domingo, 6 de outubro de 2019

Joi Lansing...Uma deusa Esquecida

Joi Lansing...ahhhhh...foi uma modelo, atriz, cantora de boate, e uma das pin-ups muito celebradas dos anos 50. Sua carreira é comparada com as de Mamie Van Doren e Jayne Mansfield...Papéis sensuais para uma loura com um corpão, bem ao gosto americano:  com peitos maravilhosos...




Joi Lansing nasceu Joyce Renee Brown, em 6 de abril de 1929, em Salt Lake City, Utah/USA; filha de um músico e vendedor de sapatos, e de uma dedicada dona de casa...uma típica família Mórmon predominante na cidade. Seus pais se separaram, e em 1940, a nova família mudou-se para Los Angeles.  A bela garota passou a posar como modelo, e aos 14 anos assinou um contrato com a MGM, e concluiu seus estudos do ensino médio no estúdio...

Sua carreira no cinema começou em 1947, com inúmeras pontas em romances/musicais/comédias. Joi não tinha experiência em atuação, mas os produtores não se importavam com isso, ela era escalada por conta de seu rosto & corpo...

 Em 1952, ela desempenhou um papel não creditado no clássico da MGM "Cantando na Chuva" . Miss Lansing também teve uma fértil carreira na TV, aparecendo nas principais séries (Maverick, I Love Lucy, Myke Hammer, Bat Masterson, Klondike, Rawhide,etc...) e curta-metragens televisivos da época, fazendo parte dos primórdios da telinha...

 Joi foi uma das garotas que enfeitaram a aventura fantástico "Son of Sinbad" (O Filho de Sinbad, 1955) de Ted Tedzlaff...



...com Dale Robertson, Vincent Price, e a famosa stripper burlesca e modelo Lili St. Cyr. A produção foi concluída em 1953, mas, a censura implicou com uma cena de dança muito sensual de Lili, e só estreou dois anos depois.




 Na verdade, o filme produzido por Howard Hughes, apesar de todos os elementos típicos do gênero "1001 Noites", centrava-se nas aventuras amorosas do herói Sinbad...




 Ela recebeu o papel principal em "Hot Cars" (1956), um melodrama-noir- policial envolvendo carros roubados.




 Na sequência de abertura da obra-prima "A Marca da Maldade" (1958) de Orson Welles, ela apareceu como Zita, a dançarina que morre (na explosão de uma bomba em um carro de um político americano) no final do famoso plano-sequência, durante o qual sua personagem exclama a um guarda de fronteira "Eu continuo a ouvir o barulho deste tique-taque dentro de minha cabeça!"...




Ela teve outro breve papel como namorada de um astronauta no clássico-Trash de ficção-científica "Queen of Outer Space" ( Rebelião dos Planetas, 1958) de Edward Bernds...








Joi foi a "Esposa do Super-Homem", em um episódio da última temporada da tele-série "Adventures of Superman" (As Aventuras do Super-Homem", 1952-1958), com George Reeves...



...na verdade ela interpretava uma bela policial, que é escalada para fingir ser a esposa do homem-de-aço, em um truque para prender uma quadrilha de ladrões de banco!





Ela voltou a ficção científica "B", como a sedutora Julie, em " The Atomic Submarine" (O Submarino Atômico, 1959) de Spencer Gordon Bennet...






...uma aventura sobre um avançado submarino na caça de um disco voador (no caso: Disco Mergulhador...heheh) nas águas geladas do Ártico...





...em um trash com um ciclope alienígena (modelado na mão do técnico em FX/co-produtor/co-roteirista Irwin Block)/ muitas cenas de arquivo, e elenco predominantemente masculino, Joi é um refresco para os olhos...









Joi Lansing começou a cantar profissionalmente no começo dos anos 60. Ela se apresentou com a orquestra de Xavier Cugat, e fez uma breve turnê com o célebre guitarrista Les Paul...

Ela apareceu como esposa de um músico em 6 episódios da série cômica "A Família Buscapé" (1963-1968), e foi a cantora de country "Boots Malone" (papel vivido por Mamie Van Doren anteriormente em "Las Vegas Hillbillys" de 1966), na comédia de terror e musical "Hillbillys in a Haunted House" (Um Biruta na Casa do Espanto, 1967) de Jean Yarbrough...




...com John Carradine, Lon Chaney Jr. & Basil Rathbone ...




...Joi Lansing canta, encanta, enfrenta o gorila Anatole (George Barrows)...




 ...é presa pelo trio de veteranos do terror (vivendo cientistas-espiões estrangeiros), e sofre torturas...






...assim como o espectador (pelo excesso de música country de péssima qualidade!) neste trash muito bobo, com um roteiro tipo "Scooby-Doo", dirigido por um veterano especializado em terror "B" (The Devil Bat, O Rei dos Zumbis); e comédias da TV (A Família Addams, Abbott & Costello, Meu Marciano Favorito...) ...

Joi Lansing voltou a contracenar com John Carradine em outro terror-trash: "Bigfoot" (1970) de Robert F. Slatzer...




Ela é raptada por um Sasquatch/Pé-Grande que quer acasalar.








 Um bando de motoqueiros quer salva-la (e a outras garotas raptadas), enquanto uma dupla de empresários picaretas (Carradine & John Mitchum) quer capturar uma das criaturas do bando... 








Joi Lansing posava muito de biquíni, e outras roupas diminutas que acentuavam sua figura. Mas, ela sempre foi uma Mórmon devota, que não fumava, não bebia álcool, não usava drogas...nem posava nua...










Joi Lansing largou a vida artística em 1970 para tratar um câncer de mama. Apesar de sofrer uma cirurgia, a doença a matou em 7 de agosto de 1972, aos 43 anos.

Ela ganhou uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood, em Los Angeles, por sua carreira na televisão...

A escritora Alexis Hunter conheceu pessoalmente Joi Lansing, e escreveu o livro "Joi Lansing-A Body To Die For- A Love Story" (2015), focando nos últimos quatro anos de vida da "bombshell", com algumas revelações turbulentas. Ao que parece, o "caretismo" de Joi em relação a drogas e álcool, não tinha a ver com sua opção religiosa. Durante sua fase de estrela infantil da MGM, ela teria sido obrigada a consumir muitos estimulantes (uma prática comum dos grandes estúdios,  para manter crianças trabalhando 20 horas por dia!), e teve que lutar para se livrar do vício...Hollywood sendo a Hollywood cruel... 





3 comentários:

  1. Rosto ,belo corpo e peitões era isso que Hollywood buscava nas estrelas de poucos recursos interpretativos como á dessa homenageada de hoje,parabéns!Por mas essa publicação senhor absoluto das estrelas gostosa e esquecidas do vasto cinema underground Mestre Coffin Souza ,um abraço de Spektro 72/Anselmo Luiz.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...