segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Lorissa McComas : Beleza, Sensualidade e Tragédia...





Lorissa Deanna McComas, nasceu em 26 de Novembro de 1970 em Columbus, Ohio, USA. Estudou balé quando criança e começou sua carreira de modelo, enquanto ainda estava no colegial.
Lorissa formou-se na Princeton High School, em 1988, estava cursando Educação na Universidade de Miami antes de começar a trabalhar como stripper. 



Em 1990, McComas foi presa junto com outra stripper, acusada de prostituição por parte da polícia do Condado de Hamilton. Seu delito, considerado prostituição sob as muito rigorosas leis de Cincinnati daquele tempo, era permitir que um convidado em uma despedida de solteiro colocasse uma nota de dólar em uma dobra de sua cinta liga um pouco acima do joelho...




"Carinha de anjo", corpão de mulher, com grandes e lindos seios e belo traseiro, ela foi  destaque em literalmente centenas de revistas e calendários desde seus primeiros trabalhos como modelo da Playboy, em 1991.





Em 1994, ela era proprietária de Extasy Entertainment, uma empresa de strippers para os clientes na área de Cincinnati.  


Seu primeiro filme foi a comédia "Can It Be Love" (1992), e depois de uma participação em uma série de TV, fez sua estréia no cinema de gênero com o terror "Stormswept" (1995) de David I. Frazer. Co-escrito pela atriz e diretora pornô Svetlana, a produção mistura uma trama de satanismo e computadores, com muita nudez e sexo...



No mesmo ano, ela fez a personagem Bárbara, na versão televisiva de "Piranha" (1995) de Scott P. Levy, com William Katt e Alexandra Paul. Ela é a garota que é devorada pelas piranhas juntamente com seu namorado ao nadarem na piscina do laboratório.






"Droid Gunner" (Cyber Zone, 1995) de Fred Alen Ray, é uma das inúmeras imitações Trash de "O Exterminador do Futuro", com pitadas de "Blade Runner" e bastante nudez feminina...afinal é um filme de Olen Ray, né? Estrelado por Marc Singer e Mathias Hues, trazia entre os inúmeros convidados: Brinke Stevens, Robert Quarry, Ross Hagen, e Lorissa no papel da bela androide Moria...



Depois de fazer os eróticos "Virtual Desire" (Ligações com o Desejo, 1995) de Jim Wynorski, e "Lap Dancing" (1995, de Mike Sedan, primeiro filme em que fez o papel principal de Angie Parker - quase biográfico, pois falava sobre uma aspirante a atriz que trabalha em uma boate para sobreviver); ela foi uma Rainha Vampira na produção independente "Vamps : Deadly Dreamgirls" (1995) de Mark Burchett e Michael D. Fox. 




Lorissa fez uma ponta como uma garota em um bar, no interessante "Red Lips" (1995) de Donald Farmer. Apesar de rodado sem recursos e pelo quase sempre incompetente Farmer, a história trágica da garota (Ghetty Chasun) que se transforma em uma vampira depois de receber um soro experimental, e que não quer morder sua amante lésbica (Michelle Bauer), é interessante e tem bons momentos de gore e erotismo.



Em "Caged Woman II" (1996) de Ivan Rogers, Lorissa vive a vilã Marta Samtani, que atormenta a mocinha vivida por Deborah Dutch em um abrigo para garotas, que na verdade acoberta uma rede de tráfico de escravas brancas.



Depois de aparecer com Monique Gabrielle no vídeo "Penthouse: The Art of Massage" (1996), McComas aumentou sua participação em produções eróticas, e além dos inúmeros filmes softcore, também fez alguns vídeos e curtas XXX (principalmente cenas lésbicas com penetrações vaginais e anais com dildos...).




http://pt.xhamster.com/movies/3233974/lorissa_mccomas_and_julie_k_smith.html



Curiosamente, foi nesta fase dedicada mais a putaria, que ela foi descoberta e divulgada como atriz de filmes de terror e ficção classe "B" pelas revistas especializadas " Femme Fatales", "Draculina" e "Scream Queens Illustrated", aparecendo em matérias, capas e até números especiais dedicados a ela...




Lorissa continuou embelezando e sensualizando inúmeras produções "B" e filmes quase amadores de ação e fantasia como "Killer Sex Queens from Cyberspace" (1998) de Lou Vockell;  ou "ESP : Extra Sexuel Perception" (1998). Ela também se tornou uma das favoritas do diretor especialista em filmes vagabundos e mulheres gostosas Jim Wynosrki. Para ele, ela apareceu em "The Bare Wench Project" (2001), sátira erótica à Bruxa de Blair, com Julie Strain; e suas continuações "Bare Wench Project: Uncensored" (2003) e "Bare Wench : The Final Chapter" (2005), vivendo a jovem Lori.



Ela também esteve em "Raptor" (2001) de Jim Wynorski, versão super-trash de "Jurassic Park", produzida por Roger Corman, aonde protagonizou cenas "calientes", bem mais interessantes que a reutilização de cenas com o T-Rex da série "Carnosaur" (1993. 1995 e 1996)...



... em "Project Viper" (2002) de Jim Wynosrki, ficção científica para a TV,  sobre um organismo artificial e letal que escapa e é perseguido por cientistas e militares....



...e em "The Lusty Busty Babe-a-que" (2008) de Wynorski, uma sátira aos filmes pornográficos...e seu último trabalho.
 Lorissa sofria desde 2006 de uma dolorosa doença, uma grave distrofia que atinge nervos e músculos. Em 3 de Novembro de 2009, ela foi encontrada morta. A polícia do estado da Virginia classificou o caso como suicídio. Aparentemente ela havia se livrado da dor com um tiro fatal. No IMDB e Wikipedia consta sua morte como resultado da doença. Mas existem suspeitas sobre seu ex-marido abusivo e violento. Até hoje existem pedidos e abaixo-assinados de fãs e familiares pedindo a reabertura do caso...













                                                                                                                 by Coffin Souza

Um comentário:

  1. e saudade bons tempos,faz um post pra rochelle swanson e girffin drew!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...