quarta-feira, 2 de julho de 2014

O Porno-Terror de Andreas Bethmann

Andreas Bethmann é um Diretor, produtor, roteirista, câmera, técnico em efeitos visuais, maquiador, ator, escritor, crítico (e muito mais), nascido em Brunswick, Alemanha em 1970.



Auto didata e independente, fundou a produtora AB Video-Pro para fazer seus vídeos de terror underground e amadores, começando com "Der Totenhügel" (1994).
Bethmann faz parte da geração de diretores/produtores germânicos independentes dedicados aos filmes gore que iniciou com Jörg Buttgereit e seguiu com Andreas Schnass e Ollaf Ittenbach.



Um amador entre os  amadores  do underground, seu estilo de cinema tem sido comparado aos de Joe D'Amato e Jesus Franco (que fez aparições em projetos de Bethmann). Seu estilo é o exploitation puro e violento, com torturas, facadas, estupros e abuso de mulheres.   Ele não tenta disfarçar seus vídeos de sexploitation como arte ou sofisticação, mas vai diretamente para o sleaze e o gore, atendendo exclusivamente e repetidamente a este nicho.



 Bethmann mudou-se para a pornografia pesada no final de 1990 (realizando 14 vídeos XXX), e depois, assim como seu "mestre" Jesus Franco, passou a misturar terror com sexo explícito. Ele muitas vezes lança seus filmes em duas versões, uma soft e outra hardcore.


                                                       um dos pornôs de Bethmann


 Além de fazer filmes, Bethmann os distribui através do selo X-Rated Kultvideo, atua como editor de revistas como a X-Rated e Art of Horror, e é autor de vários livros, incluindo "Deep Wet Torture Handbook" ," Freitag der 13", "Chronicles" , "Jess Franco Chronicles", "Deep Red Gore Handbook  : Die 100 blutigsten Horrorfilme", "Porno Holocaust -  Die Films des Joe D'Amato" e "Über dem Jenseits  -  Die Films des Lucio Fulci".




FILMOGRAFIA SELECIONADA:

"Der Tosesengel" (Angel of Death: Fuck or Die, 1998). Um Rape& Revenge auto-rotulado  como splatter-porn. Uma dominatrix  e seus capangas sequestram mulheres, forçando-as a se prostituir, estuprando, torturando e matando-as.



 Uma modelo é estuprada e procura vingança sangrenta contra todos que encontra. São duas horas e meia com coisas como cabeças explodindo, vísceras arrancadas de um homem, um pênis arrancado a dentadas e sexo com uma cabeça decapitada. 



"Der Todesengel 2" (Angel of Death 2 : The Prison Island Massacre, 2007). Uma continuação apenas no nome. Bethmann caminha aqui pelo gênero "W.I.P." com sexo hard core e gore. Uma menina é estuprada e depois presa injustamente em um presídio em uma ilha.



 Todos os clichês do gênero, carcereira sádica (Lina Romay), guardas tarados, médico louco (Dr. Morpho, o próprio Bethmann citando Jesus Franco que aparece no filme como um prisioneiro maluco) etc.



 Seu pai contrata um grupo de mercenários para resgatá-la e destruir a instituição. Nudez, fugas, muito sexo lésbico, sadismo, florestas, armadilhas, aranhas. Há apenas duas cenas de gore extremo, cortesia de seu colega Olaf Ittenbach nos efeitos: uma envolvendo um alicate arrancando um pênis, e outra com dentes arrancados e escalpelamento.



"Dämonenbrut" (Demon Terror, 2000). Continuação temática de seu "Die Insel der Dämonen" (Island of the Demons, 1998). Um grupo de marginais fugindo da polícia se refugia em uma ilha aparentemente deserta.



 O local parece ser uma dimensão paralela, onde um demônio com tentáculos (estilo Hentai/Tits & Tentacles) com brocas nas pontas, rasga carnes, cospe ácido e penetra as mulheres pela vagina, transformando-as em monstros dentuços canibais. Maquiagens e efeitos bastante amadores e edição idem. Uma sequencia interminável de cenas de splatter que acabam se tornando chatas...




"Rossa Venezia" (2003). Em co-produção com a Itália, Bethmann faz um filme com mais cuidado técnico e participações muito especiais. Em Veneza, mulheres são raptadas, torturas e mortas por um assassino misterioso.



 Na Villa Maledetta 13, mora uma mulher perturbada que havia assassinado o marido ao pega-lo com uma prostituta. Agora ela é uma psicopata que atraí jovens prostitutas para sua casa, onde as tortura sexualmente e mata. Mortes com ácido, vaginas perfuradas, decapitação e eletrocussão com um dildo...




Jesus Franco e Lina Romay fazem os pais de uma das vítimas, que inconsoláveis acabam se matando. Bastante sexo explícito misturado com cenas nojentas.



 "Exitus Interruptus" (Exitus House, 2006)
Algum tempo atrás, a lésbica Manuela foi estuprada na floresta e acabou matando seu estuprador. Desde então, ela se trata com um psicólogo.








 O que ela não sabe é que seu psicólogo é na verdade o irmão de seu estuprador - e ele tem estado à espera de uma oportunidade para reunir os dois ( e mais a mãe também morta dos dois, homenagem óbvia a Psicose de Hitchcock). Torturas sexuais (sem muito sangue desta vez) e referência também a "Nekromantik", quado o psicopata amarra um vibrador em seu irmão decomposto e  força Manuela a foder com ele...




"Exitus 2 : House of Pain" (2008). Continuação direta do filme anterior.





 Dois anos depois, Sophie, a irmã de Manoela e sua namorada Lena, não acreditam que ela esteja morta e acabam descobrindo a casa do psicopata (que morrera no final do filme). Agora o lugar é habitado por uma discípula/paciente do psicólogo louco e que continua seus experimentos sádicos. 



Um rapaz também é levado por uma prostituta para o local, e todos são envolvidos em jogos sangrentos de torturas, necrofilia e mortes...



Andreas Bethmann (que às vezes assina como A.M.Bertucci, A.Latte, Andre De Palma ou Frank Bertmann), continua a trabalhar (e em parceria com Olff Ittenbach),  em filmes como "K-3 Prison of Hell" (2009), outro W.I.P.; no elogiado "Die Gerschichte der Andersen" (Help Me I Am Dead, 2013) ou no ainda inacabado "Terror Creek" (2014)... 




                         Ittenbach trabalhando em uma makeu-up para "Help-Me I Am Dead"





                                                                                                            By Coffin Souza




















 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...