segunda-feira, 4 de junho de 2012

CAROLINE MUNRO - As Rainhas do Grito parte 2



CAROLINE MUNRO- Nascida em Windsor, Inglaterra, em janeiro de 1949... a jovem Caroline seria internada em uma escola de um convento católico, mas um concurso de um jornal descobriu seu lindo rosto e aos 17 anos começou sua carreira de modelo fotográfica e em comerciais da TV. Logo estaria escalada para pontas meramente decorativas em "Cassino Royale"(1967) , "Where's Jack?"(1969) e "The Private Life of Sherlock Holmes" (A Vida Íntima de Sherlock Holmes, 1970) de Billy Wilder.Sua beleza felina e seu corpo maravilhoso começaram a se destacar a partir de “The Abominable Dr.Phibes”(O Abominável Dr.Phibes, 1971) de Robert Fuest. Sua presença como Victoria, a amada e falecida esposa do deformado Dr.Phibes(Vincent Price) é apenas através de fotos que o enlouquecido médico cultua, mas abriram as portas do mundo do cinema fantástico para esta morena de olhos expressivos.

Assim também foi com a sequência "Dr.Phibes Rises Again" (A Câmara de Horrores do Diabólico Dr.Phibes, 1972) de Robert Fuest com Price, mais Peter Cushing, Robert Quarry e o hilário Terry-Thomas. Mesmo com pontas minúsculas, sem falas e não creditada (mas importante na trama) miss Munro foi muito notada nestas misturas de horror e humor negro que também continham outra figura feminina sensual e marcante: a assistente do Dr. Phibes, Vulnávia (Virginia North no primeiro filme e Valli Kemp no segundo).



Tanto, que a prestigiada produtora de Horror, Hammer Productions , assinou um contrato com Caroline, diga-se de passagem, a única mulher a ser uma contratada da casa que tinha como destaque Christopher Lee e Peter Cushing!
Pois a gata foi uma das "meninas incrementadas de Londres que fundem a cuca do pobre conde...o conde Drácula é o maior sarro da Paróquia!"...(segundo as hilárias frases de publicidade no material publicitário da época).


"Dracula A.D.1972" (Drácula no Mundo da Minissaia,1972) de Alan Gibson, tentava mesclar a eterna luta dos inimigos mortais, Van Helsing/Drácula com a psicodelia da Londres dos anos 70. Rock (com a banda "Stoneground), garotas  "hippies" bonitas (além de Caroline, Stephanie Beachman, Marsha Hunt e Janet Key) e rituais de magia negra (também uma moda "jovem" na época...).

















                            Caroline Munro nas garras (e dentes) do Drácula de Chris Lee!


O diretor e escritor inglês Brian Clemens, famoso pelo sucesso da série de TV "The Avengers", tentou junto com a Hammer criar uma série que mesclasse os vampiros típicos da produtora, com ação tipo histórias em quadrinhos, western spaghetti, fantasia heróica e humor. Chamou Caroline Munro para viver a gostosa cigana Carla, que acompanha o corajoso Kronos (Horst Janson) e o corcunda Professor Grost (John Cater) em "Captain Kronos Vampire Hunter"(1972). 
                                                      a linda cigana Carla


Apesar de divertido e com boa produção e elenco,a mistura  não agradou os executivos responsáveis pela distribuição do filme e ele só seria lançado dois anos mais tarde, não fazendo sucesso e cancelando a proposta série.

 Capitão Kronos é assediado por diversas Hammer-Girls, mas protegido pela bela Caroline...


Logo depois, Caroline seguiu sua vocação de acompanhar heróis em aventuras fantásticas ao viver a escrava Margiana, que possui uma misteriosa tatuagem na palma da mão e é uma das chaves para Sinbad (John Phillip Law) vencer o sinistro Koura (Tom Baker) em "The Golden Voyage of Sinbad" (As Novas Viagens de Simbad, 1973) de Gordon Hessler com uma história do mesmo Brian Clemens e os efeitos especiais maravilhosos do mestre Ray Harryhausen.




As criaturas fantásticas de Harryhausen só são ofuscadas pelo visual da  escrava Margiana

Caroline esteve bem acompanhada de atores- Cult em um drama sinistro chamado "I Don't Want To Be Born" (O Bebê Infernal, 1975) de Peter Sasdy com Joan Collins, Donald Pleasence e Ralph Bates. Ela faz o papel de Mandy, a melhor amiga de Lucy (Joan Collins) que está sofrendo com seu filho recém nascido que cresce de forma assustadora e revela instintos assassinos, possuído por um espírito maligno! Os anos 70 foram pródigos em filmes sobre bebês/crianças monstruosas como  a série "It's Alive"( Nasce Um Monstro, 1973) de Larry Cohen, aonde este exemplar britânico se enquadra.


Mas o "chão" de Caroline sempre foram as aventuras fantásticas, assim ela foi chamada pra embelezar "At The Earth's Core" ( No Coração da Terra, 1976) de Kevin Connor.


A produtora Inglesa Amicus International (rival da Hammer Films) havia iniciado em 1975 , uma série de filmes baseados livremente na obra de Edgar Rice Burroughs ( o criador de Tarzan) sobre mundos perdidos , dinossauros e outros monstros gigantes. Todos estrelados pelo "astro B" Doug McClure, dirigidos por Kevin Connor , produzidos por John Dark e com efeitos especiais baratos ,com monstros mecânicos e dublês com fantasias falsas..mas tudo com uma boa dose de diversão e aventura tipo "sessão da tarde".  


                            cartaz japonês com autógrafo de miss Munro

"At The Earth's Core" foi o penúltimo da série, e trazia McClure com a honrável companhia de Peter Cushing, vivendo um cientista meio abilolado que inventa uma máquina com uma broca gigante para penetrar no centro da terra, aonde descobrem a terra perdida de Pellucidar. Lá os seres humanos são escravos e vítimas de monstruosas criaturas gigantes misto de homens e répteis chamadas Mahars. Na tribo de escravos o interesse romântico do "pegador" McClure: a linda escrava/guerreira chamada Dia (Munro).






Munro acabaria nas garras (ou melhor, nos braços) de outro "grande pegador" : James Bond em "The Spy Who Loved Me" ( 007, O Espião Que me Amava, 1977) de Lewis Gilbert.
Na milionária aventura do agente secreto, uma confusão com submarinos nucleares, coloca Bond (Roger Moore) ao lado de uma linda agente Russa (Barba Bach) cujo namorado ele havia mata-do em uma missão anterior. 



Caroline Munro faz o papel da sedutora Naomi, que é a anfitriã que conduz o casal principal até a cidade de Atlantis. Uma das típicas "Bond-Girls" que enfeitam a  movimentada e fantástica história cujo maior destaque era a presença do ameaçador gigante-com-dentes-de-aço chamado Jaws (Richard Kiel). 


De uma aventura milionária com toques fantásticos, para uma ficção científica com ares de space-opera, mas orçamento bastante minguado. Caroline Munro foi ao espaço viver a heroína Stella Star (clone de Barbarella) que enfrenta a ameaça do terrível Conde Zarth Arn (clone de Darth Vader vivido por Joe Spinnel) em "Scontri Stellari Oltre La Terza Dimensione" (Starcrash/Colisão nas Estrelas, 1978) de Luigi Cozzi.


A ação (clonada de Star Wars) tinha efeitos especiais em stop-motion (clonados de Ray Harryhausen) e miss Munro e mais uma dezena de garotas espaciais de biquini, além de uma dupla de heróis meio boiolas( David Hasselhoff & Marjoe Gortner). Diversão trash & cult italiana!










Starcrash, além de colocar Caroline Munro como atriz principal, ainda criou uma parceria sua nas telas com o feioso e talentoso Joe Spinell (1936-1989), o típico caso de "a bela e a fera". Em "Maniac" (Maníaco, 1980) de William Lustig ela vivia Anna, uma fotógrafa que passa a ser o centro das atenções de Frank Zito (Spinell) um psicopata que coleciona escalpos de belas garotas pelas ruas de New York.
 Um psycho-killer perturbador e violento, com ótimos efeitos gore (e uma ponta) de Tom Savini.



Em 1982 eles foram reunidos novamente em "The Last Horror Film" (Fanático) de David Winters, aonde Caroline Munro vivia o papel auto referencial de Jana Bates uma atriz, que durante o festival de Cannes é assediada por um fã-fanático (Spinell) que a quer em seu próprio filme, não poupando ninguém que se intrometa em seu caminho...




Nesta época ela iniciou uma curta carreira de vocalista de rock e aparece cantando no psycho-killer "Don't Open Till Christmas" (O Terror Pode Esperar, 1984), além de ser a apresentadora de um popular Game-Show da TV inglesa.
Caroline esteve envolvida com outro tipo de psicopata na comédia de horror "Slaugther High" (1986) de George Dugdale, Petter Litten e Mark Ezra, sobre um grupo de ex-colegas de escola que se reúnem 10 anos depois de formados e são chacinados por um nerd deformado, vítima de um violento bulling por parte do grupo.





A beleza de Munro, novamente esteve em meio a monstros e crimes cruéis em "El Aullido Del Diablo" (1988), direção, roteiro e estrelado por Paul Naschy (Jacinto Molina), o grande mestre do terror na Espanha. Numa trama em que homenageia os grandes monstros do cinema e faz referãncia s sua própria carreira, Naschy vive o fracassado ator Hector Doriani, que com a ajuda de seu sinistro mordomo Eric (Howard Vernon) rapta mulheres e pratica estranhos rituais de sexo e morte, sempre fantasiado como um dos ícones do terror.





O sobrinho de Hector, fantasia com seu falecido pai, um grande ator de filmes de terror e o vê a toda hora como o monstro de Frankenstein, Quasímodo etc. Para complicar a trama ,surge a bela Carmen (Caroline Munro), disposta a seduzir e conquistar Hector, de olho em sua fortuna e, claro sem saber de suas tendências macabras...















Mas a convivência da Scream Queen britânica com o homem-lobo espanhol não foi das melhores, em um filme marcado por problemas de produção e posteriormente de distribuição, sobraram farpas para todos os lados ( e de ambos os lados) em entrevistas para revistas e jornais.
 Do fogo para a frigideira...Munro é escalada para viver a personagem Barbara Hallen, que é o motivo inicial para a investigação que culmina em horrendas e sangrentas descobertas em "Les Prédateurs de la Nuit" (Faceless, 1987) de Jesus Franco.


Produzido pelo "Papa" do vídeo francês René Chateau, que esteva interessado em ter um filme de terror  que fosse estrelado pela Diva-Sexy Européia Brigitte Lahaie (em breve aqui...) e a melhor opção para dirigir caiu sobre Franco. A livre refilmagem do clássico francês "Les Yeux Sans Visage" (1959) de Georges Franju, começou timidamente mas assumiu ares de "super-produção" (principalmente para os padrões de Franco) e uma série de astros internacionais (Telly Savalas, Helmut Berger, Anton Diffring,Howard Vernon( ator fetiche de Franco, reprisando seu eterno pepel do Dr. Orloff) Chris Mitchum, Florence Guérin, Brigitte Lahaie e claro...Caroline Munro!) foram escalados e efeitos especiais de maquiagem (do mestre do gore francês Jacques Gastineau) aprimorados.


Na trama, o famoso cirurgião plástico Dr. Frank Flamand (Berger) é obcecado em em restaurar o rosto de sua irmã, deformado por ácido, e para isto, sacrifica belas jovens arrancando suas peles para transplantes radicais.



A personagem de Munro, é uma modelo que é raptada pelo louco e seus comparsas e é procurada por um policial que descobre o horror por trás da clínica dirigida pela bela Nathalie (Lahaie).






Um filme de horror em produção, desperta uma bruxa poderosa chamada Lavina, que quer dominar o mundo com seu mal. A única pessoa que pode combate-la é Anne Ravenna ( Florence Guérin), que faz o papel de Lavena no tal filme...




Este primor de história faz parte de "Ill Gatto Nero" (The Black Cat/Demons 6: De Profundiis/Filmagem Macabra, 1989) de Luigi Cozzi, uma tentativa picareta de aproveitar as idéias de Dario Argento em "Suspiria"(1977) e "Inferno" de1980 (trilogia completada a pouco tempo com "La Terza Madre"/O Retorno da Maldição, 2007 ).




Muito clima, nonsense e efeitos gore e a participação, além da gostosa Florence, de Urbano Barberini, Brett Halsey e Caroline Munro como Nora Judge, outra atriz envolvida em tal projeto amaldiçoado. A produção de Ill Gato Nero (que ainda tentaram vender como sendo adaptação do conto de Edgar Allan Poe), foi complicadíssima, principalmente pelo orçamento minguado e chegou a arranhar a amizade de Munro e Cozzi (seu diretor no sucesso "Starcrash"), por conta do cachê , que ela disse nunca ter recebido. Sendo assim, o título brasileiro parece bastante acertado...




Caroline  fez participações nos filmes de terror "Flesh for the Beast" (2003) e "The Absence of Light" (2006) e atualmente roda "Crying Wolf" , uma história de lobisomem previsto para estrear em 2013.  Foi casada duas vezes e tem duas filhas : Geargine e Lona.Participa ativamente de convenções e mostras internacionais de terror e fantasia e principalmente habita o imaginário e as fantasias sexuais de muitos cinéfilos...










Leia também: Scream Quens - As Rainhas do Grito parte 1
 http://shedemonszine.blogspot.com.br/2012/03/scream-queens-as-rainhas-do-grito.html





4 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...