quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Mary Woronov: Rainha Cult Absoluta (Parte 2)




                                                                                          Woronov em "Dick Tracy" (1990)

Mary Woronov esteve novamente com Robert Beltran (de Eating Raoul) na comédia de ficção científica (de baixo orçamento) "Night of the Comet" (1984) de Thom Eberhardt. Após a passagem de um cometa próximo da terra, o planeta fica devastado. Na cercanias de Los Angeles, duas belas garotas tentam sobreviver as dificuldades e ao aparecimento de mortos-vivos furiosos. Beltran faz um sobrevivente boa-pinta que se aproxima das garotas e Mary é Audrey, uma cientista de uma base governamental, guerreira e trágica.





Mary viveu a diabólica Doutora Fletcher, no drama de suspense e ação "Hellhole" (Buraco Infernal, 1985) de Pierre de Moro. Uma jovem (Judy Landers), traumatizada pelo assassinato de sua mãe, vai parar em um asilo psiquiátrico que lembra muito uma prisão feminina, e onde a sádica e lésbica doutora realiza experiências  cerebrais com as internas. Além disto, o assassino vai atrás dela para elimina-la. Muitos clichês dos filmes W.I.P. como banhos coletivos e brigas entre as  internas e Woronov em uma ótima e sinistra atuação. 






1986 foi o ano do terror para Mary Woronov, com suas participações em "TerrorVision" (A Visão do Terror, 1986) de 
Ted Nicolaou, onde viveu a mãe da família que tem contato com alienígenas muitos estranhos (e engraçados) via antena parabólica...






 "Chopping Mall/Killbots" (1986) de Jim Wynorski, onde fez sua tradicional participação especial junto com Paul Bartel e Dick Miller e...


 "Nomads" (Delírios Mortais,1986) de John McTiernan, onde ela e Adam Ant são encarnações modernas de antigos demônios que atormentam um antropólogo. Estréia na direção do futuro especilalista em blockbusters de ação (Predador, Duro de Matar) e com o futuro James Bond Pierce Brosnan...




Woronov e Bartel também apareceram juntos em "Mortuary Academy" (Loucademia Funerária, 1988) de Michael Schroeder, uma comédia maluca de humor negro, ao estilo "Loucademia de Polícia", sobre as confusões de dois irmãos que precisam passar em curso para agentes funerários, ministrado por uma dupla de professores bastante insanos...





...e em "Scenes from the Class Struggle in Beverly Hills" (Luta de Classes em Berverly Hills, 1989) de Paul Bartel, sobre um fim de semana na mansão de uma viúva rica, com direito a muito sexo, fantasmas e confusões com os empregados. Comédia com crítica social ácida, bem ao estilo de Bartel! Também com a participação de Robert Beltran e vários amigos e parceiros do diretor.




Em "Warlock" (Warlock- O Demônio, 1989) de Steve Miner, Mary faz a paranormal Channeler, que é uma das chaves para um feiticeiro do séc 17 (Julian Sands) encontrar um poderoso livro satânico em pleno séc. 20. Originalmente ela teria "olhos diabólicos" nos bicos dos seios, que seriam arrancados pelo feiticeiro depois de congelada por ele. A cena foi rodada assim, com efeitos de Carl Fullerton, mas depois refilmada de forma mais branda.




                       fotos da cena cortada na versão final de "Warlock"

Woronov continuou a aparecer em filmes de terror "B", como "Watchers 2" (1990); filmes de rock, como "Rock'n'Roll High School Forever" (1991), Exploitations e séries e filmes para a TV. Ela foi uma das inúmeras participações especiais em "Devil's Rejects" (Rejeitados pelo Diabo, 2005) de Rob Zombie e atualmente o documentário "Mary Woronov- Cult Queen From Warhol to Corman" (2013) faz o circuito de festivais de cinema pelo mundo.

A multi-talentosa Woronov também é escritora ( a novela "Snake" e sua auto-biografia "Swimming Underground: My Years in the Warhol Factory" ) e artista plástica conceituada, com diversas exposições de suas pinturas...




Ela mantém um site na internet ( http://www.maryworonov.com/) e está no Facebook. Foi amiga até a morte de seu inseparável parceiro Paul Bartel ( morto em 2000 após uma operação para a retirada de um tumor) e do diminuto ator Hervé Villechaize (1943-1993)...

"Você sabe, no começo com Warhol, eu fui chamada de Freak! A revista Time, não disse que eu era uma atriz, eles disseram que eu era uma "Fucking Freak"! Então, depois eu adquiri o status de Rainha Cult. Eu fui promovida! (risos) Respeitada, pelo menos!"
                 
                                (Mary Woronov em entrevista para Dan Persons na revista Femme Fatales)




a carcereira Dyanne no W.I.P. "Prison A-Go-Go!" (2003)



                   
                                 "The Halfway House" (2004) como a sinistra Irmã Cecilia



 com suas colegas e rainhas Cult , Barbara Steele e Martine Beswick e abaixo, um de seus quadros premiados...


                                                                          by Coffin Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...