terça-feira, 20 de agosto de 2013

A Musas Internacionais do Terror em Quadrinhos







Demonia, nossa musa sexy e sangrenta, foi inspirada em uma grande quantidade de personagens femininas de terror nas histórias em quadrinhos ao redor do mundo. Vamos saber um pouco sobre a origem e histórias destas garotas belas e perigosas...



VAMPIRELA

Vampirella é uma personagem de histórias em quadrinhos criada por Forrest J. Ackerman em 1969, e que estreou na antiga editora norte-americana Warren, nas páginas de Creepy e Eerie e que posteriormente ganhou uma revista própria. Apesar de idealizador, Ackerman não a finalizou sozinho, tendo influência direta de outros nomes importantes como Trina Robbins e Frank Frazetta, que definiram a roupagem e o desenho original dela, respectivamente. Mas também teve outros artistas igualmente importantes como Tom Sutton, José Gonzales, Enrich, Sanjulian, Gonzalo Mayo e outros.

Vampirella era parte de uma raça de alienígenas chamada Vampi, que habitavam o planeta Drakulon. Tal planeta acabou sendo destruído por Satyr, um de seus dois sóis e justamente o que vivia em erupções regulares a ponto de destruir toda a superfície e a vida de Drakulon.
Em uma destas erupções a raça Vampi nasceu e eles conseguiam transformar-se em morcegos, voarem e beber sangue como se fosse água – aliás, para os Vampi, o sangue literalmente é tão necessário quanto a água para seres humanos normais. Para conhecer melhor este planeta uma expedição da Terra chega ao planeta na nave chamada Arthur C. Clarke (aquele mesmo, de 2001 – Uma Odisséia no Espaço e tantos outros). Vampirella vai investigar quem são estes homens em sua forma de morcego e acaba pegando uma nave pra si partindo em direção a Terra, onde descobre que precisa de dinheiro para sobreviver.




No Brasil as poucas aparições de Vampirella iniciaram em 1973 numa revista da extinta editora Kultus, e era uma tradução direta da primeira revista solo da Vampirella, com poucas alterações como a “vampira de Dracuraria” quando o correto seria de "Drakulon"! Da segunda em diante, até a décima, as revistas foram publicadas pela editora Noblet, também extinta. O curioso é que sua numeração não tinha nada a ver com a numeração da original norte-americana, isso fez com que as edições ficassem confusas e sem sentido. Isso porque apesar das histórias de cada edição ter começo e fim, o contexto geral do universo Vampirella mantido pela sequência correta sumiu. Soma-se ainda que a publicação parou na décima e que resolveram colocar tiras “engraçadas” que na verdade eram grotescas, de mal gosto e que mais ridicularizava a personagem do que divertia. Mas recentemente ela teve algumas raras publicações, como a da editora Metal Pesado, que foram “Vampirella Edição Especial de 25 Aniversário” em Abril de 1998, dois anos depois do original, e “Vampirella Vs Pantha” em Agosto de 1998. Depois essa editora fechou. Em Outubro de 1998, a editora Abril lançou o crossover especial “Mulher-Gato Vampirella”. 



E por último tivemos uma edição muito especial em 2001 de “Vampirella Vive” lançado numa única revista bem acabada pela editora Devir, apesar do original ser de 1996/1997. Um pouco antes dessa revista, a Devir lançou também numa tiragem limitada uma revista dela em estilo mangá, desenhada por Kevin Lau, que posteriormente criou uma outra versão futurística da Vampirella com o nome de Vampi.

Vampirella teve um filme em 1996, dirigido por Jim Wynorski, estrelado por Talisa Soto como Vampirella e pelo vocalista do The Who, Roger Daltrey, como o vilão. Uma continuação chegou a ser cogitada, mas nunca saiu do papel.


Vampirella é, provavelmente a vampira mais conhecida do mundo. Ao longo dos anos, uma série de atrizes e modelos amadoras e profissionais fizeram ensaios sensuais em seu nome.

JULIE STRAIN

KITANA BAKER



LESLIE CULTON

MARIA DI ANGELIS

JULIA FAIRE

SASCHA KNOPF

BARBARA LEIGH

MASUIMI MAX

AVERY MISURACA

ARBAN ORNELAS

HEIDI SAHA

CAROLYN RENEE SMITH



NELLA SWAN

CRISTIVA TURNER

ALEXXUS YOUNG


BRINKE STEVENS

LOLA BETH

KATHY BUSHMAN

CATHY CHRISTIAN

DIANA KNIGHT


E o mais interessante e que quase nenhum fã sabe, é que a Vampirella tinha uma irmã gêmea, chamada Draculina. A Draculina apareceu em 5 histórias junto com sua irmã, e depois, nos anos 90, foi revivida na revista de Scream Queens chamada: DRACULINA. As histórias foram escritas pelo editor da revista, Hugh Gallagher, e vários artistas a desenharam e mais de uma modelo apareceram em fotos como a personagem. A página abaixo é uma história do número 31 da revista, de 1997.





ZAKARELLA


Zakarella foi criada em 1976, por Carlos Alberto dos Santos, a heroína sexy portuguesa - dos contos da autoria de Roussado Pinto, editada pela Portugal Press - teve 28 números entre 1976 e 1978, coexistindo com a musa norte americana: Vampirella.
Os traços das duas musas são bastante parecidos: com generosas curvas e minúsculos trajes (embora nesse quesito, Zakarella era bem mais despudorada), mas as semelhanças param por aí, Zakarella não era vampira. Ela foi parar no inferno e a partir daí é envolvida em várias e diabólicas aventuras lutando contra ou a favor da malandragem de Lisboa e arredores (dependia da vontade de Satã). E possuía o poder de regenerar seu corpo após suas lutas contra monstros bizarros.




SATANA

Satana, foi criada por Roy Thomas e John Romita, aparecendo pela primeira vez em Vampire Tales, em outubro de 1973.
Satana Hellstrom nasceu alguns anos depois de seu irmão Daimon. Quando ela ainda era uma criança, sua mãe Victoria Hellstrom,descobriu que seu marido e Satana realizavam um ritual de magia negra no porão de sua mansão na Nova Inglaterra. Victoria ficou louca ao testemunhar a transformação de seu marido e morreu logo depois. Daimon foi colocado em um orfanato, e Satana foi levado para o "Inferno", para ser treinada no uso de seus poderes demoníacos.
Satana estava possuída por um demônio poderoso chamado “O Basilisco”. Satana permaneceu em pleno controle de sua mente e corpo, no entanto, o basilisco tinha que fazer uma oferta, quando ela o tirasse de seu corpo. No entanto, ela se deu conta de que quanto mais ela usou o basilisco para servir os seus fins, mais forte ela cresceu, e que talvez um dia isso voltasse contra ela.
Satana foi enviado para a Terra, onde era necessário para ela se alimentar de almas. Ela costumava se passar por uma prostituta para satisfazer suas vítimas.
Seu pai continuou a testá-la, e Satana, finalmente, recusou-se a servi-lo. Ela tentou o seu melhor para lutar contra outras forças do mal, bem como aprender sobre os seres humanos.
Satana soube que o 
Doctor Strange tinha usado o “hartra's Book of the Damned”. Seu corpo físico foi amaldiçoado para ser um lobisomem, enquanto o seu corpo astral foi preso por demônios. Sabendo que ele era de grande importância, Satana o libertou e morreu, assim como o basilisco.
Anos mais tarde, Satana foi ressuscitada através de meios desconhecidos. Doctor Strange pediu a ela, Jennifer Kale e Topaz para ajudá-lo a parar Hellphyr.
Depois que Jennifer Kale se infiltrou na balsa com facilidade, Luke Cage se uniu com o Doctor Strange para trazer Satana para os Thunderbolts. 





LILITH, A FILHA DE DRÁCULA

Lilith, a filha de Drácula, apareceu pela primeira vez em Giant-Size Chillers apresentando Curse of Dracula # 1 (Junho de 1974), e foi criado por Mary Wolfman e Gene Colan. A maioria de suas aparições individuais foram escritos por Steve Gerber.
O personagem apareceu em seguida Tales Vampire # 6 (agosto de 1974), The Tomb of Dracula vol. 1 # 23 (Agosto de 1974), The Tomb of Dracula vol. 1 º 25 (outubro de 1974), n º 28 (janeiro de 1975), Dracula Lives # 10-11 (Janeiro-Março 1975), Marvel Preview #12 (Setembro de 1977), The Tomb of Dracula vol. 1 º 60 (Setembro de 1977), Marvel Preview # 16 (Junho de 1978), The Tomb of Dracula vol. 1 # 66-67 (Setembro-Novembro 1978), The Tomb of Dracula vol. 2 # 3 (Fevereiro de 1980), 5-6 (junho, agosto 1980), Uncanny X-Men Annual # 6 (1982), e sua aparente "morte" ocorreu em Dr. Estranho vol. 2 º 62 (Dezembro de 1983). Ela fez uma aparição póstuma em Doctor Strange, Sorcerer Supreme # 9 (novembro de 1989).
Lilith retornou anos depois, em Ghost Rider vol. 3 # 82-85 (fevereiro a maio de 1997),Spider-Man ilimitado vol. 2 # 20 (Maio de 1998), Dracula: Lord of the Undead # 1-3 (Dezembro de 1998), bruxas # 2 (agosto de 2004), Howling Commandos de Nick Fury# 2-6 (janeiro-maio ​​de 2006), e Legion of Monsters : Morbius # 1 (setembro de 2007).
Lilith recebeu uma entrada no Official Handbook of the Marvel Universe  #18, eOfficial Handbook of the Marvel Universe: Horror 2005.
Lilith é a filha mais velha de Drácula, e é sua única filha com sua primeira esposa, Zofia. Depois que o pai de Drácula morreu, ele renunciou Zofia e forçou ela e sua filha recém-nascida a deixarem o Castelo de Drácula para que ele pudesse se casar com a mulher que ele realmente amava. Lilith foi criada por ciganos, pois sua mãe se suicidou. A mãe adotiva de Lilith era a cigana Gretchin. Quando Lilith era ainda menina, Drácula atacou e matou Arni, filho de Gretchin, enfurecendo-a em busca de vingança. Ela lançou um feitiço sobre Lilith para fazê-la vampira, mas com diferentes poderes: ao contrário dos vampiros convencionais da Marvel, ela não teme os símbolos sagrados. Como parte da maldição, ela iria assombrar Drácula, sempre se opondo à ele. Sempre que ela morria, reapareceria assumindo corpo de uma mulher que odiava o pai e desejava sua morte, o que inclui a capacidade de mudar as formas e roupas entre a própria forma de Lilith e de sua "hostess".
Embora ela pode beber sangue, ela não é dependente dele para seu sustento. Os poderes de Lilith incluem força sobre-humana, durabilidade e resistência. Ela tem uma grande capacidade de manipular as forças de magias para uma variedade de efeitos, incluindo as manifestações de energia e outras ainda não reveladas.



LADY DEATH


Lady Death foi criada por Brian Pulido e Steven Hughes, já foi ilustrada por Steven Hughes. Mike Deodato Jr., Romano Molenaar e Ivan Reis. Sua primeira aparição foi em Evil Ernie #1 pela editora Eternity Comics em dezembro de 1991. Reapareceu depois em Evil Ernie: The Resurrection, uma mini-série publicada pela já extinta Chaos! Comics em 1993.
Em 2002, com a falência da Chaos! Comics, os direitos da personagem foram vendidos para a CrossGen Comics. Em 2004 a GrossGen, também com dificuldade financeiras entrou com pedido de falência, vendendo novamente os direitos do personagem.
Em 2005 Lady Death voltou a ter suas histórias publicadas, dessa vez pela Avatar Press. Foi a última editora a publicar as séries da Lady Death. 
A personagem teve títulos publicados no Brasil  pelas editoras Mythos e Atlantis 4.


A primeira Lady Death era uma violenta e sexy vilã, que era percebida por uma alucinação pelo rapaz Ernest Fairchild. Ela prometeu amá-lo para sempre, (amor que ele nunca tinha tido) em troca da sua lealdade. Essa lealdade era matar toda a gente na Terra, era vista como uma mulher sádica que dava a Ernie o incentivo para matar. No inicio ela não tinha um propósito real, ou história pessoal.
Com a progressão da história, Lady Death afastou-se do seu papel de namorada de Ernie e começou a sua própria história.Com a mudança a sua personalidade mudou drasticamente da vilã sexual para uma heroína.

O enredo da Lady Death clássica começa na Suécia medieval.A mulher que se iria tornar na Lady Death nasceu como mortal chamada Hope.O seu pai era um nobre local chamado Matthias que forçava os aldeões a combaterem integrados no seu exército, a guerra exacta onde combatia não é especifica mas suspeita-se que fossem nas “Northern Crusades” também conhecidas como “Baltic Crusades”.
Matthias guardava um segredo negro da sua inocente filha.Apesar de apoiado e enaltecido pela igreja pelo seu trabalho contra os pagãos,era desprezado pelo povo sendo considerado um vilão.

Matthias era piedoso, mas secretamente balançava entre a magia negra e a demonologia. Era um descendente dos “Fallen Angels” (Anjos Caídos) que tinham liderado a batalha contra Deus. Em contraste a mãe de Hope era pura e inocente, que a sua linhagem sanguínea chegava aos céus. A mãe de Hope morreu quando esta era um adolescente e ela ficou a viver com o pai. A crueldade de Matthias fez com que os aldeões se amotinassem. Matthias escapou por pouco á morte nas mãos dos rebeldes ao chamar um demónio, mas Hope foi capturada e acusada de bruxaria. 
Na eminência de ser queimada viva na fogueira, Hope recitou um encantamento que tinha ouvido o pai fazer muitas vezes. Este encantamento chamou um demonio que lhe fez uma proposta; ele a salvaria da morte se ela renuncia- se á sua humanidade e servisse os poderes do Inferno. Hope aceitou e foi transportada para o Inferno. Uma vez no Inferno, Hope viu-se no meio de uma guerra civil que se travava entre Lúcifer e um exército de demonios renegados liderados por um poderoso feiticeiro. Hope ficou devastada quando percebeu que o feiticeiro ambicioso que desafiava Lúcifer pelo controlo do Inferno era o seu próprio pai.

Gradualmente corrompida pela natureza do que a cercava, Hope ficou impregnada de maldade.Aliou-se a um homem exilado que forjava armas para o exército infernal. Enquanto falava com ele declarou que a mulher inocente que tinha sido outrora tinha morrido e que no lugar dela havia somente Lady Death.
Com o seu novo nome, Lady Death liderou um exército contra os senhores do Inferno , durante o combate final Lúcifer lançou uma maldição em que ela nunca voltaria à Terra enquanto os vivos caminhassem. Lady Death contornou a maldição de Lúcifer dizendo que exterminaria toda a vida na Terra.
Lady Death terminou com o controle de Lúcifer atirando-o para o Portão do Céu (um sitio onde o mal não pode ir) e assim tornou-se na governante do Inferno.
Muitos dos seres do inferno, acreditam que a ascensão de Lady Death assinala o começo da era do julgamento – a batalha final entre o bem e o mal pelo destino da Terra.




BELZEBA



Belzeba, a filha do diabo, foi criada por Sandro Angiolini, aparece em 30 episódios entre 1977 e 1978, pela editora EdiFumetto. Nascido do ventre de uma vaca, Belzeba é filha do Diabo e foi enviada à Terra para impedir os planos do inquisitor Tomás de Torquemada. Belzeba é sedutora, cruel e com ambos os sexos! Foram mais  de 30 publicações e dois suplementos publicados na Itália a partir de 1977, Angiolini construiu uma saga completa de sangue, violência e horror!

Belzeba, apesar de sua condição de hermafrodita é completamente feminina, aparecendo como um cabelo loiro, curto, com dois chifres. Amoral, perversa, sádica e sexualmente liberada, sem restrições de qualquer natureza, quando se trata de usar a violência para se livrar de seus oponentes ou para atingir os seus fins, sem possuir nenhuma moral para desfrutar de todos os prazeres e insaciáveis ​​apetites sexuais sádicos, com homens e mulheres.



SATANIK
Satanik foi criada em dezembro de 1964 pelo escritor  Max Bunker e pelo cartunista Magnus. O enredo é baseado no romance de Dr. Jekyll e Mr. Hyde, de Robert Louis Stevenson e nos mostra uma cientista chamada Marnie Banister, que possui um defeito facial horrível, ela então cria uma droga milagrosa capaz de torná-la uma “femme fatale”. No entanto, a droga tem um efeito colateral, transformando sua personalidade e levando-a a cometer vários crimes.
A série também incorporou vários elementos de forte erotismo, o que a levou a ser questionada pela Igreja Católica italiana, tendo vários problemas com a censura e alguns dos livros foram confiscados pelas autoridades (como "Assassinato na casa de correção"). Na série aparecem muitas criaturas fantásticas do gênero de horror, como fantasmas, vampiros e elementos de magia negra. A última aparição de Satanik foi na edição 231 de novembro de 1974.
Editora Bloch, Brasil anos 80


Na América Latina, a série foi lançada no Brasil e no Uruguai.













Satanik, de Bunker foi transformado em filme em 1968 pelo diretor Piero Vivarelli, com Magda Konopka no papel principal.





YRA
Yra, a vampira foi criada  por Leone Frollo e Rubino Ventura em uma série de 12 publicações entre 1980 e 1981, pela editora Edifumetto.

Yra é a única filha de um casal de humildes pastores. Devido à sua aparência super sensual, ela desperta interesse em Drácula, que manda seus guardas para sequestrá-la. Drácula obriga a moça a se casar com ele, mas antes tortura seus pais até a morte, mostrando à ela os corpos mutilados. Ela resiste a dor e ao sofrimento e durante a sua noite de núpcias, enquanto é estuprada por Drácula, ela o atinge no rosto, arrancando-lhe os olhos. 
Condenada a morte, na cadeia, Yra recebe a visita de uma bruxa velha e lésbica: Romilda. Ansiosa por fazer de Yra sua escrava/amante, a velha bruxa ajuda a camponesa fugir, fazendo-a morrer e depois a ressuscitando como vampira. Yra agora está longe de ser aquela menininha ingênua e bondosa, ela se transforma numa criatura cruel, sedenta de vingança e sangue! Suas histórias misturavam aventuras eróticas e horror.







ZORA


Zora, a Vampira, saiu da mente febril de Giuseppe Pederiali e Biraghi, publicada pela editora Edifumetto. Sua aparência física foi parcialmente inspirada na atriz francesa Catherine Deneuve, como é claramente visível na capa da primeira edição. O vampirismo lhe foi causado pela picada do próprio Drácula, que tornou-se seu servo, deixando-a livre para satisfazer seu desejo e sede de sangue. Ela viaja através do tempo para experimentar suas aventuras, misturando horror, erotismo e pornografia, em particular nos últimos números.  Sua longa carreira, desde 1972 até 1985, rendeu 235 álbuns, 12 especiais e muitas reedições, com arte de vários artistas.  









SUKIA
A vampira Sukia foi criada por Nicholas Príncipe e publicada pela editora Edifumetto entre 1977 e 1986, num total de 153 edições. Seu visual foi fortemente inspirado na atriz Ornella Muti, símbolo sexual da época. Morta no século XIII, Sukia reviveu vampirizada acidentalmente em 1724. Sukia Dragonic é um milionário que vive em Nova York contemporânea. Geralmente acompanhada pelo seu secretário homossexual Gary, que em mais de uma ocasião, acabou roubando os holofotes ... e muitos amantes.

A série foi publicada na Itália, Alemanha, França e América Latina, onde, impressa na Colômbia, foi distribuída em toda América do Sul. A versão da América Latina também pode ser encontrada na América do Norte. 





JACULA

Publicado pela Ediperiodici, então Edifumetto, de 1969 a 1982, num total de 327 publicações. Não encontrei informações sobre quem a criou. A vampira loira com curvas generosas, que foi vampirizada na Transilvânia em 1835. Através de um ritual mágico pode viver até mesmo durante o dia e é acompanhada em todo o mundo por seu amante, Charles Verdier, que também a salva de situações perigosas. Ela também foi casada com um homem chamado Torlin Novak, ea relação resultou em uma criança cuja alma foi prontamente entregue a Satanás . Suas histórias apresentam motivos recorrentes dos clássicos da literatura de horror. Frankenstein, O Homem Invisível, o bisneto do Marquês de Sade e o diabo fizeram aparições em suas edições. 





















LUCIFERA

Lucifera teve arte de teve a arte de Edoardo Morricone, Leone Frollo e Tito Marchioro, foi publicada na Itália entre outubro de 1971 e agosto de 1980, no total de 170 números.

Lucifera era um súcubu, um demônio com figura feminina, íntima do próprio Satanás, que se movimentava pela Europa medieval tentando combater o imperador Carlos Magno e a sociedade cristã, a qual era retratada de forma extremamente desregrada e hipócrita. Para atingir os seus fins, Lucifera contava com vários aliados, desde árabes a normandos e saxões, dos quais se tornara igualmente íntima, muito embora se chegue a apaixonar por Fausto, um jovem que representa o bem.





Por Coffin Souza e Gisele Ferran


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...