segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Karin Dor : Krimi Lady!


"Sempre envolvida em crimes": este podia ser o resumo da carreira da bela alemã Karin Dor.
Nascida Kätherose Derr em Fevereiro de 1938 em Wiesbaden, Hess, Alemanha. Iniciou no cinema com uma ponta no drama romântico "A Última Valsa" em 1953. Logo foi descoberta por Harald Reinl, um dos diretores especialistas no gênero conhecido como "Krimi", adaptações das novelas policiais do inglês Edgar Wallace na Alemanha. Mas a primeira parceria entre eles em foi no melodrama "Der Scweigende Engel" de 1954 e fora das telas, já que se casaram no mesmo ano!
O primeiro Krimi deles foi "Die Bande des Schreckens" (A Quadrilha do Horror, 1960) de Harald Reinl. 
 Um criminoso é executado, mas antes de morrer, ele ameaça se vingar de um número de pessoas que participaram dos processos judiciais. Logo depois de sua morte, sua ameaça começa a se tornar realidade. Enquanto a polícia tenta resolver o caso, os cadáveres vão se acumulando. A bela Nora (Karin Dor) fica no caminho do assassino misterioso e ela e seu namorado também passam a correr perigo.  Um Krimi muito bom, com direção precisa, clima de terror, bela fotografia e atuação profissional.



Karin estaria em "Der Grüne Bogenschütze" (The Green Archer, 1961) de Jürgen Roland e "Der Fälsen von London" (1961) de Harald Reinl, em histórias mais tradicionalmente policiais. Em "Die Unsichtbaren Krallen des Dr. Mabuse" (O Invisível Dr. Mabuse, 1961) de Harald Reinl, o ex-Tarzan Lex Barker, é um agente do FBI que persegue o sinistro Dr. Mabuse ,que todos acreditavam ter morrido. 



Através de um soro de invisibilidade, roubado de um cientista desfigurado, ele pratica diversos crimes e assassinatos, visando dominar o mundo. Karin é Liane Martin, uma dançarina que acaba refém de Mabuse e seu bando e é salva pelo herói. 



O super-criminoso Dr. Mabuse surgiu em novelas de Norbert Jacques e foi levado ao cinema por Fritz Lang em 1922, 1933 e ressuscitado pelo mesmo diretor em "Os Mil Olhos do Dr. Mabuse" em 1960.




Mas o casal não fazia só Thrillers macabros: "Der Schatz im Silbersee" (O Tesouro dos Renegados, 1962) de Harald Reinl, é a primeira das muitas versões das novelas de Karl May sobre o chefe pele-vermelha Winnetou (Pierre Brice) e seu inseparável amigo branco, o homem das montanhas Old Shatterland (Lex Barker). Sucesso em todo o mundo, estes "Chucrute-Westerns" eram filmados com orçamentos modestos, cenários, figurinos e principalmente indígenas americanos extremamente falsos. Divertido de se assistir com o espírito trash, principalmente com os "índios" falando Alemão! Karin, nesta aventura vive a americana Ellen Patterson. Em "Winnetou II: Teil" (Winnetou, 1964) de H.Reinl, Karin é a índia Ribanna, por quem Winnetou (e toda a audiência masculina do filme) se apaixona!



Voltando ao mundo do crime, Karin Dor esteve em "Die Weibe Spinne" (A Aranha Branca, 1963) de Harald Reinl, sobre uma gang de criminosos assassinos; "Der Würger von SchloB Blackmoor" (The Stangler of Blackmoor Castle, 1963) também de Reinl, sobre um estrangulador mascarado; e "Das Geheimnis der Scharzen Witwe" (O Segredo da Aranha Negra, 1963) de Franz J.Gottlieb, com Klaus Kinski.





O produtor independente Harry Alan Towers, procurando fazer frente ao enorme sucesso dos filmes de James Bond/007, iniciou uma série de adaptações das obras Pulp de Sax Rohmer com o diabólico vilão oriental Fu-Manchu. Em sua primeira produção "The Face of Fu-Manchu" (A Face de Fu-Manchu, 1965) de Don Sharp, ele investiu pesado (para o padrão de suas produções fuleiras) com elenco internacional, cenários e cenas de ação.
















Christopher Lee é o Dr. Fu-Manchu (contratado para 5 filmes como o personagem, que já havia sido vivido no cinema por Boris Karloff e outros); Nigel Green é o seu eterno inimigo Nayland Smith e Karin Dor a mocinha-sempre-em-perigo; nesta ótima aventura aonde o vilão pretende conquistar o mundo utilizando um potente gás venenoso....




Ela também foi a heroína em "Upperseven, L'Uomo da Uccidere" (Upperseven, O Agente do Diabo, 1966) de Alaberto de Martino, uma das inúmeras tentativas italianas (aqui em co-produção alemã) de criar um novo 007. Paul Hubschmid é o agente de muitas faces conhecido como Upperseven e Karin sua namorada Helen, em um típico Euro-Spy que também teve a participação da deusa italiana Rosalba Neri.






Na aventura fantástica/mitológica "Die Nibelungen" (A Quem os Deuses Desejam Destruir ? , 1966) de Harald Reinl, Karin Dor foi a Rainha Brunhild, amada do herói Siegfried (Uwe Beyer), envolvido com magia, dragões e até com Terence Hill (Mario Girotti), antes de seu sucesso como Trinity. O filme original alemão é dividido em duas longas partes ("Siegfried" e "Kriemhilds Rache ") lançadas separadamente. A versão lançada no Brasil é uma condensação das duas histórias.




Depois de participar de imitações dos filmes de 007, a linda Karin Dor teve a honra de ser a primeira Bond-Girl alemã no filme "You Only Live Twice" (Com 007 Só Se Vive Duas Vezes, 1987) de Lewis Gilbert. James Bond (Sean Connery) vai ao Japão investigar o roubo de cápsulas espaciais russas e americanas por um poder desconhecido. Lá ele tem a companhia de lindas Bond-Girls orientais (entre elas a estupenda Mie Hama) e se depara com o sinistro Blofeld (Donald Pleasence), que quer provocar uma guerra entre as potências estrangeiras. Karin Dor é a perigosa e sensual vilã alemã Helga Brandt.



Karin foi reunida novamente com Lex Barker e Christopher Lee para o terror " Die Schlangengrube und das Pendel" (Sangue das Virgens, 1967) de Harald Reinl, levemente baseado no conto "O Poço e o Pêndulo" de E.A.Poe.



 Lee é o sádico Conde Regula, que no passado foi executado por ter torturado e assassinado 12 virgens em seu calabouço. Ele retorna para se vingar da filha da mulher que seria sua vítima número 13 (Karin Dor) e do filho do homem que o condenou (Barker), e tentar alcançar a vida eterna.




Em 1968 o casamento e parceria entre Karin Dor e Harald Reinl terminou. Ela foi escolhida para um importante papel em "Topaz" (Topázio, 1969) de Alfred Hitchcock, uma trama de espionagem envolvendo a Guerra Fria e a crise dos mísseis em Cuba.



 Karin é Juanita de Cordoba, ex-namorada do agente secreto francês André Devereaux (Frederick Stafford) que o ajuda a desvendar o caso e acaba sendo assassinada pelos militares cubanos.




Ela estaria envolvida em outra trama com agentes do mal no divertido Trash "Los Monstruos del Terror"/"El Hombre que Vino de Ummo" (1970) de Tulio Demichelli. Aqui são dois alienígenas de um planeta moribundo que chegam a terra e se apossam dos corpos de um cientista (Michal Rennie, o antigo astro de "O Dia em que a Terra Parou -1951) e sua assistente (Karin Dor). 


O plano (9 ?) é dominar nosso planeta (...é claro!) revivendo um grupo de monstros temidos pela humanidade: o monstro de "Farancksalan", a múmia Tao-Tet, o vampiro Conde Meirhoff e o lobisomem Waldemar Daninsky (Paul Naschy, o famoso "Lobisomem Espanhol")...




No começo dos 70, Karin passou a se dedicar mais a TV, participando de séries e filmes especiais. Em 1977 ela seria a atriz principal de outro Trash: "Dark Echoes" (A Maldição de Ghor) de George Robotham, um terror austríaco sobre o fantasma/zumbi do capitão de um barco afundado que volta para a inevitável vingança.



 Karin Dor se casou com o diretor Robotham (um veterano dublê Hollywoodiano) e passou a se dedicar ao teatro, aonde ganhou grande reputação como atriz, algo que nunca conseguiu no cinema, apesar de sua beleza e carisma. Robotham faleceu em 2007 e Karin Dor voltou a fazer participações na TV, paralelas a sua carreira teatral.





                                                                                                                      By Coffin Souza





 








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...