terça-feira, 18 de setembro de 2018

Glen Orbik & Suas Damas Fatais




Glen Orbik (1963-2015) foi um desenhista-artista plástico norte-americano famoso por suas capas de livros ao estilo Pulp/Noir, quase sempre envolvendo belas damas fatais no gênero conhecido como Girls & Guns...








"Várias décadas atrás, com a intenção original de desenhar super-heróis, comecei um sério estudo de arte com o ilustrador aposentado Fred Fixler".





"Fred era um ilustrador altamente qualificado, conhecido por pintar cartazes de filmes ("Farsa Trágica", "O Poço e o Pêndulo", "O Homem com os Olhos de Raios-X", "Burn Witch Burn", "O Solar Maldito", "Hercules-Unchained, etc.)... e garotas lindas e elegantes".






"Se você está se divertindo, está errado" - Fred Fixler
"O único conselho que Fred me deu, que eu não levei a sério" (Orbik)

 Ele estudou arte no California Art Institute, escola fundada e dirigida por Fred Fixler.
Orbik finalmente assumiu as aulas quando Fixler se aposentou do ensino, e ele foi um professor popular entre ilustradores, quadrinistas e artistas de videogames.



 Glen Orbik trabalhou como ilustrador para editoras como DC Comics, Vertigo & Marvel, realizando assim seu sonho de desenhar super-heróis. Suas capas pintadas quase sempre ao estilo noir foram muito admiradas e seu trabalho foi comparado a Alex Ross e Robert McGinnis...





As lições de Fixler de como desenhar mulheres belas, elegantes e fatais foram muito bem aproveitadas por Glen...










...e fundamentais para a sua série de capas de novelas Pulp "Hard Case Crime", e muitas vezes ele mesmo posava para fotos, servindo de modelo para os personagens masculinos de suas ilustrações...

















...O simpático, talentoso e popular artista e professor travou uma árdua luta contra o câncer, e acabou perdendo. Orbik faleceu em 11 de Maio de 2015...
























quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Maria Rohm- Deusa & Musa...



Atriz, Diva Cult, Produtora...Maria Rohm foi uma das mais raras & belas jóias... do cinema Trash.  Nascida Helga Grohmann em Viena (Áustria), em 13 de Agosto de 1945. Ela começou a atuar no palco do famoso Vienna Burgtheatre como um atriz infantil dos 4 aos 13 anos, em clássicos como "Sonho de uma Noite de Verão" de William Shakespeare, a autobiografia de Leo Tolstoy "Und das Licht scheint in der Finsternis", de Ferdinand Raimund... 

A jovem Helga continuou seu trabalho no teatro até fazer um teste para o produtor de cinema inglês Harry Alan Towers (1920-2009) aos 18 anos.  



Towers se apaixonou pela jovem e bela loira, e além de a escalar para uma ponta na aventura "Moçambique, Capital do Inferno" (1964), a pediu em casamento... 
Seu primeiro papel de destaque foi em "Five Golden Dragons" (Cinco Dragões Dourados, 1967) de Jeremy Summers...



...um filme  policial/suspense/comédia barato, (baseado em romance de Edgar Wallace, com roteiro de Towers) com um elenco impressionante que inclui: Christopher Lee, Brian Donlevy, George Raft, Klaus Kinski, Dan Duryea, Rupert Davies...



                                    Ingrid (Maria Rohm) & Gert (Klaus Kinski)


...e as belas Margaret Lee, e Maria Perschy...


Em "The Million Eyes of Sumuru" (O Milhão de Olhos de Su-Muru, 1967) de Lindsay Shonteff, a sexy vilã "oriental" Sumuru (Shirley Eaton, de "007 Contra Goldfinger") pretende substituir todos os líderes mundiais (machos) por suas sensuais agentes...




...Frank "Turma da Praia" Avalon & George Nader (de "Robot Monster") são os heróis do FBI, Klaus Kinski é o "Presidente Boong"...



...e miss Rohm é Helga, nesta aventura baseada na ficção "pulp" de Sax Rohmer ...







Maria voltaria ao mundo de intrigas fantásticas de Sax Rohmer em "The Vengeance of Fu-Manchu" ( A Filha Diabólica de Fu-Manchu, 1967) de Jeremy Summers...





...O super-vilão Dr. Fu-Manchu (Christopher Lee, pela terceira vez como o personagem, na série iniciada por Towers com "A Face de Fu-Manchu"(1965) de Don Sharp) tem novos planos de dominação mundial, mas precisa eliminar seu eterno inimigo Nayland Smith (Douglas Wilmer)...


...e ainda enfrentar a "concorrência" de sua linda e ardilosa filha Lin Tang (Tsai Chin)...


...Maria Rohm vive Ingrid, em mais um papel para mostrar sua beleza... 




Linda e talentosa, seus papéis no cinema a levaram para mais de uma dúzia de países; e depois de compartilhar a tela com Frankie Avalon, Klaus Kinski, Christopher Lee, esteve em "La Casa de las Mil Muñecas" ( House of 1000 Dolls , 1967) de Jeremy Summers & Hans Billian...



...ao lado de Vincent Price, como o mágico Felix Manderville, que hipnotiza e rapta mulheres para servirem de "escravas brancas" para uma quadrilha internacional...



 Maria é Diane, uma das vítimas exploradas sexualmente neste exploitation desprezado pelo astro Price...




Towers contrataria o prolífico e safado diretor espanhol Jesus "Jess" Franco para assumir a série com o vilão oriental, e assim nasceu "The Blood of Fu-Manchu" ( Fu-Manchu e o Beijo da Morte , 1968) ...



Fu-Manchu (Lee) e sua filha Lin Tang (Tsai Chin) estão escondidos na selva amazônica, quando ele tem uma nova
nova ideia para dominar o mundo-  Enviar dez mulheres bonitas com veneno de cobra nos lábios para matar vários líderes mundiais.



 "The Blood of Fu-Manchu" foi lançado sob inúmeros títulos, incluindo "KISS AND KILL",  e é uma adorável bagunça trash, típica de Franco! Entre as diversas "liberdades poéticas" do diretor, aparece o personagem "Sancho Lopez" (Ricardo Palácios), um bandido estilo mexicano, mas com roupa de cangaceiro brasileiro!?!!



Maria Rohm interpreta a criadora de gado Ursula Wagner. que, junto com Naylen Smith, Dr. Petrie e o soldado Carl Jansen, buscam frustrar os planos de Fu Manchu. Ela se tornaria uma das favoritas do titio Franco...




Em "Der Heibe Tod" ( 99 Mulheres, 196) de Jesús Franco, Maria tem o papel principal, como Marie uma novata em um presídio em uma ilha. 







Tortura, estupro e lesbianismo são desenfreados graças a um diretor corrupto. "99  Mulheres" é um ótimo exemplar subgênero W.I.P. (Women in Prison), com um elenco sólido que inclui Maria Schell, Mercedes McCambridge, Rosalba Neri, Herbert Lom e, claro, Rohm. Rohm é uma personagem empática, mas para ser honesto, Rosalba Neri rouba todas as cenas em que está...



"La Ciudad sin Hombres"/"Die Sieben Männer der Sumuru" (A Mulher do Rio/ Sumuru, o Beijo da Morte, 1969) de Jesús Franco, é uma co-produção Espanha-Alemanha-USA, filmada no Rio de Janeiro!




  Maria Rohm interpreta Leslye, uma manicure que tem um caso com um rico babaca chamado Jeff Sutton (Richard Wyler ). Jeff chega ao Rio de aneiro transportando uma mala com dez milhões de dólares. Jeff e Leslye involuntariamente se envolveram em uma guerra entre Sumuru (Shirley Eaton) , a bela e pérfida  líder de uma cidade feminina e o gângster Sir Masius (George Sanders ).





 Figurinos exóticos e cinematografia chamativa, e a dose de sexo e sadismo típicas de Franco. Produção que exigia um bom orçamento, mas Towers e Franco economizaram cada centavo.  Shirley Eaton seriamente desajeitada no papel principal, mas Maria Rohm está completamente à vontade como a simpática Leslye.






Em "Marquis de Sade: Justine" (Santuário Mortal, 1969) de Jesús Franco,  Maria Rohm interpreta Juliette; irmã da titular Justine (Romina Power). 



Após a morte do pai, as irmãs são forçadas a deixar o convento onde estavam morando, e são forçadas a se prostituirem.. 




Justine se recusa e sai em uma jornada onde encontra uma miríade de pervertidos, ladrões e outros degenerados. Ela é usada, abusada, jogada na prisão e, eventualmente, condenada à morte. Enquanto isso, a irmã Juliette embarcou em uma vida de sucesso no crime. 






Elenco estelar com Klaus Kinski, Jack Palance, Akim Tamiroff, Mercedes McCambridge, Sylva Koscina, Rosalba Neri & Horst Frank. Ótima trilha sonora e figurinos de época. Romina Power é linda, mas péssima como a personagem principal. Já Miss Rohm se encaixa no seu papel como uma luva: Sexy e sem medo... E Franco está em casa adaptando DeSade com roteiro de Towers... 



Em "Paroxismus"/"Venus in Furs" (Vênus em Fúria, 1969) de Jesús Franco,  Maria Rohm interpreta Wanda Reed.




 No começo do filme, o corpo de Wanda é encontrado em uma praia em Istanbul, pelo deprimido músico de Jazz Jimmy Logan (James Darren); flashbacks fazem o círculo completo da história, incluindo uma passagem pelo Rio de Janeiro.







Paroxismus é um thriller sexy, sobrenatural & surreal; um dos filmes mais atraentes de Franco. 
Rohm tem grande tempo em cena e é definitivamente a atração principal. Sexy e atrevida, mas também doce e cheia de tristeza. Ela recebe o apoio sólido de Barbara McNair, Margaret Lee, Klaus Kinski e Dennis Price...




"Il Trono di Fuoco" (O Juiz Sanguinário, 1970) de Jésus Franco, traz Christopher Lee como o notório Juiz Jeffreys, do séc. 17... 




...Corrupto e sedento pelo poder, o juiz condena várias mulheres por bruxaria, depois que seus capagas arrancam as confissões por tortura...




 Maria Rohm interpreta Mary Gray, cuja irmã Alicia é acusada de feitiçaria. Ela invoca o caso de sua irmã em vão, mas recebe as atenções indesejadas do juiz que está determinado a tê-la ou arruiná-la. O juiz, no entanto, tem outras coisas para se preocupar, especificamente a derrubada do governo que continua a dar-lhe muita autoridade. Enquanto Maria Rohm é simplesmente envolvente e perfeita, o Juiz Sangrento pertence totalmente a performance de Sir Christopher Lee!



"De Sade 70" (1970) de Jess Franco, é a adaptação Towers/Franco do romance "A Filosofia da Alcova"(1795) do Marquês de Sade...





Mme. de St. Ange (Maria Rohm) lê a "Filosofia" de Sade e fantasia sobre seu conteúdo sexual excessivo. Ela faz sexo com a senhora Mistival (Maria Luisa Poente) em troca da permissão para levar sua adorável filha adolescente Eugenie (Marie Liljedahl) para sua ilha isolada. (notem que este é um filme de 3 Marias...)






 Eugenie foi educada em um convento e  é sexualmente inexperiente. Ela é drogada e forçada a se submeter a jogos sadomasoquistas dirigidos por Dolmance (Christopher Lee, em uma breve mas memorável aparição)...






 "Eugenie… A história de sua jornada na perversão" é um deleite despojado, delicioso, distorcido, psicodélico, sexy e sádico. A adorável Marie Liljedahl (bem adequada para o papel com seu rosto de bebê e seus olhos estrelados), junta-se a trupê habitual de Franco- Maria Rohm, Jack Taylor e Paul Muller, além de Chris Lee...



 Mas é  Maria Rohm que dá um show,  batendo na garota e na cama com a mãe dela, totalmente à vontade com sua personagem selvagem e  pervertida...

"El Conde Dracula" (O Castelo do Conde Drácula, 1970) de Jess Franco...




Franco dirige sua versão da história de Bram Stoker e a mantém bem fiel, apesar do orçamento minguado.


 Conde Drácula tem um elenco fantástico com Christopher Lee (novamente) como o célebre vampiro, Klaus Kinski como Renfield, Herbert Lom como Van Helsing, Soledad Miranda como Lucy Westenra e Maria Rohm como Mina Harker. 






Como você pode ver na imagem acima, Rohm foi uma impressionante Mina Harker. 

Esgueirando-se num título não "franquista", Maria Rohm tem um pequeno, mas memorável papel, como Alice Campbell em "Das Bildnis des Dorian Gray" ( O Retrato de Dorian Gray, 1970) de  Massimo Dallamano, baseado em Oscar Wilde, e com produção de Towers, é claro...



No elenco alguns tradicionais de Towers- Herbert Lom, Margarteh Lee, Marie Liljedahl, e Miss Rohm, que em uma cena é seduzida pelo corrupto e amoral Dorian de Helmut Berger... 




Sua última vez com titio Franco foi em "Sex Charade"/"El Laberinto" (1972) de Jess Franco. Veículo para a maravilhosa Soledad Miranda, que vive uma garota que precisa hospedar um perigoso maníaco fugitivo de um hospício. Soledad morreria em um trágico acidente de carro no mesmo ano, e o filme só teria sido exibido no Festival de Cannes em 1972...


Seu último filme de gênero foi o thriller espanhol "El Asesino no Está Solo" (1975) de Jesús Garcia de Dueñas, sobre um jovem maníaco que mata as mulheres que o excitam.



Apesar de não ser a estrela do filme, Maria Rohm faz 3 papéis diferentes na trama: A primeira vítima, uma prostituta de um bordel e a babá da infância do assassino (usando uma cor de cabelo e penteado diferente em cada personagem)...





Rohm trabalhou também com os diretores Massimo Dallamano, Peter Collinson, Andrea Bianchi e Lindsay Shonteff, entre outros. Ela se aposentou da atuação em 1976, mas junto com o marido continuou a produzir filmes.
 Sua considerável experiência na indústria revelou uma mulher de negócios astuta, e o Sr. e a Sra. Towers tornaram-se um casal também no mundo da produções baratas e independentes.  Eles trabalharam juntos e felizes, até a morte de Harry Towers em 31 de julho de 2009.



 Com apenas 27 créditos listados no IMDB; esta atriz talentosa, bonita e versátil, se aposentou muito cedo, mas continuou professando seu amor pelo cinema! 
Maria Rohm faleceu recentemente, em 18 de Junho de 2018, em Toronto, Canada, com leucemia aguda e um tumor na coluna, ambos descobertos tardiamente para um tratamento... 

 A doce, sexy e deslumbrante Maria Rohm será sempre lembrada como uma das deusas do cinema independente, exploitation, trash, bagaceiro-divertido!.




























Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...