quarta-feira, 3 de julho de 2013

Brinke Stevens: Trash Horror Queen


Charlene Elizabeth Brinkman nasceu em Setembro de 1954 em San Diego, California. Estudante dedicada, aprendeu várias línguas estrangeiras, e se formou como Bacharel em Ciência da Biologia e Psicologia na San Diego State University e  com um mestrado em Biologia Marinha da Scripps Institution of Oceanography, La Jolla, Califórnia.  Inicialmente, sua intenção era estudar a comunicação dos golfinhos, mas seu marido na época (Dave Steves, desenhista de quadrinhos famoso pelo personagem "Rocketeer") a incentivou a procurar algumas agências de modelo para aproveitar sua beleza e incrementar o orçamento doméstico.






 A bela morena, de corpo esguio, cintura fina e olhar selvagem (com ascendência germânica e mongol), começou a aparecer em anúncios publicitários e calendários, além de posar nua para revistas como Playboy e Penthouse. Foi descoberta quase por acidente por um agente que procurava extras para um filme, e iniciou sua carreira no cinema com uma ponta na comédia "Garotas Duras na Queda" (1981) de Robert Aldrich.



Um papel mais significante na comédia de terror "B" ( produzida pelo mestre Roger Corman) "Slumber Party Massacre" (O Massacre, 1982) de Amy Holden Jones, a colocou em contato com o gênero que a faria famosa.



 Mas Brinke ainda faria várias outras pontas em filmes diversos, incluindo vídeos eróticos da Penthouse e aparições não creditadas em "Emmanuelle IV" (1984), "Dublê de Corpo" (1984) de Brian de Palma e "Três Amigos!" (1986), até ser descoberta como uma legítima Scream Queen.
Em "Slave Girls From Beyond Infinity" (Rebelião nas Galáxias, 1987) de Ken Dixon, uma versão futurista e trash de "The Most Dangerous Game" (1933), Brinke vive a jovem Shala, perseguida pelo louco Zed (Don Scribner), assim como as belas Elizabeth Kaitan e Cindy Beal. Destaque para   a pouca roupa das atrizes e os monstros fuleiros de John Carl Buechner.





Brinke Stevens sempre teve uma ligação especial com as histórias em quadrinhos e suas personagens "vamps". Nos anos 70 ela apareceu como a clássica Vampirella, ao lado de seu criador Forry Ackerman em uma grande convenção; serviu como modelo/inspiração para duas personagens de "Rocketeer" e sob a batuta de Ackerman, foi a encarnação viva de Evila, uma tentativa de criar uma nova Vampirella nas páginas da revista Monsterland, em 1986. Anos mais tarde, Brinke seria transformada em uma personagem de HQ (roteirizada por ela mesma) na revista "Brinke of Eternity" (Chaos! Comics).


















acima: a direita, uma muito jovem Brinke vestida como Vampirella: abaixo: Capa e editorial de Monsterland com a sexy e vampiresca Evila...


Brinke esteve no Thriller "The Jigsaw Murders" (1988) de Jag Mundhra e no ação/ficção/trash "Warlords" (Guardiões do Futuro, 1988) de Fred Olen Ray, com David Carradine, Sid Haig e Dawn Wildsmith...
















"Sorority Babes in the Slimeball Bowl-O-Rama" (IMP- O Invasor do Espaço, 1988) de David DeCoteau reuniu pela primeira vez Brinke Stevens com Linnea Quigley e Michelle Bauer, consideradas como bem definiu o crítico Eduardo Guillot "A santíssima trindade das Scream Queens". A boba e divertida história de um pequeno alienígena que possui e transforma belas adolescentes em diabólicas devoradoras de carne humana, é desculpa para efeitos especiais vagabundos (a cargo de Craig Caton) e cenas de nudez das garotas, principalmente um "quente" banho de miss Stevens e miss Bauer !



O belo trio foi reunido logo em seguida pelo esperto diretor em "Nightmare Sisters" (1988) de David DeCoteau, filmado as presas em 4 dias. Elas são garotas nerds e feias que acabam possuídas por uma entidade maléfica e sacana que as transformam em sedutoras vamps!






Novamente destaque para uma cena de banho coletivo, agora com a participação também de Linnea Quigley. O filme realizado para o mercado de VHS, teve vários problemas de distribuição e foi relançado anos mais tarde (depois que as atrizes já estavam famosas no gênero) com a  maravilhosa cena substituída por outra bem mais "soft"...




Brinke se transformou em uma das atrizes preferidas entre os diretores de filmes "B-Trash" como Fred Olen Ray, que dirigiu com ela "Bad Girls from Mars" (1990); "Mob Boss" (1990); "Spirits" (A Maldição dos Espíritos,1990); "Haunting Fear" (Síndrome do Medo, 1990) com Michael Berryman e muitos outros nos anos seguintes.




 Em 1991, Fred Olen Ray e seu velho amigo Jim Wynorski, se juntaram e realizaram o vídeo "Scream Queen Hot Tube Party". No fiapo de história/falso documentário, cinco Rainhas do Grito se reúnem em uma velha mansão e entre sessão de Ouija e banhos divertidos em uma banheira de hidro-massagem. Brinke Stevens explica a arte do banho de chuveiro em filmes de horror (sua "marca registrada"), passando por cada movimento em detalhes; Monique Gabrielle faz uma dança erótica vampiresca; Michelle Bauer faz Leatherface sentir vergonha, girando e dançando com uma moto-serra e Roxanne Kernohan e Kelli Maroney se juntam à diversão.
















Clipes de cenas "clássicas" dos melhores filmes das meninas completam a pequena duração (50 minutos) da divertida homenagem.












Brinke Stevens também é escritora e publicou contos na revista "Weird Tales" e artigos nas revistas "Draculina", "Fangoria" e "Femme Fatales" (capa e artigo seu, já no primeiro número da revista). Quando Fred Olen Ray lhe propôs um filme novo do qual ele apenas tinha o título, Brinke imediatamente se prontificou a escrever o roteiro, e assim nasceu "Teenage Exorcist" (Essa Mulher é o Demônio, 1991) de Grant Waldman, uma comédia de terror com Michael Berryman, Brinke e o insuportável "comediante"  Eddie Deezen.



 Brinke Stevens esteve no Brasil em Janeiro de 1996 para participar do evento "Trashmania/Femme Fatales", dando uma palestra, atendendo os inúmeros fãs brasileiros e demonstrando ao vivo sua beleza e uma de suas marcas: seu altíssimo e impressionante grito! Afinal uma verdadeira Rainha do Grito nunca precisa de dublagem ou efeitos sonoros...

David DeCoteau conseguiu reunir a "santíssima trindade" novamente em "Cougar Cult" (2012), onde Brinke, Linnea e Michelle são três madames que vivem em uma mansão e presidem um culto de mulheres felinas devoradoras de homens. Como DeCoteau já assumiu a muitos anos sua homossexualidade e a explora em seus filmes mais recentes, existe muita nudez...masculina. As rainhas do Grito estão em forma, apesar da idade e existem efeitos especiais, digamos assim..."abaixo do trash"! Brinke está em casa!



não, isto acima não é uma montagem tosca minha, mas o "efeito especial" de transformação das eternas Rainhas do Grito em Mulheres-Puma em Cougar Cult!!!!

A inquieta Brinke trabalha também bastante atrás das câmeras, como co-autora de diversos roteiros, produtora de filmes e documentários e cenógrafa. Sua filmografia como atriz já passa de 140 produções e ela continua muito ativa.
Ela e dois de seus amigos/colegas, Linnea Quigley e Michael Berryman estão juntos em "Cannibals" de Joe Hollow, com lançamento previsto para início de 2014...













Brinke of Eternity






capa do She Demons zine original # 2, celebrando a passagem de Brinke Stevens pelo Rio de Janeiro, com uma matéria exclusiva de Sérgio Jr.





                                                                                                                                 by Coffin Souza



3 comentários:

  1. Preciso dizer algo?????não basta admirar as belas imagens?kk

    ResponderExcluir
  2. Tenho a She-Demons Zine nº1, 4 e 5. Se alguém tiver a 2 e 3 e quiser me vender, petertowers.8.80@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Em 1995 ou 1998 ela veio ao Festival do SESC da Tijuca e fui na sua palestra sobre Rainhas do Grito de Filmes B. Ela contou tudo e deu um berro horripilante. Vendeu seus filmes e revistas e comprei sua biografia com direito a dedicatória! Comecei a seguí-la pela "Internet" mas nunca comprei seus filmes. Assisti alguma coisa na televisão e recentemente comecei um projeto de aprender inglês assistindo seus filmes, comprarei um por um, sou seu fã declarado. Ela consegue ser bonita e feia, não sei como. Aqui no Brasil, na conferência, ela citou Zezé Macedo como referência. Mas também cito Anamara (Maroca do BBB) que se parece com ela e poderia estrelar filmes tanto super-produções quanto B. Seus filmes dão sono e só valem por ela, a grande Rainha do Grito. Quero ver uma brasileira neste posto, tomara!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...