sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Amor Zumbi : A Volta dos Mortos Vivos 3


A 20 anos atrás, o ocupado produtor/diretor Brian Yuzna (Re-Animator, Society, O Dentista, Rottweiller... ) juntou forças com o roteirista John Penney para criar um tipo de filme de zumbis totalmente novo. Apesar de ser a terceira parte de uma série, a história de um casal apaixonado em fuga e reflexões sobre a nossa natural dificuldade de aceitar a morte, criaram um clássico moderno, superior em alguns pontos ao filme original.




O jovem Curtis (J. Trevor Edmond) leva  secretamente sua bela namorada Julie (Mindy/Melinda Clarke) ao laboratório militar aonde seu pai está envolvido com experimentos para transformar mortos-vivos em armas.



 O casal testemunha a reanimação de um corpo apodrecido, e após um trágico acidente, Curtis volta a base com o cadáver de sua namorada e um plano desesperado. Ele é bem sucedido em restaurar a vida da garota, mas ela volta com a inevitável fome de carne humana.






 Diferente de outros zumbis, Julie parece manter sua consciência e amor por Curtis, e utiliza um artifício para afastar o desejo de devorar o amado:  corta e tortura/enfeita seu corpo com "body piercings" radicais (pedaços de vidro, metais, ganchos e argolas). Esta amálgama de sexo, morte e dor é o tema central de Return III, que foi concebido com o título original de "Zombie Love". 





A atuação de Mindy Clarke como a atormentada Julie é exemplar e ajudou a fazer o primeiro filme contado do ponto de vista de um zumbi. Sua auto-mutilação e reconstrução estética marca um dos primeiros crossovers entre o cinema de horror e o mundo da "body-modification".



Yuzna e John Penney haviam criado o personagem de Julie para ser uma figura impressionante e doce, mas foi Clarke que deu a tônica do filme. Penney relembra em uma entrevista: "Os elementos sexuais vieram com Melinda. Quando uma mulher como ela está a sua frente, você não consegue ignora-la. Ela era muito livre com seu corpo e incrivelmente sexy, o que levou o filme a uma direção que honestamente me pegou de surpresa."





Yuzna visitou clubes de fetichismo para aprender mais sobre tatuagens, scarification e piercings e contratou o maquiador Steve Johnson para criar o visual inimitável de Julie.
Outros gênios dos efeitos contribuíram para a criação dos mortos vivos torturados do filme, principalmente Screaming Mad George (que fez um trabalho notável com Yuzna em Society) e Wayne Toth.  



Um os zumbis impressionantes do filme aparece nas cenas iniciais, o corpo apodrecido, esquelético e fantasmagórico que é reanimado. Yuzna conta: "Eu queria utilizar um boneco, mas não estávamos conseguindo achar a forma certa. Então eu procurei a pessoa mais magra e frágil que eu pudesse contar e achei um sem-teto que vivia em um aeroporto. Nos intervalos das filmagens ele queria voltar para sua "casa" então o hospedamos em um hotel próximo."



Infelizmente o filme não teve a recepção e sucesso que merecia nos anos 90. A época era de transição dos Slashers e comédias de terror dos 80 para os filmes mais bem elaborados e o "boom" dos filmes de zumbis dos anos 2000.
O filme também teve problemas com a censura em diversas partes do mundo, como na África do Sul, aonde foi proibido com a alegação de conter "violência diabólica e sexual" !



Yuzna também cita outro motivo para o filme não ter sido um sucesso inicialmente "Nós sempre odiamos que Return of the Living Dead III não tenha tido seu título original. O fato de ter um III nele e parecer apenas mais uma continuação prejudicou sua própria identidade. Se ele se chamasse "Zombie Love", certamente teria tido um pouco mais de atenção inicialmente."




A maravilhosa Melinda Clarke infelizmente só apareceu em outros dois filmes do gênero, "La Lengua Asesina" (Língua Assassina, 1996) de Alberto Sciamma e em "Spawn- O Soldado do Inferno" (1997), tendo se dedicado quase que exclusivamente a séries de TV.



                                                                       Killer Tongue

Mas as coisas mudaram e "A Volta dos Mortos Vivos III" é hoje uma produção cultuada e estudada. De qualquer forma, ele é sem dúvida, um dos filmes do gênero mais subestimados de todos os tempos.



                                                                                                                   by Coffin Souza

2 comentários:

  1. Sempre achei esse filme muito sensual! Muito diferente de todos os filmes de zumbis. Talvez por ser masoquista me identifico muito com a personagem da Melinda. A dor é o que faz controlar sua sanidade! Adorei o Post!

    ResponderExcluir
  2. eu gostei deste filme quando assisti em sua primeira exibição na TV Aberta em 1995 na TELA QUENTE da REDE GLOBO...tento ate hoje ter uma copia dele em VHS e é realmente uma pena que este filme não saiu em DVD aqui... acho que foi um erro coloca-lo com uma continuação do filme " A VOLTA DOS MORTOS-VIVOS" ~..mas são coisas de Hollywood que pensam mais em dinheiro do que um filme diferente com outra visão do genero zumbi.
    Ótimo post .
    abraços de Spektro 72

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...