terça-feira, 7 de agosto de 2012

Drácula XXX





A sexualidade, sempre foi um elemento importante (e paradoxal) nos filmes de vampiros. Lesbianismo, por exemplo, esteve bastante presente nos filmes da Hammer. O poder de sedução do Conde Drácula sobre o sexo feminino sempre foi explorado, desde o galante Bela Lugosi, passando por Christopher Lee e pelas luxuriosas versões espanholas e mexicanas. 
Mas a sacanagem realmente explícita com o famoso vampiro, só começou no final dos loucos anos 60. 
"Does Dracula Really Suck?"/"Dracula and the Boys" (1969) de Laurence Merrick, é uma obscura versão hardcore-gay da história. Na verdade o diretor/produtor lançou versões diferentes do mesmo filme; "Guess What Happened to Count Dracula" (1970), por exemplo é uma comédia softcore e heterossexual utilizando parte do mesmo material filmado anteriormente. Como a versão gay aparentemente está perdida, não se sabe se o mesmo ator (Des Roberts) vivia o Conde boiola...


                                           o "suspeito" conde Drácula de Des Roberts


Outra variação sexy/trash/cômica, veio das mãos do produtor/roteirista/diretor William Edwards com seu "Dracula the Dirty Old Man" de 1969. O Conde Alucard (Vince Kelly), com a ajuda de seu assistente, um homem-chacal (Bill Whitton) rapta jovens virgens e as aprisiona em uma mina abandonada onde podem satisfazer seus desejos sexuais. Originalmente o filme foi rodado como uma história de terror & sexo "a sério", mas Edwards notou a "bomba" que tinha em suas mãos e redublou e reeditou tudo para lançar como uma comédia.
























Drácula com as garotas e o homem-chacal (máscara reciclada de "The Mummy and the Curse of the Jackals" (1969) outro filme de Edwards, ainda mais desconhecido)


Em um nível ainda mais baixo está a tentativa do famoso diretor trash Ray Dennis Steckler de lucrar alguns trocados com uma sacanagenzinha explícita com o vampiro em "The Mad Love Life of a Hot Vampire" (1971). 
Jim Parker (conhecido nos EUA como apresentador de um popular programa de filmes vagabundos de terror) é o bigodudo e miserável conde Drácula, que em Las Vegas, rapta prostitutas com a ajuda de um corcunda e de sua esposa Elaina (Carolyn Brandt/Jane Bond, mulher de Steckler). Se Ray Dennis, com seus orçamentos miseráveis, só conseguia produzir comédias e comédias de terror (como "The Incredibly Strange Creatures Who Stopped Living and Became Crazy Mixed-Up Zombies" de 1964), sua tentativa de fazer um pornô-terror é realmente sofrível.



Em 1976, Duncan Stewart dirige e produz "The Bride's Initiation", com Carol Connors, Constance Murray , Ambrosia. Drácula (Mark Brock ) rapta um casal de noivos, seduz a garota e castra o homem.Ele utiliza sua própria porra para fazer uma poção do amor com ajuda de uma bruxa, mas as coisas não dão bem certo... Pornô com as noivas do vampiro fazendo seu ritual de "iniciação" (beber porra!). Bruxas, vampiras, canibalismo & humor.. No final, Drácula se transforma em gay e desaparece junto com o detetive que investiga o caso...




Em 1979, apareceu uma comédia hard core em episódios chamada "Star Virgin", de Linus Gator, com a lindinha Kari Krark. Em um deles (em p&b) , Johnny Harden vivia um Drácula muito tarado...saiba um pouco mais, clicando o link...


Depois de tantas tranqueiras finalmente um clássico surgiu em 1979. Os produtores  investiram alto em um filme de luxo, com elenco escolhido a dedo e com caprichos na cenografia, no vestuário (sim, usava-se roupas em filmes pornôs antigos...) e na fotografia em 35mm. "Lust At First Bite" (Desejos a Primeira Mordida) de Phillip Marshak, com um elenco de porno-stars da época: Jamia Gillis como um convincente Drácula e a bela Annete Heaven vivendo uma sedutora/virginal Mina.



 Aparecem também Kay Parker, Seka, John Leslie, Serena e John Holmes. O muito mais que feioso ator Reggie Nalder ( com o pseudônimo de  Detlef Van Berg ) faz um Van Helsing assustador (não, ele não tem cenas de sexo...), e Richard Bulik é um Renfield realmente maníaco ao estilo do clássico Dwight Frye.


                                                   Drácula & Mina em ação!


Apesar de ser um ramake literal do filme de 1931 (incluindo citações de música, trechos de diálogos e a voz de Bela Lugosi ouvida num velho rádio), o conde de Gillis tinha personalidade própria. Apesar de suas presas pontiagudas, preferia fazer sexo com suas vítimas, só bebendo sangue de generosos seios. Já suas "noivas" preferiam deixar a marca de seus dentes nos proeminentes membros de caras como John Holmes (que ao se transformar em vampiro fica com presas proporcionais ao seu famoso "atributo").


                                                











   John Holmes, vampiro dentuço e....

Para a linda loira Seka ficou a paródia da famosa frase de Lugosi : "Blood is the life!", que aqui ficou como "Cum is the life!"...




O filme foi lançado em duas versões, uma hard e outra soft que se chamou "Dracula Sucks" (Drácula Chupa - E não é no pescoço), que apesar de não conter cenas explícitas, ao ser lançado no Brasil no início dos anos 80, tinha tantos cortes da censura que se tornava confuso e incompreensível.



Em 1980, surgiu uma espécie de versão não autorizada, dirigida por Warren Evans (pseudônimo do ator/diretor Shaun Costello): "Dracula Exotica" (Love at First Gulp), misturando putaria, terror e humor.


Jamie Gillis novamente bem no papel do vampiro, agora persegue "vulcões" como Samantha Fox e Vanessa Del Rio.
Depois de ter vivido por 400 anos em seu castelo, Drácula (que narra a história) decide se mudar para os EUA depois de destruir suas duas noivas vampiras. Uma contrabandista (Del Rio) é transformada em vampira por ele e se torna sua sacretária. Mas uma bonita agente da CIA acaba encontrando-o. acontece que ela é a reencarnação de sua amada noiva, que havia se suicidado depois dele estupra-la e causara toda a sua maldição.



O final é poético: depois de transar com sua amada, a maldição se quebra e os dois se transformam em pombas e saem voando ao nascer do sol.
O filme tem um ótimo roteiro, que conta inclusive com uma origem para o conde Drácula. A cena de necrofilia com Vanessa Del Rio em um necrotério é clássica no cinema hard-core.



                  Vanessa...vampira latina & caliente



E então o Conde desmunhecou novamente em "Gayracula" (1983) de Roger Earl. Desta vez, Drácula ,o Gaylord (Tim Kramer), ataca em Los Angeles e chupa bem mais do que pescoços...


Mas ele tem um inimigo mortal e centenário, o Marquês de Sade (Steve Collins)! Comédia gay-hard-core clássica, produzida para o então emergente mercado de vídeos pornôs.

Drácula adentrou os anos 90 com a figura (e o pinto) de Rocco Siffreddi em "Ejácula, La Vampira" (1992), pornô espanhol de Alessandro del Mar. Produção descuidada em canários, figurinos e maquiagens (dentes de vampiro de plástico), mas bastante bom em matéria de putaria! O imortal fodedor Ron Jeremy ( que também estava no prólogo de Dracula Exotica), marca presença  como um alucinado Renfield, comendo insetos e trepando feito louco.


                                          Rocco/Drácula...ataca!!!...e é sugado...


Uma outra versão de luxo das estrepolias sexuais do conde foi realizada pelo ótimo diretor italiano Mario Salieri "Dracula" (1994), com um elenco de belas e fogosas atrizes pornôs como Simona Valli, Deborah Wells, Draghixa, Selen 
e novamente a figura rechonchuda e engraçada de Ron Jeremy. 
Em 1495, o nobre Vlad Dracula ( Enzo Montefusco) é morto em uma batalha e seu castelo é invadido por Cruzados sádicos que torturam ( cena gore de coração sendo arrancado!) e estupram. Sua bela esposa Elizabetta (Selen), se suicida para se livrar do tormento. 1887: Elizabetta, agora conhecida como Sandy, conduz um culto de vampiras e planeja sacrifícios para ressuscitar seu marido. Ron Jeremy faz um cocheiro estuprador, e tem seu famoso "apêndice", arrancado pelos dentes de uma vampira.

Salieri realizou o filme com seu estilo pretensioso: cenários, iluminação, vestuário, elenco e efeitos especiais de primeira linha. Diversas citações são feitas ao filme de Coppola de 1992, inclusive com a linda Draghixa Laurent imitando Winona Ryder. Ou seja, putaria de classe, como um conde merece!
O Recordista em paródias pornôs Axel Braun ( Batman XXX; This Ain't Avatar XXX; Spider-Man XXX,etc... ), não podia deixar o Rei dos vampiros de fora e assim, com uma ótima produção da Hustler saiu "This Ain't Dracula xXx" (2011), sacaneando (em todos os sentidos) o livro de Bram Stocker e o filme de Coppola, em 3D!




 Evan Stone é um engraçado Drácula, Jessi Palmer é Mina; Brigitte B. e Jennifer Dark são as noivas vampiras e em uma participação especial, o veterano do pornô anos 80 Tom Byron, vive o amalucado Renfield.






                                                         
                                                         by Vlad Coffin Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...