segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Macacos Me Mordam! As Belas e as Bestas Selvagens!

O Medo, é muitas vezes um estimulante erótico. O terror e o grotesco representados nas figuras de monstros sempre excitaram a imaginação sensual. A síntese perfeita disto, não é o mito da "Bela & a Fera", mas a imagem de uma pálida garota virginal, com roupas íntimas, vítima de um macho peludo, potente e bestial: um...GORILA! (e no caso do cinema "B", um homem com uma fantasia fake de macaco).


Separados da filmografia do gênero Terror-Animal, graças a sua similaridade com o homem e as teorias de Darwin, os gorilas, animais dóceis e tímidos (e quase extintos) ganharam destaque como vilões em aventuras de selva, filmes de terror B, ficção-científica, suspense, comédia, sacanagem e fantasia; em ilhas remotas, laboratórios vagabundos ou planetas/futuros distantes. 


 A comparação óbvia com o homem primitivo e animalesco lhes renderam belas e jovens vítimas/namoradas/companheiras...




 acima: Bettie Page e um amigo gorila e abaixo matéria sobre o espetáculo teatral "Gorilas preferem as Loiras" na revista Spot Magazine de 1941.

Mesmo protegidas por heróicos caçadores como Jim das Selvas ou forçudos reis das selvas como Tarzan, as graciosas e indefesas jovens acabaram sempre nos braços peludos dos primatas, sejam eles apenas gorilas raivosos ou agigantados, albinos, robotizados, alienígenas, com cérebro humano transplantado, mutantes invisíveis ou com duas cabeças...



                                            


                                               
 da esquerda para a direita: "The Sign of the Cross" (1932); "So, This is Africa" (1933); "Pure and Simple" (1939); "Congo Bill" (1948)

Diversos atores/dublês se especializaram em performances com fantasias de gorilas no cinema como: Ray Corrigan, Charles Gemora, Emil Van Horn, George Barrows, Steve Calvert (fotos abaixo), Bob Burns e o mestre em maquiagens Rick Baker.



Os peludos tiveram sempre nomes fortes e marcantes como Kong, Kiko, Konga, Kogar, Erik, Thor, Pongo, Nabonga, Bonga, Gorga, Joe Young, Mong, Sultan, Zozo, etc.  



"The Doctor's Experiment, or Reversing Darwin's Theory" de 1908 foi o primeiro filme com um gorila à solta, seguido de "Sherlock Holmes and the Great Murder Mystery" do mesmo ano e que misturava o célebre detetive britânico com o clássico conto de Edgar Allan Poe "Os Crimes da Rua Morgue" (inspiração para dezenas de adaptações nada fiéis através dos tempos).



                                             "Stark Mad" (1929) e "Tarzan, the Tiger" (1929)


 "The Gorilla",uma antiga comédia de suspense escrita para o teatro foi levada as telas diversas vezes com sucesso, contando a historia de uma série de crimes cometidos por um homem utilizando...uma fantasia de gorila! "The Gorilla" (1927) de Alfred Santell; "The Gorilla" (1930) de Bryan Fox; "The Gorilla" (1939) de Allan Dwan, com Bela Lugosi, Lionel Atwill, o grupo de comediantes The Ritz Brothers e a loiraça Anita Louise.


                                            Charles Gemora como "The Gorilla" (1930)

Fay Wray, depois de "King Kong" (1933) e Acquanetta na série B da Universal Films nos anos 40,  sobre uma mulher-gorila, são sempre lembradas quando o assunto são as Rainhas de nossos amigos peludos. Mas temos que destacar também Evelyn Ankers, Anne Gwynne, Evelyne Kraft, D.D.Winters, 

   
Os anos 50 foram o paraíso para a "macacada" e para o cinema Trash, com idéias mirabolantes e exóticas para colocar mulheres deliciosas nos braços de gorilas." Bride of the Gorilla" (1951) de Curt Siodmak com Barbara Peyton, Lon Chaney Jr.; "Bela Lugosi Meets a Brooklyn Gorilla" (1952) de William Beaudine com Bela Lugosi (é claro!), Steve Calvert e Ray Corrigan (como gorilas, é claro) e a gostosa Muriel Landers; 


"Killer Ape" (1953) de Spencer-Gordon Bennet com Johnny Weissmuller e Carol Thurston; "Gorilla At Large!" (A Besta Negra,1954) de Harmon Jones com Anne Bancroft e Charlotte Austin (em 3D!); "Robot Monster" (1954) de Phil Tucker, com Claudia Barret (em...bom, digamos 3D); "Phantom of the Rue Morgue" ( O Fantasma da Rua Morgue, 1954) de Roy Del Ruth; "The Bride and the Beast" (1958) de Adrian Weiss com Charlotte Austin com roteiro de Ed Wood Jr.! 
 





                                 Charles Gemora como o gorila de "Phantom of the Rue Morgue"

George Barrows como Ro-Man em "Robot Monster"
 




Um capítulo a parte desta história, fica a cargo de "Untamed Mistress" (1956) de Ron Ormond, que pode ser considerado o "Plan 9 dos macacos"! Este clássico trash conta as aventuras de dois homens a procura de Velda (Jacqueline Fontaine), uma mulher que foi raptada por uma tribo de gorilas. Quando a encontram e enfrentam a fúria dos primatas, descobrem que ela prefere continuar vivendo nas selvas com seus namorados peludos! Tudo com uma selva de fundo de quintal, péssimas fantasias de gorilas e cenas com uma dança tribal filmada em uma boate americana...




    a divulgação dizia: " O tipo de mulher que todo homem ou gorila mataria...para possuir."

Acompanhando a psicodelia da época, as bestas peludas dos anos 60 acabaram sendo agigantadas por cientistas insanos ("Konga", 1960); atacaram garotas em campo de nudismo ("The Beast That Killed Women, 1965); foram controlados mentalmente por outro cientista maluco e ganharam a companhia da bela mulata brasileira Esmeralda Barros ("Eva La Venere Selvaggia"/Eva a Vênus Selvagem, 1968) e ficaram invisíveis graças a mais um cientista doido (sempre eles...) em "La Vie Amoreuse de L'Homme Invisible" (1969)...








De 1968 a 1972 tivemos a série de filmes "Planet of the Apes" (Planeta dos Macacos), mas apesar de ótimas maquiagens/fantasias de gorilas, estes exemplares evoluídos parece que esqueceram seu gosto antigo por belas humanas ( e tivemos vários exemplares de mulheres lindas na série!).

                                            Linda Harrison em "Planet of the Apes" (1968)

Jessica Lange nas mãos do gorila gigante (Rick Baker) no remake de King Kong (1976), e Evelyne Kraft na divertida imitação dos Shaw Brothers "Xing Xing Wang" ( O Monstro de Pequim, 1977), são BOAS razões para rever estas deturpações do mito do velho Kong!



Em 1980 veio "Tanya's Island" de Alfred Sole, com a modelo D.D.Winters (Vanity) de caso com um gorila/babuíno de olhos azuis (Rick Baker) em uma ilha tropical.
A combinação mulheres bonitas + macacos peludos parece esquecida no cinema, desde então, a não ser na indústria de filmes de sacanagem...




"The Bloody Ape" (1997) de Keith J. Crocker, é uma homenagem ao gênero e aos filmes Drive-In. Levemente baseado na história de E.A. Poe, conta como o dono de um circo perde o controle sob seu grande gorila (George Reis, em uma fantasia propositalmente fake!) na região de Long Island, e o símio começa a chacinar e/ou estuprar a população feminina local. Banido de diversos festivais, ignorado pela crítica e massacrado pelos adeptos do politicamente correto, o pequeno filme independente no entanto resgata uma tradição de horror e erotismo que remonta aos primórdios do cinema...




Os homens são mais evoluídos e tudo isto é fantasia, diversão e saudável sacanagem. Mas "macacos me mordam", se estes peludos não levaram muitas vezes a melhor!











                                                        GRRRRRRrrrrrr!!!!!!!

                                                                                                                   by Coffin Kong Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...