segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Hideshi Hino: Mestre do Gore Japonês


Hideshi Hino é aclamado como o mestre do macabro por seus mangás repletos de cadáveres em putrefação, massacres, mutilações, psicopatas, vermes, pus, garotas fetichistas sedentas por sangue... Tendo publicado mais de 200 livros, o mestre do terror também é cineasta e roteirista. Hideshi Hino nasceu na China em 1946 e logo depois mudou-se para Tóquio com sua família. A destruição do Japão pós-guerra marcou profundamente sua mente e o trabalho que viria a desenvolver em mais de trinta anos de artista de quadrinhos (mangaká).
Ainda na escola primária, usou o mangá como forma de entretenimento, seus desenhos estranhos eram seu único alívio, sua fuga do mundo negro do Japão pós-guerra. No ensino médio, Hino parou com o desenho. Depois de assistir o filme chamado “Seppuku” (de Masaki Kobayashi, 1962, Título no Brasil:  Harakiri), ele decidiu tornar-se um cineasta. Quando a profunda emoção por conta do filme diminuiu, Hideshi Hino voltou a desenhar, porque o desenho lhe permitia dirigir uma cena estática.
Como artista, desenvolveu seu próprio estilo inconfundível. Ele não foi influenciado por quadrinhos estrangeiros, pois quando adolescente, venerava o trabalho dos artistas independentes menos conhecidos do Japão. 
Iniciou a carreira publicando em fanzines e seu primeiro trabalho profissional foi publicado em 1967, aos 21 anos, na revista COM. Em 1969 criou o clássico Zoroko no Kibyo (A Estranha Doença de Zoroko). No ano de 1971 começou a publicar na revista Garo, onde histórias do "Hideshi Hino's Shocking Theater" (Teatro Repugnante de Hideshi Hino) consolidaram a reputação do autor. Durante os anos 80, com o desgaste do gênero, Hino chegou a cogitar abandonar os mangás. Porém a publicação de Jigokuhen (Panorama do Inferno, 1983) devolveu-lhe o prestígio.
Panorama do Inferno (como muitos de seus mangás) retrata fatos e pessoas de sua vida. Seu avô, que era um membro da Yakusa, e seu pai, que criava porcos e tinha uma tatuagem de uma aranha nas costas, estão representados  nesse mangá, que foi escrito em meio a noites em claro e bebedeira pesada.
O mangá conta a história de um pintor, de nome desconhecido, que é apaixonado por sangue. E é com seu próprio sangue que pinta suas obras. Entre suas pinturas do inferno de paisagem pós-nuclear, que se confunde com a nossa própria realidade, ele nos apresenta sua família: uma filha também desenhista, que se diverte retratando animais mortos; um filho que prefere matar os animais e lamber seus olhos apodrecidos; e a esposa que trabalha num bar para zumbis. Eles formam uma família estranha e feliz.. Voltando no tempo, apresenta seu pai e seu avô, pelas enormes tatuagens que carregavam nas costas.

A Esposa serve partes de cadáveres para esses mesmos cadáveres que estão todos decapitados, impossibilitados de comer por não terem cabeça, mas que conseguem falar normalmente.
Depois de Panorama do Inferno, Hideshi Hino manteve a carreira com outros mangás de igual sucesso, como Kyofu Jikogu-shojo  (Hell Baby, 1987) e  Akai Hebi (A Serpente Vermelha, 1985).

Em Hell Baby, numa noite escura e tempestuosa, nascem gêmeas: uma normal, a outra desfigurada, com os olhos abertos e com pequenas presas enchendo sua boca, e até mesmo seus gritos são anormais. Seu pai, apavorado, simplesmente joga o bebê em um saco e o deposita em um depósito de lixo, onde o recém nascido morre, mas é trazido de volta à vida por espíritos misteriosos e relâmpagos. O bebê sustenta-se bebendo água barrenta e comendo carniça e vermes do lixão. Enquanto cresce, a menina aprende a caçar. Depois de sete anos, uma velha aparece para ela na forma de espírito misterioso e diz para ela ir para a cidade vingar-se dos humanos que a jogaram fora por ela ser feia. Em seguida, começa o massacre de homens, mulheres, crianças e animais de estimação, e o bebê do inferno não vai parar até obter vingança. 
Em A Serpente Vermelha, um garoto de nome desconhecido durante toda a história, vive em uma casa cercada por uma floresta intransponível. Seu avô insano tem pústulas no rosto do tamanho de um pé. Seu pai coleciona lacraias e lagartas, além de conversar com cabeças de galinhas mortas. Os bichos nojentos da coleção servem de comida para a avó, que acha que é uma galinha, e de diversão para a irmã, que busca prazer ao deixá-los andarem pelo seu corpo. O comportamento estranho da família do garoto o leva ao desespero. Uma parte da casa está bloqueada por um grande espelho que seu avô diz que serve para prender os demônios. Uma noite, o menino tem um pesadelo terrível, ao acordar, ele encontra o espelho quebrado. Uma cobra demoníaca vermelha é libertada, abrindo um portal para um mundo infernal, sangrento e medonho.

Akai Hebi (A Serpente Vermelha) foi lançado como o volume número 1 da série Hino Horror, que possui 16 volumes:

Hino Horror Volume 1: Akai Hebi (The Red Snake/ A Serpente Vermelha)

Hino Horror Volume 2: Dokumushi Kozō  (The Bug Boy/ O Garoto Verme, 2004)

Conta a história de Sanpei, um garoto solitário e incompreendido, com aparência bizarra e estranha afeição por animais nojentos, como vermes, lagartas, cobras e insetos em geral. Sanpei é perseguido na escola e maltratado em casa, sua família o odeia e o moleque é constantemente comparado a seus irmãos mais bem sucedidos. Mas quando ele é picado por um estranho verme vermelho, que ele mesmo vomita, sua vida muda e um novo mundo se abre para ele, levando-o a inúmeras aventuras na natureza, nos bairros decadentes, nos esgotos da cidade. Comparações com "A Metamorfose" de Franz Kafka são inevitáveis, mas a história de O Garoto Verme se concentra nas mudanças psicológicas do protagonista, é mais uma viagem de auto conhecimento.




Hino Horror Volume 3: Jigoku Mushi Woku! Oninbo (Oninbo and the Bugs from Hell/ Oninbo e os Vermes do Inferno)



Oninbo, um garotinho com aparência adorável na verdade é um pequeno demônio que vive à caça dos Vermes do Inferno, estranhas criaturas que habitam a alma das pessoas, alimentando-se dos traumas e das experiências ruins pelas quais passaram.

Hino Horror Volume 4: Oninbo and the Bugs from Hell 2 (Onibo e os Vermes do Inferno 2)


Traz a conclusão das aventuras macabras de Oninbo. Monstros assassinos, fantasmas rancorosos, vermes repugnantes, bebês diabólicos, serial killers. Esses são os alvos de Oninbo e de seus companheiros, os pequenos demônios Mamushinbo e Himenbo, que agora se unem para enfrentar as artimanhas de Sasorinbo, que quer acabar com a festa do trio e ficar com os Vermes do Inferno só para ele.

Hino Horror Volume 5: Shiniku no Otoko (The Living Corpse)




Neste volume, um homem volta dos mortos, mas não consegue descobrir quem é ou por que voltou. É claro que ele não tem muito tempo para encontrar as respostas, pois seu corpo está apodrecendo. O morto vivo cheio de vermes é capturado pela polícia e entregue a alguns cientistas, que tentam reverter o processo de sua morte, e encontram em seu estômago um pingente com retrato de família, uma pista para a identidade do cadáver vivo.
 


Hino Horror Volume 6: Kuro Neko no Megayamini (Black Cat)


É uma trilogia sobre a sobrevivência em meio à dominação cruel. O narrador das três histórias é um gato preto, que nasceu num depósito de lixo e, depois de abandonado pela mãe, luta pela sobrevivência juntamente com seus irmãos. Aos poucos todos os gatinhos são adotados, exceto o gato preto, que é rejeitado por causa da sua cor. Então ele sai por aí para explorar o mundo dos humanos. Depois dessa breve introdução acontecem as três histórias. A primeira é sobre um boneco de ventríloquo que ganha vida  e domina seu mestre, um palhaço bêbado. Na segunda história conhecemos um menino solitário que enfrenta problemas na escola, perde o pai e ganha um padrasto dominador.  Seu único amigo é um cão preto maligno que o ajuda em sua vingança. E por fim, o terceiro conto, onde um casal de idosos discute o tempo inteiro, e a cada página as brigas vão se intensificando num confronto violento da terceira idade.


Hino Horror Volume 7: The Collection 





Semi-autobiografia sobre as aventuras absurdamente horríveis de um garoto solitário e sua família maluca que vai morrendo de forma trágica e às vezes terrivelmente engraçada.  O garoto, para fugir da loucura que o rodeia, faz coleção de animais em conserva e partes do corpo humano que ele vai acrescentando, como membro da família, após ocorrerem as mortes grotescas.

 
 

Hino Horror Volume 8: The Collection 2 




Segunda parte da semi autobiografia sobre as aventuras do garoto solitário colecionador de partes do corpo humano.

  

Hino Horror Volume 9: Ghost School 





Uma estudante tem a infelicidade de ser vítima de um fantasma insano de um ex-professor, que a obriga a permanecer  em sua escola em ruínas. Ela nunca deve irritá-lo, para que ela se junte  as outras que vieram antes dela ...


 


Hino Horror Volume 10: Death's Reflection 

 
A história do título envolve o espelho do banheiro da escola que reflete o cadáver de uma menina sorridente. Em "X Cutter ", um estudante tem de lidar com um perseguidor misterioso que deixa anotações perturbadoras em sua mesa, assinando como "X Cutter" nome. Em " 3737 Mystery", uma classe inteira desaparece no meio do dia na escola, não deixando nenhum vestígio do seu paradeiro. A última história na edição diz respeito a situações bastante horríveis envolvendo mortes e desmembramentos.
 




Hino Horror Volume 11: Gallery of Horrors



 Sete histórias macabras:
"Horror In Black" onde corvos atacam uma bola de futebol. "Horror In Blue" um bebê fantasma que assombra seus pais. "Horror In Red" Menina cria um alvoroço, ela odeia a cor vermelha porque é a cor do sangue de sua mãe. "Horror In White" Família morre congelada no carro. "Horror In Gray" Homem começa a enxergar apenas a cor cinza, inclusive ele se corta para ver a cor de seu sangue, que é cinza para ele. "Horror In Green" Garoto cai de uma árvore e enquanto se recupera no hospital descobre que existe uma planta carnívora crescendo em sua cabeça. "Horror In Yellow" homem atropela e mata com seu carro várias criancinhas com uniforme escolar amarelo.

 
Hino Horror Volume 12: Mystique Mandala of Hell 



Mandala, filha do Senhor das Trevas, tem os olhos arrancados e recebe olhos de cristais, em seguida é enviada para o mundo dos humanos. No entanto, ela perde um dos cristais, e após séculos mais tarde, ainda à procura, ela faz amizade com Tanaka, mas uma maldição que está sempre com ela, toma conta do menino.


 
Hino Horror Volume 13: Zipangu Night



Consiste em sete histórias curtas de terror, em princípio, sem nenhuma ligação entre elas. Mas todas elas seguem a mesma tendência, eventos estranhos que acontecem de repente. Entre elas a história de uma menina apaixonada por ratos. Também conta a história de uma mulher solitária que perdeu a face, entre outras.


 
Hino Horror Volume 14: Skin And Bone



Por causa das provocações de seus colegas sobre seu excesso de peso, Maki decide fazer uma dieta. Depois de um ano, ela torna-se magra e linda. Mas logo percebe que algo está errado, porque perde peso a cada dia, a ponto de ficar só pelo e osso. 

 
Hino Horror Volume 15: The Experiment


Conta quatro histórias horríveis, entre elas o drama de uma garotinha que é apaixonada pelo professor de ciências e admira seu trabalho para diminuir a poluição nos oceanos, o que está causando a mutação de seres marinhos. Mas quando ela conta ao professor sobre um estranho sonho que teve, sua reação é totalmente diferente do que ela espera...

Hino Horror Volume 16: Who's That Girl?


Todos alunos odeiam a professora - ela é infexível, sarcástica e irritante. Um dia, uma nova aluna chega e a vida dos estudantes nunca mais será a mesma. Quando a nova garota finalmente revela sua verdadeira identidade, descobrimos que ela é a personificação do ódio dos seus colegas e está em busca de vingança. 


Em Lullabies from Hell, mais uma vez temos experiências pessoais incorporadas nas histórias bizarras. Na história de abertura, Lullabies from Hell, ele nos apresenta um mangaká (autor de mangá), que é obcecado com coisas terríveis. Depois de ser humilhado e abusado muitas vezes, ele descobre que tem um poder único: a capacidade de matar as pessoas com seus desenhos. E não apenas matá-los,torturá-las e proporcionar momentos desagradáveis. 
Na história seguinte, Unusual Fetus - My Baby, nasce uma coisa não humana, um bebê-lagarto com um apetite incomum. 
Em outra história, Train of Terror, começa com três filhos felizes em voltar de uma viagem de um dia em que foram visitar parentes. Mas logo o riso se transforma em gritos de terror. O trem entra em um túnel escuro. Saindo do túnel, do outro lado, coisas obscuras acontecem.
A última história, Zoroko no Kibyo (Estranha Doença Zoroku) mostra as terríveis conseqüências que ocorrem quando um homem mentalmente doente coberto de furúnculos é exilado em uma cabana na floresta.
  
O trabalho de Hino também foi sempre ligado com o cinema, ou mais precisamente com o vídeo gore, independente japonês. Em 1985, Hideshi Hino foi um dos diretores/roteirista da famosa e polêmica série "Za Zinipiggu" Guinea Pig) do produtor Saturo Oguma. O segundo filme, chamado "Chiniku no Hana" (Flower of Flesh and Blood, 1985/1986) de Hideshi Hino, mostra uma garota (Kirara Yugao) que é  dogada e raptada por um louco (Hiroshi Tamura) vestido com uma armadura de samurai. Aos poucos ele vai cortando e desmembrando a mulher para coloca-la em sua coleção macabra. São 42 minutos de puro gore com excelentes efeitos especiais de Nobuaki Koga e equipe.














A elogiada parte 4 "Manhoru no Naka no Ningyo" (Mermaid in a Manhole, 1986/1988) também escrita, dirigida e co-produzida por Hino (baseada em uma de suas histórias), coloca o gore e o nojento em um nível poético. Um pintor (Shigeru Saiki), encontra uma bela sereia (Mari Somei) ferida na praia e a leva para casa. Colocada em uma banheira, ela adoece rapidamente, e o pintor utiliza as secreções de suas pústulas para pintar um quadro, onde vai registrando seu apodrecimento.









Em 2004, seis diretores japoneses realizaram adaptações de histórias em quadrinhos de Hino para a série "Hino Hideshi no Za Horâ: Kaiki Gekijô" (Hideshi Hino's Theater of Horror") com episódios de 1 hora cada e lançados em uma caixa especial de DVDs no Japão e EUA. Foram adaptados: The Boy From Hell, Dead Girl Walking, Lizard Baby, The Ravaged House, The Doll Cemetery e Death Train.




 Por Gisele Ferran e Coffin Souza




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...