domingo, 11 de junho de 2017

Zakarella- A Infernal Heroína Pulp Portuguesa




Começamos com uma historinha pessoal: Aos 14/15 anos, eu era um adolescente típico, nerd e punheteiro. Estudava e ganhava uma pequena mesada de meus pais, e economizava mais uma grana, voltando da escola (que ficava a muitas quadras de minha casa) à pé, e o dinheiro do ônibus, ajudava em meus gastos com livros, cinema e histórias em quadrinhos. No trajeto escola-casa, descobri uma "mina de ouro"- uma pequena tabacaria/sebo de um senhor gordo e ranzinza, que vendia e trocava revistas usadas em bom estado e preço baixo. Me tornei habitué do local, e entre as inúmeras raridades que consegui na época, uma das que mais atraiu a  minha atenção e curiosidade, foi uma revista portuguesa chamada "ZAKARELLA" ! Eu já conhecia e gostava da imortal e sensual vampira-alienígena "Vampirella", e claro, fui atraído pelo título e pelas capas com o irresistível dueto Horror&Sexo...




Ao folhear-ler-degustar suas páginas, descobria-se que a dita personagem título, não era heroína de comics, mas, personagem de histórias pulp de terror sensual e com ilustrações magníficas, aonde enfrentava todo o tipo de monstros e criaturas fantásticas com muito pouca (ou nenhuma) roupa! Vamos a sua história...





A Revolução de Abril de 1974 (chamada Revolução dos Cravos) libertou Portugal de uma longa ditadura, e abriu as portas do país (afrouxando a censura) para o trash erótico e humorístico . Em Março de 1976, a editora Portugal Press lançou a revista Zakarella, de 36 páginas. Apresentava uma seleção de histórias em quadrinhos de terror provenientes da americana Creepy, da editora Warren; com obras primas do calibre de um Frank Frazetta ou de um Esteban Maroto e muito terror descartável. 




Para justificar o nome, esta versão lusa da americana Vampirella (com o diferencial que Zakarella Não é uma vampira...), tinha sempre um conto de Ross Pynn (o próprio editor Roussado Pinto, Lisboa 1926-1985) com ilustrações ousadas de C.Alberto ( Carlos Alberto Santos, Lisboa 1933-2016). 



Zakarella é uma renegada, em fuga de um Inferno terrestre governado por um cruel Satã. Teletransportada diretamente para Lisboa, ignorante da maldade e lascívia da capital portuguesa, a ingênua Zakarella sujeita-se às mais bizarras sevícias sexuais ao enfrentar monstros infernais, criaturas fálicas e fluidos pútridos... 






Esta infernal, mas bondosa morena de curvas estonteantes e indumentária mínima, tinha o  poder de regenerar o seu corpo após sofrer todo o tipo de tortura, e os monstros arrancarem literalmente seus pedaços. As histórias acabavam invariavelmente numa orgia de sangue e horror, a contento do amo Satã e dos leitores da revista, que ainda hoje suspiram por este pequeno "pecado" juvenil.




O primeiro número saiu em 1 de Março de 1976, coexistindo com outra revista do gênero:  a clássica Vampirella. Vampirella, também editada pela Portugal Press, acabou em Outubro de 1977, ficando assim apenas Zakarella como revista de "terror". 



Por ironia do destino, outra consequência da revolução de  Abril liquidou a revista no número 28. O Banco de Portugal não autorizou a Portugal Press a pagar os direitos de publicação das histórias da Warren com a justificativa que as transações em dólares seriam apenas para importar bens de primeira necessidade!




Carlos Alberto Santos foi um anatomista precioso, e um prolífico ilustrador de infinitas capas para revistas e livros pulp de aventuras, crime, guerra, terror e faroeste da Agência Portuguesa de Revistas...




Assim como outros ilustradore de arte pulp, C.Alberto utilizava muitas referências de filmes de terror e ficção científica "B". No segundo número da revista, para ilustrar o conto "Os Homens de Sangue Frio", o artista se baseou nas criaturas do hilário trash-terror-musical "The Horror of Party Beach" (Dell Tenney, 1964)...






Zakarella foi redescoberta em seu país natal , e a obra de C. Alberto reverenciada com exposições de seus originais em 2012.  Posteriormente, o projeto-concurso  "Desafio Zakarella", fez diversas exposições aonde dezenas de jovens artistas gráficos lusitanos mostraram suas recriações da sensual personagem...










    Zakarella original- revista # 9, ilustração para o conto "Orgasmo Para um Fantasma".

2 comentários:

  1. Não sabia que existia essa revista dessa chamada "Zakarella" pelo o titulo pensei que fosse uma copia de "Vampirella" mas lendo o seu texto vi que era outra heroína bem diferente de "Vampirella" sendo essa uma vampira exilada do planeta Draculon e ela exilada do mundo infernal governado por Satã e as duas tem algo comum suas historias eram recheadas de sexo e sensualidade , como o mundo dos HQ underground de outros países são diferentes e ricos em imaginação,pena que o nosso mercado brasileiro não dá valor ou ate desconhecem tais publicações como essa escrita no vosso blog e republique aqui em nosso pais para uma nova geração acompanhar o que publicações de HQ underground foram feitas no passado e espero que você publique mais coisas sobre esses HQ obscuros ,pois é sempre bom quando aparece revistas de HQ de outros países neste blog que esta cada vez fantástico mestre Coffin Souza,aguardo novas publicações suas e um abraço de Spektro 72.

    ResponderExcluir
  2. Também adoro essas matérias sobre HQ's do "udigrudi" mundial! Especialmente de nossas fileiras Latinas e compadres Lusitanos. Sou amante desta Arte (e de outras!) desde a infância, buscar nas barraquinhas de rua as velhas e ótimas Mestres do Terror, Calafrio, Kripta, Histórias de Assombração, Mad (as dos anos 70, as melhores!), Animal e muitas outras.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...