terça-feira, 27 de outubro de 2015

Angelique Pettyjohn: Das Estrelas ao Submundo...e Estrela Cult





Nascida Dorothy Lee Perrins em Los Angeles, Califórnia em 11 de Março de 1943, Angelique Pettyjohn  é um caso de "descida ao inferno profissional", superação, etc...



Ela começou como modelo ainda muito jovem, além de estudar atuação, sonhando com a carreira de atriz.   Pettyjohn fez sua estreia no cinema aos 21 anos, sob o nome "Angelique",  como atriz principal no para-lá-de-vagabundo "The Love Rebellion" (1967),de Joseph Sarno. Logo ela teve seu grande momento ao trabalhar ao lado de Elvis "The King" Presley,na aventura musical (é claro...) "O Barco do Amor" (1967). Esta foi sua primeira aparição em um filme classe "A", e isso a levou a pequenos papéis em outros filmes de grande orçamento. Ao mesmo tempo passou a aparecer em papéis memoráveis em séries de tv, como  "Batman"; "O Besouro Verde"; "Agente 86"; "A Garota da U.N.C.L.E.";  e "Jornada nas Estrelas".

Em pelo menos dois casos ela adquiriu um status cult : 

No papel recorrente como Charlie Watkins, em "Agente 86", no imaginativamente chamado "Agente 38" -  Charlie era um homem disfarçado de mulher, e Angelique vivia sua parte feminina e sexy...



 ...depois de fazer o  teste para o papel de Nova em "O Planeta dos Macacos" (1968) (o papel foi para a namorada de um produtor), ela ganhou o papel que fez dela uma imortal entre os fãs de ficção científica: Shahna em "Jornada nas Estrelas" (1966), no episódio "The Gamesters de Triskelion" (1968).


Shahna é uma habitante do planeta em que alguns tripulantes da Enterprise são feitos escravos para participar de jogos tipo "gladiadores de arena". Ela é a treinadora de escravos e acaba se envolvendo romanticamente com...James (William Shatner) Kirk (...óbvio...já que ele esteve " audaciosamente indo aonde nenhum homem jamais esteve"...em termos de... miscigenação de raças.).



O episódio é um dos favoritos dos fãs de Star Trek, e   e embora Pettyjohn viesse a colher os benefícios do papel -  aparecendo em inúmeras convenções de fãs de Star Trek em um futuro distante - na época,não a levou em nenhuma parte para sua carreira. Ela estrelou ao lado de John Ashley, o trashão filipino "Mad Doctor of Blood Island" (1968), de Gerardo de Leon...





aonde é claro, foi escalada para gritar de medo, e mostrar seus lindos peitões...






  Angelique continuou sendo um objeto de desejo sexual em horrores cinematográficos como "Hell's Belles" (1969), The "Curious Female" (1970; um Sci-Fi erótico e muito vagabundo!!). Sua carreira foi estritamente em filmes rápidos para drive-ins e circuitos exploitation. 






No início de 1980, ela trabalhou como stripper em Las Vegas, Nevada...


 mas logo estava viciada em álcool e drogas,  abandonando sua vocação como uma estrela sexy e soft, partindo para a pornografia hardcore. Com o nome de "Heaven St. John", ou sob o seu antigo apelido, "Angelique", ela apareceu "mandando ver" em "Body Talk" (1982) e "Titillation" (1982)...





                            
                                                                          Body Talk


...além de ser uma interrogadora nazista na paródia porno-sexy-nazisploitation "Stalag 69 (1982).



O crescente culto  a série Star Trek, reforçado pela série de filmes lançados pela Paramount no início em 1979, permitiu a Pettyjohn abandonar rapidamente a sua carreira hardcore. Ela começou a trabalhar em  convenções de Star Trek para ganhar seu sustento, com a venda de cartazes de si mesma, dentro e fora de sua roupa sexy de "As Gamesters de Triskelion". Sua aparição no circuito levantou seu perfil na indústria do cinema. Diretores de cinema independente, que sabiam de seu trabalho anterior no exploitation de baixo orçamento, começaram a contratá-la para pequenos papéis em seus filmes. Assim ela reapareceu em "Repo Man - A Onda Punk" (1984), de Alex Cox; "The Lost Empire" (Império Perdido, 1984) de Jim Wynorski;



 "Biohazard"( Vale da Morte ,1985), de Fred Olen Ray e  "The Wizard of Speed and Time" (1988) de Mike Jittlov.



                                                                                 Biohazard

 Eventualmente, a fama de Pettyjohn cresceu  e ela passou a ser a atração principal em muitas convenções de ficção científica ( apareceu em sua última convenção de ficção científica, no Outono de 1989), superando assim seu problema com o alcoolismo e o abuso de drogas. Angelique passou a viver em uma bucólica cabana no sertão da Virgínia. Um grande clube em Las Vegas lhe ofereceu a chance de ganhar dinheiro com sua notoriedade cult como dançarina exótica, e ela alegremente aceitou; ela tinha 46 anos, mas continuava bela e ativa.



 Se apresentando ao vivo, ela mostrou novamente sua beleza e sensualidade. Angelique Pettyjohn morreu de câncer do colo do útero aos 48 anos em 14 de Fevereiro de 1992, em Las Vegas, Nevada.

2 comentários:

  1. Adoro ela. Sensacional postagem, bastante completa. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Mais uma musa tendo a sua historia contada aqui neste sensacional blog ,que infelizmente partiu e cedo pois só tinha 46 anos ,Hollywood é um lugar cruel ,drogas e alcool sempre ali perto e falta de oportunidade há quem realmente tem talento, eles dispensam e colocam pessoas que não tem brilho algum como destaque em suas produções,uma pena que venham mais historias de outras musa das produções A ,B ou Z, as historias de vidas delas merecem ser contadas.Um Abraço de Spektro 72 e obrigado por me mandar um abraço para mim na postagem anterior,Coffin Souza !

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...