quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

As Mulheres do Pós-Apocalipse, ou Se o Mundo Acabar Amanhã...


A recorrente fantasia de um "Fim do Mundo", antes apregoada por Nostradamus e um sem número de profetas malucos, e hoje temida por causa de uma antiga profecia dos Maias sempre deu "pano para manga" para o cinema fantástico e a ficção científica. Mas se o mundo (que conhecemos), acabar hoje? 
Bom, revendo vários filmes divertidos com o assunto, parece que não vai ser tão ruim...pelo menos, mulheres gostosas vão sobrar!!! Então, o negócio é arranjar uma namorada e aproveitar. Bom, a coisa não é tão fácil assim...
Na antiga aventura de ficção científica da RKO "Captive Women" (3.000 Anos Depois de Cristo,1952) de Stuart Gilmore, 3 tribos brigam entre si pela sobrevivência em uma New York devastada por um holocausto no futuro. Os Mutantes raptam e aprisionam mulheres da tribo dos Normais para procriarem, mas eles precisam se unir contra uma outra tribo violenta e sanguinária. Em meio a bons cenários e efeitos (para a época), belezas como as de Gloria Saunders, Margareth Field e Paula Dorety, correm perigos e se apaixonam por homens de tribos diferentes, à lá Romeu & Julieta!

















No primeiro filme de ficção científica de Roger Corman "Day the World Ended" (1956), um grupo de sobreviventes de um holocausto nuclear, se abriga em um refúgio nas montanhas. Entre eles as belas Lori Nelson e Adele Jergens. Do lado de fora, perigosos mutantes cabeçudos e de 3 olhos (com a economia da produção, apenas um aparece,o maquiador Paul Blaisdell) ameaçam a todos. 



"World Without End" (Vinte Milhões de Léguas a Marte, 1956) de Edward Bernds conta como 4 astronautas acabam caindo em um vórtice temporal e chegam a terra no ano de 2508. Encontram o planeta devastado por uma guerra nuclear e cheio de aranhas gigantes e mutantes peludos. O que sobrou da humanidade se esconde em túneis subterrâneos, incluindo muitas garotas gostosas e disponíveis, já que os homens do futuro são impotentes! Resta aos heroicos astronautas matar os monstros e...reproduzir a espécie!






 Roger Corman inovaria o tema com "Teenage Caveman" (1958), onde um jovem homem das cavernas (Robert Vaugh) desafia as leis tribais e sai em busca de respostas para sua existência. Enfrenta monstros "fakes", conquista a loirinha Darah Marshall e descobre finalmente que vive em um futuro pós apocalipse.



                   Darah Marshall no banho, seduzindo o rapaz das cavernas do futuro...

 Em "The Last Woman on Earth" (1960), também de Roger Corman, um casal meio fora-da-lei (Betsy Jones-Moreland e Anthony Carbone) e um jovem advogado (Robert Towne) estão mergulhando nas águas do Caribe, e ao voltarem a tona, descobrem que perderam todo o espetáculo de um apocalipse nuclear e são as últimas pessoas vivas na Terra. Um inevitável triângulo amoroso (não muito amistoso!) acontece em um fascinante, pequeno e barato filme minimalista ( com apenas 3 personagens). 













Já o inventor inglês da era Vitoriana George Wells (Rod Taylor) de "The Time Machine" (A Máquina do Tempo, 1960) de George Pal, descobre em um futuro devastador, que os habitantes do planeta estão divididos entre os subterrâneos e monstruosos Morlocks e humanos indefesos conhecidos como Elois. Menos mal que ele encontra a linda Weena (Yvette Mimieux), e ao defende-la dos monstros albinos ensina algo aos nossos descendentes babacas!



Um Clássico da ficção científica, baseado no livro homônimo de H.G.Wells, bastante imitado, homenageado e refilmado em 2002 por Simon Wells, com Guy Pearce no papel principal.



















Já o astronauta Taylor (Charlton Heston) acabou sem querer (e saber) em um futuro aonde o resto da raça humana é escravizada por símios inteligentes e falantes em "The Planet of the Apes" (O Planeta dos Macacos, 1968) de Franklin J. Schaffner. Ele encontra no caminho a bela Nova (Linda Harrison), o que lhe dá mais motivos para brigar com a macacada! 

Um grande sucesso internacional e que gerou uma série de filmes para o cinema, uma série de TV, desenhos animados, histórias em quadrinhos, um remake morno (por Tim Burton em 2001) e uma inteligente prequel/reinvenção em 2011 (por  Rupert Wyatt)! 

















Uma constante nos  prmeiros filmes da série original (1968-1973) é a presença de lindas espécies de mulheres pós-apocalípticas, como Nova, que retornaria em "Beneath the Planet of the Apes" (De Volta ao Planeta dos Macacos, 1969) de Ted Post. Agora é a vez do astronauta Brent (James Franciscus) chegar ao futuro apocalíptico, e descobrir os macacos dominantes, um grupo de humanos mutantes e telepáticos e  Nova (agora vivida por Kim Hunter), além de encontrar Taylor (Heston), que virou um maluco psicopata. Apesar da destruição da Terra por uma bomba no final do filme, a série continuou com Nova e um casal de macacos amigos viajando para o passado em "Escape From the Planet of the Apes" (Fuga do Planeta dos Macacos, 1971).


com as mulheres humanas evoluídas e telepáticas tendo este visual (Natalie Trundy à esquerda), é lógico que os astronautas sobreviventes iriam preferir namoradas primitivas e mal vestidas como Kim Hunter!


Outra versão para o futuro da humanidade surgiu em "Zardoz" (1974) de John Boorman. Em 2293 o mundo é dividido entre a comunidade sofisticada e enfadonha dos "imortais" que vivem em Vortex e o mundo selvagem dos "brutos" que são dominados pelo falso deus Zardoz e caçados por exterminadores para evitar sua procriação. Tudo começa a mudar quando o exterminador Zed (Sean Connery) se infiltra em Vortex, provando os prazeres e comodidades que o homem comum fora privado e provocando um conflito fatal.













Mas o grande boom (ou Bum!) do cinema apocalíptico viria nos anos 80, depois do sucesso internacional de "Mad Max" (1979) e "Mad Max 2" (1981). O cinema exploitation italiano inspirado nestas visões pessimistas da sociedade futura e também em "The Warriors" (Warriors, Os Selvagens da Noite,1979)  e "Escape from New York" (Fuga de Nova York, 1981) iniciou um ciclo de aventuras violentas passadas em futuros próximos, cheias de gangs armadas, heróis durões, vilões exóticos e lindas gatas armadas ou em perigo!



O primeiro (e mais famoso) exemplar do gênero foi "1990:Il Guerrieri del Bronx" (Os Guerreiros do Bronx, 1982) de Enzo G. Castellari, com os durões (em todos os sentidos) Vic Morrow e Fred Williamson e a sensual Stefania Girolami (filha do diretor), em uma New York transformada em campo de batalha de gangues pós apocalípticas.Castellari voltaria ao tema em "I Nuovi Barbari" (Guerreiros do Futuro,1982) e em "Fuga dal Bronx" (Fuga do Bronx,1983), continuação de seu sucesso.

                                     acima: Guerreiros do Bronx, abaixo: Guerreiros do Futuro

Outros diretores italianos seguiram o exemplo e então as mulheres do futuro não estiveram mais em paz, fugindo ou lutando para não serem estupradas,escravizadas ou mortas por gangs selvagens ou mutantes degenerados.
Um dos primeiros foi o famoso e esperto Joe D'Amato (Aristide Massaccesi), com seu "Ano 2020, I Gladiatori del Futuro" (2020- Os Gladiadores do Futuro, 1983), com Al Cliver, Sabrina Siani, Geretta Geretta e Donald O'Brien. Um herói cheio de princípios, perambula por um mundo devastado pós-Juízo Final e salva moças indefesas, mas não consegue impedir o estupro e morte de um grupo de belas freiras por mutantes nojentos.






"2019: Dopo la Caduta di New York" (1983) de Sergio Martino é uma cópia descarada, gore e sacana de "Fuga de New York", mas que para economia em cenários se passa grande parte no deserto; "I Predatori dell'Anno Omega" (O Guerreiro do Mundo Perdido, 1983) de David Worth é uma co-produção ítalo-americana com elenco "B" internacional, que inclui Donald Pleasence, Fred Williamson (sempre presente no gênero!) e as lindas Persis Khambatta , Consuelo Marcaccini e Geretta Geretta.




                                               cenas de "2019:Dopo la Caluda di New York"

Geretta também estava entre as garotas do ano de 2015, fugindo de roedores mutantes num mundo destruído em "Rats: Notte di Terrore" (Ratos: A Noite do Terror,1983) de Bruno Mattei, assim como a muito gostosa Moune Duvivier (foto abaixo). 














Já em "Endgame: Bronx Lotta Finale" (Duelos Mortais, 1983) de Joe D'Amato, entre os participantes de um jogo mortal na televisão em um mundo arrasada, está a deusa Laura Gemser entre brutamontes violentos.Sua personagem faz parte de uma raça de mutantes que se recusa a violência, porque eles compartilham a dor das pessoas que agridem.  Lucio Fulci também dirigiu uma história semelhante em "I Guerrieri dell'Anno 2072" (1984), com uma competição televisiva de gladiadores futuristas com motocicletas...



As vezes os culpados do Apocalipse eram motoqueiros-punks vindos de Alântida (!?!) como em "I Predatori di Atantide" (Os Caçadores de Atlântida, 1983) de Ruggero Deodato ...



E quase sempre os humanos sobreviventes acabavam se dividindo entre "Bons"/"Maus"/"Infectados"/"Imunes", etc. como no trashão "L'Ultimo Guerriero" (O Executor Final,1984) de Romolo Guerrieri, onde uma elite pós holocausto pratica a caça de humanos infectados...





Vieram também: "Gli Sterminatori dell'Ano 3000"/"El Exterminador de la Carretera" (Os Exterminadores do Ano 3000, 1983) de Giuliano Carmineo; "Rush" (1983) de Tonino Ricci e sua semi-continuação "Rage-Fuoco Incrociato" (1984) do mesmo diretor. Mas o gênero não ficou preso apenas nas produções "Spaghtti", e também sofreu a influência de "The Terminator" (O Exterminador do Futuro, 1984) de James Cameron com Arnold Schwarzenegger, com andróides de ambos os sexos vindos de futuros apocalípticos ( isto é assunto para uma outra matéria aqui...). Mas continuem conosco enquanto tudo não acaba e curtam a segunda e eletrizante parte deste verdadeiro manual de sobrevivência para o FIM DO MUNDO!!!...

Fim da Primeira parte...
                                                               
  by Coffin Souza
                                                     








o historiador mexicano Erik Velásquez.

"O mundo de hoje tem uma mentalidade apocalíptica herdada da religião judaica-cristã. Os maias não, para eles não havia fim do mundo, tinham uma contagem infinita dos anos. Podemos dormir tranquilos, evocaram datas milhares de anos à frente".


Read more: http://omovimentogospel.blogspot.com/2012/06/fim-do-mundo-calendario-maia-desmente.html#ixzz2DeO3neQS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...