boneca rendeu mais de 30 fotografias inspiradas em temas de fantasias adolescentes, morte e melancolia. Bellmer passou então a criar muitas outras bonecas deformadas, perturbadoramente fetichistas, como protesto contra o regime nazista e o seu culto do corpo e também como expressão do erotismo.
 
As partes articuladas dos corpos podiam ser desmembradas e posicionadas de várias formas, resultando assim em centenas de fotos em posições sadomasoquistas eróticas inimagináveis com cada obra de arte. Corpos mutilados e deformados, que despertam tanto a repulsa como a atração, questionando os padrões de beleza impostos e idéias sobre gênero e sexualidade.  



   



















Em 1938 sua obra foi considerada pornográfica e Bellmer decide assim mudar-se para França onde continuou com sua arte até 24 de fevereiro de 1975 quando faleceu de cancro.


Jon Beinart e as bizarras Centipedes Dolls:
Jovem pintor, desenhista, curador de exposições, autor de livros sobre artistas contemporâneos que o inspiram, mora em Melborune na Austrália, e é mais conhecido por suas curiosas esculturas gigantes denominadas “Toddlerpede” feitas com uma quantidade absurda de bonecas plásticas.
Seus enormes bebês, com uma infinidade de braços e pernas, lembram exóticas e medonhas lagartas, seres mitológicos, escorpiões hibridos e outros insetos esquisitos... e são ao mesmo tempo estranhos e muito bonitos.





Cena grotesca de um bebê montando um toddlerpede. Ou estariam acasalando?



As esculturas de Beinart alcançaram bastante notoriedade na internet através de blogs populares e sites de redes sociais. Para quem quiser saber mais sobre as esculturas macabras de Jon e conhecer também suas pinturas, essa é sua fanpage no Facebook: http://www.facebook.com/jonbeinart

Shain Erin e as bonecas encantadoramente mórbidas:
A especialidade do jovem artista plástico Shain Erin é a criação de bonecas grotescas, que lembram zumbis, múmias, fantasmas, esqueletos, extra terrestes e seres mitológicos. Shain é americano,  formou-se em Belas Artes pelo instituto de Arte de São Francisco, e também realiza trabalhos de pintura e artes digitais. Mas com certeza foi sua paixão por múmias e a idéia de explorar esse tema em suas esculturas que o tornou um artista tão interessante, com trabalhos que chamam a atenção causando um misto de asco e encanto.









As bonecas nada meigas de Shain Erin já foram expostas nos Estados Unidos, Austrália, Inglaterra, Noruega, França, Alemanha e Canadá. Site do artista: www.shainerin.com


 Olivier Pauwels e os cyberbabies:
O artista plástico belga é conhecido por criar extraordinários bonecos a partir de bonecas clássicas antigas e peças de  máquinas, como acessórios de carro, fios, restos de televisores e eltrodomésticos... Transformando assim esses diversos objetos em curiosas "máquinas humanas". Um momento vital na sua carreria artística foi quando o jovem artista entrou em contato com fantoches por causa de um trabalho escolar. Enquanto ele explorava o sotão de casa, ficou fascinado pelos marionetes/bonecos e pelo mundo bizarro que criou ao seu redor. Mas ele não apenas se deparou com fantoches, descobriu também velhos aparelhos. Então ele desmantelou esses instrumentos, vinculou seus componentes junto com a marionete e criou assim seu primeiro cyberbaby. Histórias que seu avô contava sobre a guerra e experiências nazistas também o inspiraram. Suas obras são uma espécie de protesto contra a clonagem.





As cyberdolls de Olivier Pauwels com capacetes e armas podem não ser tão assustadoras, mas mostram um grande contraste entre inocência infantil dos brinquedos e a perversidade adulta das guerras, nos fazendo refletir.


Mais informações no site do artista: http://www.olivierpauwels.com/

As machucadas e tristes bonecas de Nita Collins:
Escultora desde 2004, a norte-americana Nita Collins cria bonecas adornadas com cicatrizes enrugadas, ferimentos, buracos, queimaduras e olhares profundos e tristes... tudo isso com traços super realistas e extremamentes delicados. 
Desde a sua infância ela se interessava por mitos, contos de fadas, folclore e se inspira em tudo isso para produzir suas bonecas encantadoramente grotescas e apresentando sua própria versão (triste, claro!) para sereias e faunos. Suas obras são ricas em realismo, beleza e detalhes, mostrando evidências de violência, tatuagens, escarificações.










Para conhecer mais sobre a arte de Nita Colins, visite seu perfil no Deviantart: http://sleetwealth.deviantart.com/ 

Bebês mutilados e sangrentos de Jeremi Rimel:
Jeremi Rimel é um jovem que mora em Harrisonburg, Vírignia (EUA). O artista que começou mutilando bonecas na infância, em 2007 montou a sua própria empresa de brinquedos: a Miscreations Toys, oferecendo uma variedade de brinquedos de artes originais. Cada um dos seus bebês é feito a partir de um corpo de boneca reciclado/usado, dissecadas e refeitas em nova versão, muito mais bizarra e assustadora. Criadas com materiais de alta qualidade, duráveis e todas pintadas a mão. 
 


 


A caixa craniana desse bebê monstrinho pode ser aberta para revelar suas entranhas





Quer saber mais ou, quem sabe, comprar um desses bebês monstruosos? Visite o site  do artista http://www.autopsybabies.com

Arrepiantes bonecas de Crhistie Bastet:
A norte-americana Crhistie Bastet, que também pinta  quadros, começou a criar bonecas assustadoras, a partir de peças de segunda mão (assim como alguns outros artistas acima), em pareria com o marido, e  vendê-las no site Ebay com o nome de Bastet2329. Suas bonecas macabras fizeram um grande sucesso, e hoje, 4 anos depois, ela possui seu próprio site de vendas e é conhecida e admirada em vários países, apesar de não viajar para longe em festivais de arte porque ela tem uma filha ainda pequena e prefere se dedicar a maternidade. 
Sua coleção, chamada Creppy Dolls, apresenta bonecas com rosto de crânio, dentes deformados no lugar de olhos, vampiras  ensanguentadas, freiras possuídas, palhaços chorando lágrimas de sangue, menininhas vudus... tem até uma versão zumbi da Alice!



































Site da artista: http://www.bastet2329.com

Bonecas/esqueletos de Badge:
O nome real desse artista plástico é Barry Morris, mas ele adotou o nome artístico de Badge, apelido que recebeu ainda na escola. Anatomia e o medo são suas maiores inspirações. Desde criança ele sentia medo de bonecas e sofria terríveis pesadelos. Então, mais tarde, enfrentou esse medo e passou a "dissecar" bonecas, transformando-as, dando-as um esqueleto. Os delicados e leves vestidos florais de suas bonecas contrastam com a dura e violenta face da morte.







Saiba mais sobre as mórbidas bonequinhas no site do artista: http://badgemakesart.co.uk

Bonecas malígnas de Jade Perez:
Jade Perez mora Em Edmonton, Alberta, Canadá, onde produz suas bonecas assustadoramente más desde 2006. Todas as suas criações são feitas 100% à mão, sem moldes ou padrões, com um tipo de massa modelável, metais e muita criatividade. Bonecas monstruosas, com lesões, mutiladas, com semblante malígno são comuns em sua arte. A maioria das suas bonecas apresenta olhar perturbador que sugere raiva, loucura e ódio. Com dentes irregulares e podres, sorrisos malígnos, olhares doentis, suas bonecas nos causam pavor, perplexidade e espanto ao mesmo tempo que nos fascinam.












Para conhecer mais sobre o trabalho de Jade Perez, visite seu site: http://www.themorbiddollhouse.com/


Beth Robinson e suas bonecas estranhas:
Beth Robinson é uma artista autodidata que mora em Vermont, EUA. Desde 2003 ela produz bonecas diferentes e com um leve toque de macabro. Suas bonecas são feitas à mão, utilizando como materiais argila de polímeros, tecidos vintage, tinta acrílica, e muitas vezes cabelos e dentes humanos e pêlos e bigodes de animais como o gato, por exemplo.
Seus trabalhos já foram expostos em várias galerias nos EUA, Inglaterra, Holanda e Alemanha.
Suas bonecas não são tão assustadoras e macabras, mas com certeza são criativas e originais. Em suas obras é bastante comum a mistura genética entre homem e animais, resultando estranhas e curiosas criaturas.



Fanpage da artista no Facebook: http://www.facebook.com/bethrobinsondolls


Gothic Dead Dolls de D.L. Marian:
Antes de se tornar uma artista plástica criadora de assombrosas bonecas, D.L. Marian foi escritora e música. Ela mora em Hatfield, Pennsylvania nos EUA. 
Os temas preferidos para a confecções de suas bonecas são: vampiros, crianças mutantes ou com deformidade, zumbis, crianças demoníacas, bebês vítimas de assassinato ou tortura, mumificação.





Aprecie mais da arte de D.L. Marian no site da artista: http://darkcreation.com/

Os "Patinhos Feios" de Lesley-Anne Green:
As bonecas de Lesley-Anne estão longe de ser assustadoras, mas não agradariam as crianças mais exigentes, pois todas retratam menininhas feias e desengonçadas. A artista nasceu em Huntsville, Ontário, Canadá e se mudou para Toronto para estudar Arte, onde vive até hoje com seu marido, o cartunista Jeff Lemire, e com seus três gatos. Seus trabalhos já foram exibidos em Toronto, Santa Fé, Seattle e Berlim, e chamam atenção pela deformidade das garotinhas, geralmente orelhudas e com nariz e dentes horrivelmente grandes e tortos.


Veja mais em lesleyannegreen.blogspot.com (todos seus trabalhos são doces e fofos)

Bebês endemoniados de Mare (DemonKidz):
Mare mora na Florida e todas as vezes que seus pais a presenteavam com bonecas, ela acabava transformando-as em múmias enroladas em tecidos, ou então pintava os olhos e dentes transformando-as em malvados bebês vampiros. Depois de adulta, por volta de 2000, Mare voltou a produzir os macabros bebês como passatempo, presenteando amigos e familiares, e também vendendo-as pela internet. O tempo passou e sua técnica melhorou muito desde então e suas criações agora podem ser vistas nas capas de álbuns e cartazes de bandas independentes e em fotografias de arte. 





Site DemonKids: http://www.demonkidz.com/

Bonequinhas fúnebres de Julien Martinez:
Julien Martinez nasceu em 1970 em Bordeaux, França. No ínício dos anos 90 começou a produzir bonecas incomuns que foram muito bem recebidas pelo público. Suas criações são personagens impregnadas de sentimento de melancolia, geralmente com olhos vermelhos lacrimejantes, cabelos descontroladamente despenteados, trajes fúnebres e ar sombrio e mórbido. Muitas das bonequinhas encantadoras lembram zumbis frecos, enquanto outras já estão em fase de decomposição, ou então, estão apenas recém mortas, deitas no caixão como se estivessem dormindo. Outras, com fisionomia enrugada e ar macabro, lembram as bruxas das histórias infantis. Julien diz que sua inspiração vem de inúmeras fontes visuais e literárias, filmes e histórias de fantasias como conto de fadas.








Site de Julien Martines: http://www.ozzdollsfactory.com/

Menininhas tristes de LoopyBoopy:
Colleen Downs ou LoopyBoopy mora em Nova Orleans, Los Anegeles com o marido e a filha. Artista autodidata trabalha desde os anos 90 com esculturas, mas só recentemente começou a se dedicar à produção de bonecas. Cada uma de suas peças é esculpida e pintada à mão, e vestidas com lindos e detalhados trajes feitos com retalhos de tecido vintage e rendas. As bonecas de LoopyBoopy, sejam elas palhaços, diabinhas ou casal de noivos, chamam atenção pelo semblante deprimido e infeliz.

Acompanhe o trabalho da artista em seu blog: http://loopyboopy.blogspot.com.br/


Quer mais? Em breve a segunda parte do post, com as bonecas macabras do cinema. E mais tarde, um post sobre bonecas sedutoras, sexys e/ou transtornadas. Aguarde!!!



Texto e pesquisa Gisele Ferran
@Gi_de_Gisele

 

2 comentários:

  1. Nossa, nem sei por onde começar meu comentário, pois é um trabalho mais lindo do que o outro *-*
    Acho que só relendo e comentando um por um mesmo, rs

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela matéria adoro essas bonequinhas freak são o máximo, curto bastante Shain Erin bonequinhas assustadoras para gente grande...beijos para vocês e continuem mandando muito bem!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...