segunda-feira, 29 de agosto de 2016

A Bela Que Criava Monstros- O Mistério de Milicent Patrick


Com o nome de Milicent Patrick, ela apareceu em 21 filmes ao longo de um período de 20 anos (1948 a 1968), atuou em dezenas de programas de televisão, trabalhou como figurinista, designer de personagens, e ilustradora em inúmeros outros filmes, e teve um papel significativo na criação de alguns personagens clássicos do cinema de Ficção Científica da década de 1950. 

A vida de Milicent Patrick é ainda mais misteriosa do que as criaturas que ela criou. Ela nasceu em 1915 ( mas algumas fontes creditam 1930!!?) filha de Camille Charles Rossi, um arquiteto e engenheiro que supervisionou a construção de uma mansão do famoso milionário William Randolph Hearst na CalifórniaSeu nome verdadeiro era Mildred Elizabeth Fulvia di Rossi e, de acordo com algumas fontes, ela nasceu de uma baronesa italiana ?? a Baronesa di Polombara.


 Musicalmente talentosa, ela tinha ambições iniciais de se tornar uma pianista de concerto, mas em vez disso estudou arte com uma bolsa depois que se formou no colegial na tenra idade de 14. Ela estudou no Instituto Chouinard na Califórnia , e foi posteriormente contratado pela Disney para trabalhar em filmes de animação no final de 1940. Seu currículo afirma a distinção de ela ser o primeiro animador do sexo feminino contratado por esse famoso estúdio.




 Milicent Patrick começou sua carreira de atriz e modelo aos 33 anos de idade com um pequeno papel não creditado na comédia romântica "Viver Sonhando" (1948) de William Castle. Ela continuou fazendo pontas em filmes para o cinema e TV (série Roy Rogers), até que um dia mostrou seus desenhos ( ela também trabalhava como ilustradora de livros infantis)  para Bud Westmore o chefe de maquiagem da Universal Filmes. Depois, ela começou a trabalhar como "designer de maquiagem" em um filme de Errol Flynn  e começou a se destacar. Patrick criou e projetou a figura de Mr. Hyde em "Abbott e Costello Meets Dr. Jekyll e Mr. Hyde ( Abbott e Costello Contra o Médico e o Monstro, 1953 ) de Charles Lamont, com Boris Karloff...




Lou Costello e o dublê Eddie Parker, que fazia o papel de Mr. Hyde depois que o Dr. Jekyll de Karlof se transformava... 

...e o ciclope alienígena da ficção científica B- clássica "It Came From Outer Space" (Veio do Espaço, 1953) de Jack Arnold.





Milicent criou dois desenhos diferentes para este filme, o que foi rejeitado pelos executivos da Universal, foi depois utilizado como os mutantes de  "This Island Earth" (Guerra Entre Planetas, 1955 ) de Joseph Newman; tornando-se também figuras icônicas.







Foi Millicent quem desenhou o Gil-Man de "Creature from the Black Lagoon" (O Monstro da Lagoa Negra, 1954) de Jack Arnold, um dos mais celebrados monstros clássicos da década e um soberbo e original design!











Vendo uma grande oportunidade de publicidade em suas mãos, os chefes do estúdio enviaram a bonita Milicent Patick  em uma excursão nacional para promover o Monstro da Lagoa Negra com a campanha original de "a bela que criou a fera". No entanto, esta campanha foi rapidamente alterada para  "a bela que vive com as feras". 



Enquanto Milicent estava em sua turnê publicitária,  seu chefe Bud Westmore ( George Hamilton Westmore - 1918/1973)  descobriu que o trabalho não foi atribuído somente a ele em vários jornais, e Patrick tinha sido (com razão) considerada autora da obra de arte.  Em fevereiro, enquanto a turnê estava em pleno andamento, Westmore fez um grande esforço para responder e negar numerosas entrevistas e matérias em jornais e revistas  sobre o filme, algumas citando-a como única criadora da criatura, sem menção de Westmore ou dos outros membros do pessoal do departamento de make-up  ( o maquiador, escultor e também design de maquiagem Jack Kevan (1912-1997), assim como Milicent, também contribuiu muito em vários trabalhos realizados por Westmore, sem receber nenhum crédito... ).


Jack Kevan, Boris Karloff , Bud Westmore & a máscara desenhada por Milicent Patrick (sem créditos!) para "A & C Meets Dr.Jekyll and Mr. Hyde"...


  Westmore deixou claro em suas queixas para os executivos da Universal que ele não tinha intenções de novas contratações dos serviços de Ms. Patrick como uma artista de design novamente. Ela foi demitida do departamento.  Quem sabe como a história (e os filmes de horror e ficção científica) teriam tomado forma, se Milicent Patrick tivesse permanecido na Universal ???



Milicent Patrick ainda atuou em alguns filmes e séries de TV durante os anos 60,  se casou com Lee Trent, um empresário de sucesso e depois se retirou totalmente da vida artística. O Screen Actors Guild lista-a como "desaparecida". 


                                  Milicent atuando na série "Ramar das Selvas" (1953)


Milicent faleceu em 24 de Fevereiro de 1998, aos 82 anos.


Mais sobre a artista em :

- http://www.tor.com/2011/10/27/the-fantastic-mystery-of-milicent-patrick/ 

-http://www.behindthethrills.com/2015/08/monday-monster-makers-the-beauty-who-created-the-beast-milicent-patrick/

-https://canibuk.wordpress.com/2011/08/30/milicent-patrick-and-the-creature-from-the-black-lagoon/


sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Lua-de-Mel com Juno

Juno Calypso é uma jovem fotógrafa americana (nascida em 1989) que vive em Londres. 



No ano passado ela ganhou o prêmio internacional 2016 do British Journal of Photography através da série que você verá a seguir . Juno decidiu viajar para a Pensilvânia e procurar um desses hotéis projetados para casais de baixo poder aquisitivo passarem sua lua de mel. Uma vez hospedada dedicou-se a  tirar fotos que capturam auto- retratos cheios de sordidez , tédio e resignação. Ele diz que a ideia é mostrar a feminilidade construída em convenções impostas ; uma  personagem cansada que tem que representar seu papel no casamento , na família , na sociedade e no mundo....

JUNO CALYPSO e a série "The Honeymoon Suite" :








































sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Octobriana: A Mulher Maravilha Russa!




 Octobriana, a sensual e iconoclasta heroína soviética que nadava em lava incandescente e lutava contra uma morsa gigante, o zumbi de Lenin e outros perigos mundiais... 




A história desta sensual personagem dos quadrinhos da antiga “Cortina de Ferro”, de fato, é pouco conhecida. E nebulosa.

 O Ocidente só viria a conhecer a loira de cabelos longos (que carregava um revólver na cintura, calçava botas de cowboy, tinha uma serpente enrolada no pulso e uma estrela vermelha na testa) depois da publicação do livro "Octobriana and the Russian Underground", do tcheco Petr Sadecký, em 1971.





Sadecký contava que estivera na URSS na segunda metade da década de sessenta, quando teria tido contato com um grupo anarquista que lhe apresentou os originais das histórias de Octobriana, publicadas de forma de fanzines extremamente clandestinos.





 Eles pediram a Sadecký para levar os exemplares para a Europa Ocidental e ele aceitou a missão e no começo da década seguinte,  publicou o conhecido volume já citado, pelas mãos do editor britânico Tom Stanley.




Mas a história não passava de golpe publicitário!
Aparentemente Sadecký encomendou os desenhos a dois amigos, os também tchecos Bohumil Konecný e Zdenek Burian, que produziram juntos as tiras sobre uma guerreira amazona. Mas o tema não causaria, aparentemente, maior interesse ou impacto em outros países. Assim, Sadecký decidiu roubar a arte dos colegas, Mudou algumas características da heroína (incluindo, principalmente, uma estrela escarlate na fronte) e lhe deu um nome que remetia à revolução de Outubro. Pronto! Só faltava alterar os textos dos balões. Os diálogos foram prontamente modificados e politizados. 




Agora, ele tinha um produto que poderia seduzir os editores ocidentais. Era só criar uma mentira sobre as origens daquele comic book e ele poderia ganhar uma boa grana com sua publicação. Só que o rapaz não pediu autorização aos cartunistas de Praga que, indignados com o ocorrido, desmascararam Sadecký e o processaram numa Corte da República Federal da Alemanha.





O malandro conhecia os ilustradores desde garoto. Começou como admirador, e depois se tornou íntimo da dupla. Ludibriou a ambos, convencendo-os a ceder vários desenhos inéditos, os quais tentaria negociar com editoras em outras partes do mundo. Simplesmente afanou o material, reelaborou seu conteúdo e o comercializou de forma indevida. Afinal, Octobriana acabou se tornando uma crítica ao sistema soviético. E isso poderia trazer sérios problemas para os quadrinistas em sua terra natal.
De fato, os dois foram escorraçados publicamente, sofrendo um total repúdio das autoridades de seu país. Sem contar que não ganharam um tostão com a obra. 




Ainda assim, historietas como "Octobriana and the Atomic Suns of Chairman Mao" certamente interessaram os fãs dos quadrinhos alternativos do “mundo capitalista”.





Ao longo dos anos, outros ilustradores iriam interpretar à sua maneira esta personagem (que acabou em domínio público). Entre 1979 e 1987, Bryan Talbot desenharia a Octobriana, seguido por Larry Weltz, que produziria, em 1992, "Cherry’s Jubilee", uma trama com forte carga erótica. 




Os finlandeses Reima Makinen, Petri Tolppanen e Timo Niemi, por sua vez, criaram "Octobriana and the Tenth Circle of Hell". Cartunistas como Stuart Taylor e Karel Jerie, manteriam esta tendência...










Em 1974, o cantor, ator e produtor David Bowie (grande fã da personagem) chegou a anunciar um filme com Octobriana, mas que nunca foi realizado. 
Em 2003, surgiu " Octobriana & Lenine Sormi"(Octobriana and the Finger of Lenin) curta finlandês de Jyrki Pitkä, com a bela Noora Piili no papel da Mulher Maravilha da Rússia!







A Mulher Maravilha americana ganha novo filme...está na hora de sua concorrente iniciar uma  nova Guerra Fria...neste caso...Guerra Muito Quente!!!!




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...