terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Doutora Sharon Mitchell




Celebrada pelos fãs da pornografia clássica por sua forte personalidade , visual excêntrico e  meio andrógino, e por suas predileções audaciosas em frente as câmeras, Sharon Mitchell nasceu em 18 de Janeiro de 1956 em New Jersey (USA). De descendência húngara, seu verdadeiro nome era Fatima Maria (!!!?), mas seus pais se separaram quando ela ainda era uma menina, e ao ser adotada por um casal católico, foi rebatizada Sharon Kelly. 
Frustada com o controle de sua mãe adotiva e um pai alcoólatra e ausente, Sharon se casou aos 17 anos, mas anulou o matrimônio seis meses depois, e foi sozinha para New York. Começou sua carreira artística como dançarina Off-Broadway, e chegou a fazer uma turnê com a famosa Martha Graham Dance Company.

Trabalhando para a agência Dorothy Palmer, a jovem de corpo magro mas muito bonito, e de rosto diferente, passou a ser escalada em comerciais, pontas em novelas de TV, e finalmente convidada para fazer um filme Hard-Core. 
Sua primeira performance (sem receber créditos) foi em "That Lady from Rio" ( 1976) de Shaun Costello, com Vanessa del Rio e Jamie Gillis...



Ela conta no livro "Golden Goddesses- 25 Legendary Women of Classic Erotic Cinema" (de Jill C. Nelson) :
"O diretor estava tentando me falar sobre uma dupla penetração ou algo e eu nunca tinha sequer ouvido falar, você sabe... Jamie Gillis deveria estar pensando algo do tipo  "Esta garota só está andando pelo set, ela não faz ideia." Eu me lembro dele discutindo com o cara sobre isso e ele continuou dizendo:" Você sabe o quê? Apenas me escute. Eu vou cuidar de você por um par de meses". Daquele dia em diante, eu trabalhei com ele em toneladas de filmes. Ele sempre cuidou de mim, e ele sempre foi um amor e nunca me julgou. Vivemos juntos de vez em quando, e com outras pessoas, e compartilhamos apartamentos. Eu amei Jamie. Jamie era como o pai pervertido que sempre quis ter. Jamie não representava nada além de amor para mim: amor absoluto, inequívoco e puro".


"Nós realmente cuidávamos uns dos outros. Eu fui babá para Gloria Leonard. John Leslie, Jamie Gillis, Eric Edwards, John Holmes e Herschell Savage- estes caras eram como irmãos mais velhos para mim. Nós éramos o coração da indústria (pornô -n.t.).Nós éramos os soldados, os guerreiros, os marines fodidos e tudo mais..."

Sharon fez mais uma dezena de filmes em 1976, incluindo "Cracked Ice" de Angelo Carlotti; aonde ela fez o papel principal, o de uma policial tarada e "Domination Blue" de Joe Davian, com Vanessa del Rio; que se passava em uma prisão feminina.
Em 1977, entre outros, ela fez dois filmes para o diretor "David Stitt"- pseudônimo do início de carreira de Lloyd Kaufman, aclamado e maluco chefão da produtora cult TROMA!!!..."My Sex-Rated Wife" (1977) e o muito interessante "Exploring Young Girls" (1977)...



... um pseudo-documentário, aonde 4 atrizes pornôs (entre elas Sharon Mitchell e Vanessa del Rio) contam porquê e como entraram no mundo x-rated, e suas historias são "dramatizadas"...



Ela esteve em "Odyssey:The Ultimate Trip" (1977) de Gerard Damiano; "Water Power" (1977) de Shaun Costello,  fez o papel título de "The Violation of Claudia" (1977) de William Lustig (futuro diretor de terror, conhecido pela série "Maniac Cop"!), com Jamie Gillis...




... participou dos cultuados "Barbara Broadcast" (1977) de Radley Metzger, com Annette Haven, Constance Money e Jamie Gillis, e "The Satisfiers of Alpha Blue" (1979), ficção-científica pornô de Gerard Damiano...









Sharon fala no livro da escritora Jill C. Nelson: "Havia uma tonelada de dinheiro rolando em torno da pornografia e eu me decidi que estava indo apenas para fazer um trabalho, independentemente do tipo de trabalho que havia.Haviam duas coisas que eu sabia que eu não queria fazer: uma delas era a prostituição e a outra trabalhar como garçonete.Também conseguia muito trabalho, mas ainda não havia dinheiro suficiente para me tornar uma atriz em tempo integral.Eu teria isso com certeza , mas naquela época, a pornografia era meio que uma coisa podre de se fazer ... Você tinha que entrar em um cinema para assistir um pornô, porque não ainda não estava na TV, nem sequer existia o vídeo."



" Fazer pornografia era chocante, e isto me atraía .Eu era um anarquista, e isso era uma maneira de causar problemas e caos.É muito engraçado, porque, ao mesmo tempo, eu sempre mantive este tipo de código de honra em que  eu não fazia certas coisas e não trabalhava por menos do que isso, e assim por diante.Essas coisas ficaram difíceis de manter especialmente mais adiante, quando a indústria começou a mudar, e eu estava usando muitas drogas e coisas assim..."



Sharon foi viciada em cocaína e heroína por quase duas décadas, depois de se livrar das drogas, passou a brincar, se referindo ao seu vício de 16 anos como "meu ano de apagão"...

Em 1980, William Lustig conseguiu fazer seu primeiro filme não pornográfico, o violento e cult drama de horror "Maniac" (O Maníaco, 1980), com Joe Spinell e a deusa-scream-queen Caroline Munro (sobre um psicopata que assassina mulheres e tira seus escalpos como troféu). Ele não se esqueceu da performance de Sharon, e a escalou em uma ponta como uma enfermeira...




Assim, Miss Sharon Mitchell passou a aparecer também em filmes de outros gêneros, como no policial "Night of the Juggler"(1980) de Robert Butler, com James Brolin, ou no musical "Times Square", no mesmo ano.
Mas ela continuou em sua prolífica e rentável carreira nos X-movies, começando a se especializar em filmes mais "pesados" ainda, envolvendo BDSM (quase sempre no papel de dominatrix) e terror misturados, e em filmes lésbicos e/ou bissexuais (sua especialidade, e dizem, sua preferência...).



Em “The Taming of Rebecca” (1982) de Phil Prince, ela faz o papel principal, o de uma garota que é abusada pelo próprio pai, foge, e se envolve em situações ainda piores, envolvendo torturas e bondage...




“The Devil in Miss Jones 2” (1982) de Henri Pachard, entre os personagens históricos que aparecem para trepar com a imortal Miss Justine Jones (Georgina Spelvin) está a Maria Antonieta, vivida por Sharon Mitchelll...






Ela foi a Madame Suque de "Smoker" (1983- e também assinou a trilha sonora e canta “I Wanted to Love You” e “I Can Turn You On”); foi a dominatrix de "Never Sleep Alone" (1983); esteve com sua xará Sharon Kane (Sharon Mitchell e Sharon Kane são consideradas as duas atrizes mais prolíficas do cinema pornô, suas filmografias somadas passam de 1.000 produções do gênero.) em "Throat...12 Years After" (1984) de Gerard Damiano; fez uma ponta no policial "Nenhum Passo em Falso" (1986) de John Frankenheimer, e arrasou no papel principal de "Kamikaze Hearts" (1986) de Juliet Bashore...




...um elogiado drama underground, aonde Sharon vive uma personagem chamada "Mitch", uma veterana e cínica atriz pornô que tem um tórrido caso lésbico com sua colega "Tigr" ( a também porno-atriz Tigr Mennet/Chelsea Manchester), enquanto vivem o dia-a-dia caótico e por vezes depressivo do mundo do cinema hard core...



Sharon "Mitch" (de chapéu e bigodes) entrevista seus colegas em uma cena do quase documental e biográfico "Kamikaze Hearts"


 Sharon teve um dos papeis principais na comédia de horror “Feast” ( Banquete da Morte, 1992) de Mike Tristano...



... um filme independente que mistura canibalismo, S&M, bondage; e que conta com a participação de outros colegas de Sharon da indústria pornô, como: Ron Jeremy, Veronica Hart e Kelly Nichols...


Em março de 1996, na saída de um clube de striptease em que se apresentava, Sharon foi atacada por um fã obcecado por seus filmes. Ele a agrediu, estuprou e quase a matou. Mitchell largou as drogas, deixou os filmes pornôs de lado e voltou a estudar. Ganhou um Ph.D. do Instituto para o Estudo Avançado da Sexualidade Humana em San Francisco, Sharon Mitchell agora é doutora em sexologia!




 Em 1998, ela fundou a AIM ( Fundação para a Assistência Médica da Indústria de Adultos), que tinha um orçamento anual de US $ 1,4 milhões e fornecia testes para doenças sexualmente transmissíveis, juntamente com drogas e aconselhamento psicológico para atores e atrizes pornôs.
 A fundação (sem fins lucrativos) testou mais de 1.000 artistas de filmes adultos por mês antes de um vazamento de informações em 2011, que levou a uma ação judicial e ao fechamento da clínica.



Sharon fez mais alguns filmes para a TV, e retornou brevemente ao pornô em 1999/2000, se aposentando depois. Ela continua uma firme defensora de seus colegas:
 "Nós sabemos que somos pessoas legais, provavelmente algumas das pessoas mais bonitas e legais que você pode encontrar. Nós criamos os filhos uns dos outros, nós emprestamos dinheiro uns aos outros. Nós temos sido amigos durante todos estes anos. Nós nunca machucamos ninguém, nós não somos um bando de gangsters de merda!
Nós evoluímos e tivemos que lutar durante um período difícil, para conseguir uma vida normal. O que quer que isto signifique individualmente ou coletivamente para nós. Aqueles de nós que sobreviveram...você não pode encontrar um grupo melhor de pessoas."
"Ninguém mais me chama de ex-atriz pornô. Me chamam de doutora. Eu uso roupas de doutora. Eu dirijo uma clínica. Eu sou respeitada."
                                         (Dra. Sharon Mitchell)

    



2 comentários:

  1. Sensacional !! Bonita homenagem á essa grande atriz pornô e sobrevivente ,pois muitas atrizes da geração de já morreram de forma trágica ou se acabaram no mundo das drogas á Dra.Sharon Mitchell é uma mulher linda ,corpo escultural e personalidade forte, eu sou fã jamais faria o que esse idiota fez ninguém tem o direito de julgar ninguém por que ela escolheu o mundo pornô para ter o seu sustento, cada faz da vida o que deseja ,agora um trouxa desse quase acabou com á vida dela por que acha o que ela faz na tela é igual o que faz na vida real é um idiota! Graças á Deus!Ela ainda esta entre nos não mundo pornô .. mas não importa ,o importante é ela estar viva e nos agraciado com as suas informações e depoimentos de que com era fazer cinema pornô na década de 70.
    Parabens! por essa homenagem á nossa eterna musa do cinema pornô Dra.Sharon Mitchell, mestre do cinema underground Coffin Souza e que venham mais musas do cinema pornô ou do mundo underground a serem homenageadas ( no bom sentido da palavra ! ) neste fantástico blog.
    Um Abraço de Spektro 72.

    ResponderExcluir
  2. Abraço Spektro 72...e mais Musas serão homenageadas...em todos os sentidos! Hahahah...valeu!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...